Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 27 de outubro de 2012

IDADE MÉDIA - FEUDALISMO: resumo e 137 questões com gabarito

Atualizado em 24/11/2013




Além desta apresentação, esta postagem está organizada da seguinte forma:

- Inicialmente, há um resumo sobre a Idade Média.

- Após o resumo, há questões de vestibulares divididas por assunto.

- Cada grupo de questões possui o seu próprio gabarito.

- As 137 questões estão divididas assim:

Invasões e reinos bárbaros - 11 questões
Arte, Ciência, Filosofia e Literatura - 20 questões
Feudalismo - 20 questões
Cruzadas - 15 questões 
Igreja - 20 questões
Império Bizantino - 8 questões
Islã e expansão árabe - 14 questões
Renascimento comercial e urbano - 20 questões
Crise do século XIV - 9 questões 

É isso. Aproveitem. Bons estudos.

RESUMO
O feudalismo e crise do feudalismo na Europa ocidental

1. O Feudalismo, conceito:
. O que foi: Feudalismo foi o modo de organização da sociedade na Idade Média (séculos V ao XV) na Europa. Sua característica maior é a servidão, relação social de produção onde há dependência e exploração entre o senhor e o servo. Basicamente, o servo trabalhava nas terras do senhor e o senhor tinha que defender o servo. Vejamos outras características do feudalismo.
. Descentralização política: Apesar de haver reis e reinos com grandes territórios, quem realmente tinha o controle das diversas regiões da Europa eram os senhores feudais, cada um tendo controle sobre o pequeno senhorio, estando a Europa dividida, portanto, em pequeníssimos estados, cada um com o seu senhor.
. Produção para o consumo: Diferentemente do capitalismo, no regime feudal produziam-se bens essencialmente para o consumo dos habitantes do próprio senhorio. Assim, produzia-se apenas o pão que iria ser consumido no senhorio e não mais do que isso, a produção não era feita em função do comércio, apenas o excedente de produção era vendido para o mercado.
. Pequeno comércio e pouca movimentação de pessoas: O comércio entre as diversas regiões da Europa era pequeno assim como a movimentação das populações, principalmente na primeira parte da Idade Média, a Alta Idade Média (séculos V ao X). O comércio e a urbanização aumentaram na Baixa Idade Média (XI-XV).
. Três ordens sociais: A sociedade medieval poderia ser dividida em três ordens ou grupos. Os que lavram, os camponeses que eram servos; os que guerreiam, a nobreza feudal que lutava nas guerras; e os que oram, o clero, membros da Igreja que, nesse período tinham grande prestígio. Tanto a nobreza – os cavaleiros
– como o clero eram proprietários de terra e, portanto, senhores feudais.
. Predomínio da Igreja romana e teocentrismo: A Igreja católica era muito poderosa nesse tempo, podendo ser considerada a maior força da Idade Média, mais que os reis e senhores feudais. Tudo nesse período era explicado através da religião, de Deus e a superstição era muito forte entre todas as pessoas.
. Condenação do lucro e da usura (juros) pela Igreja: Um ponto importante da doutrina da Igreja nesse período era a condenação do lucro e da usura, que se tornaram empecilhos para o crescimento do artesanato e comércio, tornando-se um ponto de conflito entre a Igreja e a burguesia que estava surgindo na Baixa Idade
Média. Essa condenação do lucro e o fato de a produção não ser voltada para o comércio eram empecilhos para o desenvolvimento da burguesia.

2. Crise e queda do feudalismo:
. A Baixa Idade Média (XI-XV): Após o fim das invasões bárbaras da Alta Idade Média, a população na Europa começa a crescer, levando em seguida à expansão do comércio e ao surgimento das cidades, o que iria trazer grandes mudanças para a Europa.
. Expansão do feudalismo: As inovações técnicas, o aumento da mão-de-obra e o fim das invasões permitiram a produção de um excedente da produção nos senhorios que era vendido. Isso cria um certo comércio e uma classe mercantil, que transportava e comercializava essa produção. Novas terras começam a ser exploradas e o feudalismo se expande, surgindo grandes movimentos mercantis como o comércio marítimo e as Cruzadas, expansão do feudalismo europeu para o Oriente.
. Feiras e burgos: Com o aumento do comércio, surgem as feiras, lugar onde se vendia o excedente de produção dos senhorios. Elas logo cresceram e deixaram de ser temporárias para serem permanentes, virando cidades – ou burgos. Os comerciantes e artesãos que se estabeleciam nessa região compravam as terras dos senhores e faziam burgos livres dos senhores feudais. Para lá fugiriam os servos, reforçando a produção dessas cidades.
. Burguesia: O artesanato nas cidades se organizava através das corporações de ofício, que eram as uniões hierarquizadas de artesãos que faziam um mesmo produto. Os chefes dessas corporações, mestres de ofício, e os comerciantes se enquadram no perfil da nova classe que estava surgindo, a burguesia.
. Crise do século XIV: Nesse século, uma grande crise de fome, peste e guerras assola a Europa matando um terço da sua população. Essa crise irá acentuar as modificações que já vinham ocorrendo no campo e, principalmente, irá acentuar a fuga de camponeses para as cidades.
. Crise final do sistema: Com a fuga de servos para as cidades, a revolta de outros e a morte de mais
camponeses com a peste e a fome, os senhores feudais entram em crise e muitos vão perder seus postos. As relações no campo na Europa Ocidental não vão mais se basear na servidão. Era a decadência do feudalismo e o fim da Idade Média.


QUESTÕES DE VESTIBULARES


Invasões e reinos bárbaros

(UFAM) - Universidade Federal do Amazonas - Questão 1:
Entre o Édito de Milão (313), a morte de Teodósio (395) e a coroação de Carlos Magno (800), nascera no Ocidente um mundo novo, resultado da convergência e fusão das estruturas romanas e dos povos germânicos. Com relação a esse momento histórico são feitas as seguintes afirmativas:
I. Essa transformação se realiza sob a égide do cristianismo.
II. O traço mais óbvio desse novo mundo não é a unidade política, mas a dicotomia e a mobilidade social.
III. Mesmo vivendo sob uma concepção teocrática de mundo, os homens dessa época conseguiram adotar uma postura clássica.
IV. Durante todo esse período as relações econômicas tinham como principais características a escassez endêmica e o recrudescimento do comércio da produção artesanal.
Com base nas afirmações, qual das opções abaixo é a correta?
A - A proposição III;
B - A proposição I;
C - A proposição II;
D - A proposição IV;
E - Todas as proposições.

(UFRGS) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Questão 2: A Alta Idade Média foi um período marcado por sucessivas invasões do mundo cristão.
Assinale a alternativa correta com relação à essas invasões.
A - Em meados do século VII, após a batalha de Poitiers, o mundo islâmico avançou por todo o sul da França, penetrando no norte italiano.
B - Durante vários séculos, os vikings tentaram sem sucesso pilhar as ricas cidades cristãs.
C - No século IX, os francos derrotaram Clóvis, desintegrando o reino merovíngio.
D - Em fins do século IX, sob a pressão crescente das invasões normandas e magiares, surgiram na Europa inúmeros castelos privados fortificados.
E - Em 843, o Tratado de Verdun unificou o Império Carolíngio, facilitando sua defesa contra avaros.

(UFPA) - Universidade Federal do Pará - Questão 3:
Para o historiador Le Goff
“A grandiosa construção carolíngia, com efeito, ia durante o século IX desagregar-se rapidamente sob os golpes conjugados dos inimigos exteriores – novos invasores e dos agentes de fragmentação internos”
(LE GOFF, Jacques. A civilização do Ocidente medieval. Lisboa: Estampa, 1984, p. 71).
O processo de fragmentação interna do império carolíngio, aludido pelo historiador, refere-se à própria forma de governo e às relações de poder do império instauradas por Carlos Magno, fundadas em razão de vários fatores, entre os quais, a
A - doação de terras a seus vassalos como forma de retribuição pelo auxílio militar prestado na conquista da Germânia e da Lombardia; o que esfacelou o poder do imperador nos territórios conquistados.
B - distribuição de foros e tenças aos seus vassalos, em troca da participação das guerras de reconquista da França do poder dos muçulmanos, que haviam ocupado a região no início de seu reinado.
C - doação de terras em sesmarias aos marqueses, responsáveis pela segurança militar das fronteiras do Império (as marcas) ensejou a desagregação da autoridade do imperador nas mãos desses indivíduos cada vez mais poderosos.
D - distribuição de benesses e favores na Corte carolíngia, que se constituiu como espaço de negociação política entre os poderosos do reino, tornando-se Terceiro Estado francês.
E - doação de terras e benefícios a indivíduos de quem o imperador esperava fidelidade, o que incitou, por sua vez, a multiplicação das redes de vassalagem com vistas à garantia de ajuda militar.

(UEPB) - Universidade Estadual da Paraíba - Questão 4:
Um dos reinos germânicos que mais se destacaram no território do antigo império romano foi o dos francos. Sobre os francos é correto afirmar:
A - Pepino, o breve, foi o principal perseguidor do cristianismo da dinastia carolíngea.
B - Carlos Magno incentivou a atividade intelectual nos mosteiros e procurou cercar-se de religiosos conhecidos pela erudição.
C - Clóvis, da dinastia merovíngea, recebeu o apoio do islamismo no projeto de unificação do território.
D - Carlos Martel foi derrotado pelos árabes em 732, na batalha de Poitiers.
E - Os condes não podiam legislar, nem administrar a justiça, limitando-se à função de fiscalizar os condados.

(UEM/PR) - Universidade Estadual de Maringá - Questão 5: O fundador do Reino Franco foi:
A - Clóvis;
B - Carlos Magno;
C - Meroveu;
D - Pepino o Breve;
E - Ludovico Pico.

(UFPR) - Universidade Federal do Paraná - Questão 6: As invasões germânicas têm início no século IV d.C. e promovem importantes transformações no panorama mediterrâneo, as quais atingem as estruturas do mundo clássico. Identifique, dentre as transformações abaixo, a que corresponde à raiz da protofeudalização da Europa Ocidental:
A - Substituição do cristianismo pelos cultos celtas e godos nos reinos germânicos.
B - Ruralização e fragmentação do poder político.
C - Desaparecimento do latim como língua escrita e falada, substituída pelos dialetos germânicos.
D - Imposição da maneira de viver dos povos germânicos e consequente destruição da cultura do povos dominados.
E - Substituição do Direito Romano pelos costumes dos povos invasores.

(UFMS) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Questão 7: Acerca da história do Império Carolíngio, é correto afirmar que:
A - o Papa Leão III coroou Carlos Magno como Imperador do “Novo Império Romano do Oriente”, cuja capital passou a ser Constantinopla;
B - o chamado “Renascimento Carolíngio” também significou um reflorescimento das Letras e das Artes.
C - após a morte de Carlos Magno, o governo foi exercido por seu filho Luís, o Piedoso, que intensificou ainda mais as expedições de conquista;
D - Carlos, o Calvo, e Luís, o Germânico, somaram esforços no sentido de manter a unidade imperial estabelecida por Luís, o Piedoso;
E - o “Novo Império Romano do Oriente” foi desmantelado pelos exércitos mulçumanos que se estabeleceram na Península Ibérica.

(UFES) - Universidade Federal do Espírito Santo - Questão 8:
O conceito de realeza sagrada e maravilhosa atravessou toda a Idade Média sem nada perder de seu vigor, muito pelo contrário: todo esse tesouro de legendas, de ritos curativos, de crenças meio eruditas, meio populares, que constituía grande parte da força moral das monarquias não cessou de crescer [...] À primeira vista, o que parece estar em oposição à marcha geral dos acontecimentos é – no reinado dos primeiros capetíngeos, por exemplo – o caráter sagrado correntemente reconhecido à pessoa do rei, pois, na verdade a força da monarquia era então muito pequena é, na prática, os próprios reis eram frequentemente pouco respeitados pelos súditos. Ademais, o que deve surpreender o historiador dos séculos X e XI não é a fraqueza da realeza francesa, o surpreendente é que essa realeza tenha-se mantido e tenha conservado suficiente prestígio para poder mais tarde, a partir de Luís VI, com a ajuda das circunstâncias, desenvolver rapidamente suas energias latentes e, em menos de um século, transformar-se em grande potência dentro e fora da França.
(BLOCH, M. Os reis taumaturgos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 187-188.)
Dentre os fatores que propiciaram o fortalecimento da autoridade real, na França, durante a dinastia dos Capeto (987-1328), é correto afirmar que:
A - a aliança de Luís VI com o soberano plantageneta João Sem Terra garantiu-lhe o apoio da nobreza inglesa contra o imperador do Sacro Império Romano-Germânico;
B - a criação do Parlamento de Paris, em substituição aos Estados Gerais, sob o reinado de Hugo Capeto, permitiu à realeza controlar de modo estrito a concessão de títulos de nobreza a membros do clero e da burguesia;
C - o abandono do direito romano, em prol das concepções jurídicas islâmicas, reforçou as pretensões dos capetíngeos em livrar o papado da tutela dos juristas italianos;
D - a atuação de Carlos Magno, membro mais ilustre da dinastia, imprimiu ao Império Capetíngeo estruturas administrativas eficazes, por intermédio dos condes e marqueses;
E - a crença nos poderes sobrenaturais dos monarcas capetíngeos, especialmente na sua capacidade de curar certos tipos de tumores, integrava uma mentalidade segundo a qual o rei era tido como uma entidade sagrada e inviolável.

(UEPG/PR) - Universidade Estadual de Ponta Grossa - Questão 9: A invasão dos bárbaros na Europa provocou:
A - pleno desenvolvimento comercial;
B - maior ruralização;
C - maior urbanização;
D - o incremento industrial;
E - nda.

(UFPR) - Universidade Federal do Paraná - Questão 10: Conquistador da Itália que procurou fazer a fusão dos ostrogodos com os romanos:
A - Átila;
B - Teodorico;
C - Odoacro;
D - Justiniano;
E - Aécio.

Questão 11: Na Alta Idade Média, período que se segue à desintegração do Mundo Antigo, houve o surgimento de vários reinos germânicos no Ocidente, como o dos visigodos, o qual ocupava:
A - o sudoeste da França e grande parte da Península Ibérica;
B - a região do Reno, o leste da França e parte da Suíça;
C - o território sul da atual Alemanha e a Alsácia e Lorena;
D - a Península da Itália e parte da atual Iugoslávia;
E - o norte da África, do estreito de Gibraltar à Tunísia.

GABARITO:
questão 1: B - questão 2: D - questão 3: E - questão 4: B - questão 5: A - questão 6: B - questão 7: B - questão 8: E - questão 9: B - questão 10: B - questão 11: A



Arte, Ciência, Filosofia e Literatura

(UEPA) - Universidade do Estado do Pará - Questão 1:
– “A Idade Média equipou a Europa. Mostrou-se conquistadora e inovadora no domínio da tecnologia, sabendo aperfeiçoar e difundir técnicas que muitas vezes lhe eram anteriores. Se é um exagero falar da revolução tecnológica, houve uma forte aceleração de um processo tecnológico até então muito lento. A Idade Média continuou a ser um mundo de madeira, mas aumentou seriamente a utilização da pedra e do ferro. [...] Os transportes terrestres foram aperfeiçoados pelo arranjo e conservação das estradas, pela construção de carroças maiores e mais sólidas, pelo arranjo da atrelagem de animais de cargas [...], pela construção de pontes e pela abertura de novas vias, a mais célebre das quais foi a Via Alpina de S. Gotardo, no século XIII.”
(Le GOFF, Jacques. A velha e nova Europa. Lisboa: Gradiva, 1994, IN MOCELLIN, Renato e Camargo, Rouvane. Passaporte para a História. S. Paulo: Editora do Brasil, 2007, pag.13).
A partir da leitura do texto e dos seus estudos históricos, é correto afirmar que a Idade Média:
A - é ainda considerada por muitos historiadores como a “Idade das Trevas” devido à ausência de instrumentos e/ou realizações que identificassem alguma tecnologia.
B - é um período em que houve um desenvolvimento tecnológico, e nele se identifica o aperfeiçoamento de transportes e a construção de pontes e aberturas de vias.
C - hoje está sendo renomeada como o “período das luzes”, visto muitos estudiosos terem descoberto que nele ocorreu uma verdadeira revolução tecnológica no campo das construções.
D - no campo das construções arquitetônicas, registra mudanças significativas, como por exemplo, a substituição do uso da madeira pela pedra e pelo ferro.
E - aperfeiçoou diversas técnicas herdadas do mundo antigo, ao mesmo tempo que promoveu uma aceleração do processo tecnológico dos meios de transporte, substituindo a tração animal pela utilização do vapor.

(UFPA) - Universidade Federal do Pará - Questão 2:
Sobre a Cavalaria Medieval, leia o enunciado abaixo:
“O escudeiro, antes de entrar na Ordem da Cavalaria durante a Idade Média europeia, deve confessar-se das faltas que cometeu contra Deus [...]”.
Libro de La Orden de Caballeria apud PEDRERO-SANCHEZ, Maria Guadalupe. HISTÓRIA DA Idade Média: textos e testemunhas. São Paulo: UNESP, 2000. p. 102.
Sobre esse primeiro “mandamento” que regia o ingresso do jovem na Cavalaria, é importante observar que a
A - estrutura original da Cavalaria era de natureza guerreira e religiosa, demasiado próxima das ordens monástico-religiosas, o que ameaçava o poder terrenal da nobreza e a unidade espiritual e física da instituição.
B - obrigação para com os preceitos religiosos forjou nos cavaleiros uma moral militar que se sobrepunha à defesa de Deus, da Igreja e da nobreza, quebrando a unidade da Cristandade consolidada desde os tempos imperiais de Roma.
C - Igreja gerou no seio da Cavalaria um sentimento de fraternidade militar, despojando-a de seu papel guerreiro, visando apenas ao combate àqueles que não seguissem os ensinamentos evangélicos, conforme determinavam os príncipes.
D - religiosidade dos cavaleiros determinará o fim da prática dos torneios e das guerras justas, sendo a Cavalaria mais tarde absorvida pelos Estados Absolutistas, servindo apenas para o aparato das cortes reais europeias.
E - Igreja teve um papel fundamental em relação à Cavalaria, incutindo a fé e cristianizando-lhe os rituais, tanto que na oração da Investidura era pedido a Deus que abençoasse a espada do cavaleiro para que ele pudesse defender a Igreja, as viúvas, os órfãos e todos os servidores de Deus.

(UFC) - Universidade Federal do Ceará - Questão 3:
Na sociedade medieval, vigorava uma ideologia que considerava as mulheres inferiores aos homens, resultando em um cotidiano marcado pela hegemonia da autoridade masculina. Ainda que a Igreja pregasse que homens e mulheres eram objetos do amor de Deus, não eram poucos os religiosos que percebiam as mulheres como agentes do demônio.
Com base nas informações acima e em seus conhecimentos, assinale a alternativa correta sobre a cultura e a sociedade europeias, no período classicamente conhecido como Idade Média.
A - As mulheres eram consideradas inferiores aos homens por serem incapazes de trabalhar com as técnicas tradicionais de cura por meio do uso de plantas medicinais.
B - A mentalidade era profundamente marcada pelo ideário católico, que preconizava, inclusive, o papel que homens e mulheres deveriam desempenhar na sociedade.
C - A submissão feminina à autoridade masculina caracterizou a sociedade daquele tempo como uma organização tipicamente matriarcal.
D - A mulher, ainda que posta em uma condição submissa em relação ao homem, tinha grande poder e influência sobre a Igreja Católica.
E - A condição feminina era fruto da grande influência que o racionalismo científico exercia sobre a cultura daquele período.

(PUC-PR) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná - Questão 4:
Facilitando o comércio e evitando os perigos do transporte do dinheiro amoedado, surgiram os títulos de crédito, como cheques, letras de câmbio, conhecimentos de depósito, e outros, marcando inclusive o nascimento do direito comercial.
Esses progressos comerciais tiveram origem: 
A - no livro da autoria de Marco Polo, que revelava idênticas práticas dos chineses;
B - durante a Primeira Cruzada, que conquistou Jerusalém;
C - na iniciativa dos monarcas ingleses do final da Guerra dos Cem Anos;
D - nas feiras medievais;
E - na Corte portuguesa dos monarcas da dinastia de Avis.

(FUVEST/SP) - Fundação Universitária para o Vestibular - Questão 5:
Segundo o historiador Robert S. Lopez (A Revolução Comercial da Idade Média, 950-1350), "o estatuto dos construtores das catedrais medievais representava um grande progresso relativamente à condição miserável dos escravos que erigiram as Pirâmides e dos forçados que construíram os aquedutos romanos". As catedrais medievais foram construídas por:
A - artesãos livres e remunerados;
B - citadinos voluntários trabalhando em mutirão;
C - camponeses que prestavam trabalho gratuito;
D - mão-de-obra especializada e estrangeira;
E - servos rurais recompensados com a liberdade.

(CESUPA/PA) - Centro Universitário do Estado do Pará - Questão 6:
“[...] E as principais bases que os Estados têm, sejam novos, velhos ou mistos, são boas leis e boas armas. [...] não podem existir boas leis onde não há armas boas, e onde há boas armas convém que existam boas leis [...]. [...] As forças com que um príncipe mantém o seu Estado são próprias ou mercenárias, auxiliares ou mistas. As mercenárias e auxiliares são inúteis e perigosas [...] não são unidas aos príncipes, são ambiciosas e indisciplinadas [...].”
MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. São Paulo: Abril Cultural, 1979. P. 49. (Os Pensadores). O Príncipe, obra escrita de 1513 a 1516, foi publicada postumamente, em 1532
A partir das informações apresentadas acima, é correto considerar que:
A - Ao príncipe caberia conservar seu Estado mediante o recurso da guerra travada por soldados mercenários, pois as armas seriam “as principais bases que os Estados têm”.
B - A obra referida é uma análise política sobre como deve agir um soberano perante um governo já estabelecido ou a conquistar. Daí a alusão às “boas leis” e às “boas armas”.
C - Para Maquiavel, nas repúblicas democráticas, os conflitos deveriam ser controlados e regulados pelo príncipe e suas forças mais leais: as mercenárias e as auxiliares.
D - O pensamento de Maquiavel respaldou-se na ruína imposta à Itália por outras nações no século XV. Devido a isso, defendia a organização de Estados dissociados da guerra.

(UFV/MG) - Universidade Federal de Viçosa - Questão 7:
Considerada por muitos como a “Idade das Trevas”, a Idade Média foi arcada por uma intensa transformação cultural, pois aos poucos a deterioração da herança cultural do Império Romano foi abrindo espaço para o surgimento de um outro tipo de cultura, baseada no poder crescente da Igreja Católica. Com relação à cultura Medieval, é INCORRETO afirmar:
A - A proliferação das universidades retardou o fortalecimento do Renascimento Cultural Europeu, visto que estas seguiam fielmente os desígnios do Papa e do Catolicismo.
B - Durante a Alta Idade Média, a Igreja adquiriu o controle sobre a educação, dominando o ensino através das escolas religiosas e sendo o clero a elite intelectual.
C - Os mosteiros funcionaram como depositários da cultura e os monges atuavam, em grande parte, como copiadores de manuscritos antigos.
D - Na Baixa Idade Média, a filosofia escolástica buscava a harmonia entre a razão e a fé, afirmando que o progresso dependia também do esforço do homem.

(UFPA) - Universidade Federal do Pará - Questão 8:
Para o historiador Jacques Le Goff:
“Os homens da Idade Média entram em contato com a realidade física por intermédio das abstrações místicas e pseudo-científicas”.
LE GOFF, Jacques. A civilização do Ocidente medieval. Bauru. SP: Edusc, 2005. p. 131.
Isto quer dizer que o misticismo e o cristianismo dos homens medievais interferiam na sua forma de entender o mundo que os cercava e a natureza. Sobre a forma medieval de conceber o mundo natural, é correto afirmar que aqueles homens
A - eram incapazes de entender a natureza e as leis que a governavam, decretando assim o atraso da época medieval em relação aos tempos de hoje.
B - tinham uma interpretação simbólica do mundo natural, pela qual a fauna e a flora valiam pelo que significavam, não pelo que podemos apurar pela experiência científica.
C - eram herdeiros do mundo grego fundado na primazia de um Deus onipotente e onipresente, o que marcava a percepção medieval sobre o ambiente, tido como uma manifestação do poder de Deus.
D - tinham uma concepção mecanicista da natureza, entendida como uma máquina perfeita, governada por leis e iluminada por Deus.
E - desenvolveram o processo de matematização da realidade natural, fundamentado na ciência moderna e exata.

(UFCG/PB) - Universidade Federal de Campina Grande - Questão 9:
A cultura medieval é marcada por diversos movimentos artísticos que ganharam visibilidade mediante diversas práticas. Na composição dessa identidade cultural medievalista, emergiram, na baixa Idade Média, os goliardos.

A partir da leitura da imagem acima e dos seus conhecimentos sobre a temática, é correto afirmar que os goliardos.
I – Identificados como clérigos itinerantes ou estudantes boêmios, desenvolviam a arte musical cantando poemas sobre bebidas, amor e fortunas.
II – Diabolizavam o riso e sacralizavam a seriedade e a introspecção como fundamento da cultura e da etiqueta na Baixa Idade Média.
III – Compunham poemas que celebravam a sexualidade e criticavam tanto a tirania ideológica quanto as práticas religiosas e morais da Igreja.
IV – Identificavam-se com a cultura dos charivaris, ocasiões em que era comum incinerar sacos cheios de gatos, associados à Feitiçaria.
V – Recepcionavam os códigos culturais dos povos árabes, copiando destes o gosto pela música, dança e vestimentas orientais.
Estão corretas:
A - I e III.
B - IV e V
C - I e II
D - I, II e III.
E - III, IV e V.

(UFCG/PB) - Universidade Federal de Campina Grande - Questão 10:
Desde a Antiguidade, a cultura atlético-esportiva ganhou visibilidade, nos quais as disputas e o cuidado do corpo recebiam conotações político-culturais e religiosas.
Sobre a prática esportiva nas experiências Antiga e Medieval, é incorreto afirmar que:
A - As olimpíadas exerceram forte influência sobre a construção da identidade grega, consideradas, juntamente com as letras e a música, um dos três pilares da educação do cidadão.
B - As festividades atlético-religiosas, associadas às corridas de bigas, foram oficializadas pelo imperador Teodósio no século IV, após a sua conversão ao cristianismo.
C - As corridas de carros em Bizâncio colocavam em lados opostos dois grupos rivais – os "azuis" e os "verdes" – cujos partidários funcionavam como torcidas organizadas.
D - Os exercícios físicos foram a base da preparação militar dos soldados na Idade Média, destacando-se, entre os nobres, a prática da esgrima e da equitação como requisitos para a participação nas Justas e Torneios.
E - As lutas corporais entre os gladiadores romanos eram práticas que adquiriam conotações cívicas e político-religiosas.

(UEPB) - Universidade Estadual da Paraíba - Questão 11:
“No cruzamento do material e do simbólico o corpo fornece ao historiador da cultura medieval um lugar de observação privilegiado neste mundo em que os gestos litúrgicos e o ascetismo, a força física e o aspecto corporal, a comunicação oral e a lenta valorização do trabalho contavam tanto, era importante conferir valor, além do escrito, à palavra e gestos.” (Le Goff, A civilização do Ocidente, 2005, p. 14)
Considerando a mentalidade do ocidente medieval, é correto afirmar:
A - As regras monásticas estimulavam ao máximo o banho e a higiene corporal, porque estas atividades não eram vistas como luxo e volúpia.
B - A Igreja proibia toda e qualquer técnica de embalsamamento dos cadáveres, porque o corpo era concebido como lepra do homem.
C - O ideal cristão rebaixava o corpo enquanto o ideal guerreiro o exaltava. A vida do cavaleiro é exaltação física. A caça, a guerra e os torneios são paixões.
D - A moral cristã estimulava os prazeres carnais e a sexualidade, porque era fonte de procriação.
E - Não existia casa de banho nas cidades medievais, porque não podia haver lugares de prazer e de libertinagem.

(UP/PR) - Universidade Positivo - Questão 12:
“Rematemos. A ciência médica europeia tem suas raízes teóricas e práticas na Grécia, o que vem confirmar o anexim: ex Oriente lu. Libertada da antiga magia, a medicina revestiu-se, no medievo, de caráter racional e aprofundou o estudo empírico, chegando a desvendar alguns dos mistérios do corpo humano.
Pari passu, a Igreja, desvencilhada de prejuízos, posicionou-se, favoravelmente. À criação de faculdade de ars medicanalis, conquanto proibisse aos futuros sacerdotes seguir a carreira médica, por causa do perigo de se afastarem de sua vocação, aliciados pelo dinheiro. Tal como o direito, a medicina, ciência lucrativa era procurada com espírito de carreirismo, de fama e de fortuna. “Galeno distribui riqueza” era o mote inspirador dos clerici.
Fundamentada na medicina medieval, a Renascença ampliou-lhe os horizontes, com novas técnicas e novos recursos.”
ULLMANN, Reinholdo: BOHEN, Aloysio. A Universidade das origens à Renascença. São Leopoldo. Editora Unisinos, 1999. p. 140
Sobre a cultura medieval, assinale a alternativa INCORRETA:
A - As universidades eram corporações de professores e alunos. A autonomia das universidades era garantida por diversos privilégios: seus membros elegiam seu reitor, tomavam suas decisões em assembleias gerais, decidiam internamente as promoções e tinham uma série de privilégios jurídicos, fiscais, econômicos e sociais. Qualquer prejuízo dos privilégios tinha como consequência imediata a cessatio, a greve de aulas.
B - Na Idade Média, as ciências eram classificadas com base nas sete artes liberais. Definidas na Antiguidade Greco-latina como sendo as disciplinas apropriadas ao home livre, englobava o trivium (Gramática, Retórica e Lógica) e o quadrivium (Astronomia, Geometria, Aritmética e Música).
C - A Igreja era a principal protetora das universidades, mas também sua instância controladora. O Chanceler, representante do bispo, era o guardião da veracidade e da qualidade do ensino, e o verificador do valor dos diplomas. Juridicamente, os homens da escola eram associados a clérigos, devendo vestir-se como tal.
D - Do ponto de vista geográfico, o recrutamento, tanto dos professores como dos alunos das universidades do medievo, tinha caráter internacional. Possibilitava-o o idioma universal – o latim. Era, pois, fácil o estudante frequentar várias universidades sucessivamente, sem o empecilho da língua.
E - A Universidade de Paris era totalmente independente em relação ao poder civil e clerical. Os alunos pagavam pelo ensino. Contudo, possuíam privilégios jurídicos, fiscais, econômicos e sociais. A cessatio (a greve de aulas) era terminantemente proibida.

(UNIFOR/CE) - Universidade de Fortaleza - Questão 13:
Considere o texto.
“O príncipe” atormentou a humanidade durante quatro séculos. E continuará a atormentá-la.
(Jean-Jacques Chevalier. As grandes obras políticas − de Maquiavel a nossos dias. Rio de Janeiro: Agir, 1980. p. 48)
Dentre as ideias de Maquiavel, que foram explicitadas durante o contexto da formação dos Estados Nacionais, destacam-se
A - "os fins justificam os meios" e "a razão do Estado deve sobrepor-se a tudo".
B - “a força é justa quando necessária” e “cabe ao Parlamento a decisão final”.
C - “o governante deve ser amado e não temido” e “o poder está na força de Deus”.
D - “um déspota deve ser deposto” e “os três poderes garantem o equilíbrio de poder”.
E - “é mais seguro ser temido do que amado” e “a legitimidade é fruto do contrato social”.

(UFG/GO) - Universidade Federal de Goiás - Questão 14:
Leia o fragmento.
“O ingresso das sociedades ocidentais na cultura escrita foi uma das principais evoluções da era moderna”.
CHARTIER, Roger. As práticas de escrita. In: História da vida privada no Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. p. 114. [Adaptado].
O fragmento acima menciona uma transformação nas sociedades ocidentais. Progressivamente, a partir do início da Idade Moderna, observa-se a disseminação da cultura escrita. No século XVI, essa transformação se expressa por meio:
A - das novas formas de devoção que afirmam a importância das relações pessoais e diretas do fiel com a Bíblia.
B - do processo inicial de escolarização das sociedades graças à ampliação de estabelecimentos de ensino.
C - da disseminação do uso de diários íntimos e da troca de correspondências.
D - da criação e multiplicação de jornais diários e da difusão de sua leitura.
E - do crescimento do número de monastérios, lugar onde os textos manuscritos eram reproduzidos pelos copistas.

(UFG/GO) - Universidade Federal de Goiás - Questão 15:
Leia o texto.
“Somos anões carregados nos ombros de gigantes. Assim vemos mais, e vemos mais longe do que eles, não porque nossa visão seja mais aguda ou nossa estatura
mais elevada, mas porque eles nos carregam no alto e nos levantam acima de sua altura gigantesca”.
LE GOFF, Jacques. Os intelectuais na Idade Média. Rio de Janeiro: José Olímpio, 2003. p. 36.
As Universidades nasceram no Ocidente, nos séculos XII e XIII, no cenário do renascimento urbano, ligadas ao desenvolvimento da escolástica e sob o peso da contribuição greco-árabe. O texto apresentado acima é uma citação do mestre Bernard, professor do principal centro científico do século XII, a Escola de Chartres, e expressa uma nova concepção do que é a ciência e o conhecimento. Nesse período, conhecer significava:
A - desenvolver a tradição por meio do comentário dos textos herdados da cultura antiga.
B - produzir um saber singular, que se diferenciasse da tradição clássica.
C - utilizar instrumentos científicos, que permitissem alcançar a verdade.
D - observar os fenômenos naturais para encontrar as leis que regiam seu funcionamento.
E - cultivar o espírito racional por meio da refutação da autoridade dos textos teológicos.
(UFJF/MG) - Universidade Federal de Juiz de Fora - Questão 16:
Leia, atentamente, o trecho a seguir.
“Para os filósofos da idade média, o fato de o cristianismo significar a verdade era um dado praticamente irrefutável. A questão era saber se tínhamos que simplesmente acreditar na revelação cristã.”
(GAARNER, J. O mundo de Sofia.)
Sobre o pensamento filosófico da Baixa Idade Média, é correto afirmar que:
A - o estudo da filosofia se restringia aos mosteiros, não estando presente nas discussões universitárias dos centros urbanos.
B - as mais importantes ideias filosóficas negavam a validade das obras dos pensadores da Antiguidade, por exemplo, Aristóteles.
C - o estudo dos problemas relativos aos fenômenos da natureza passou a ser compreendido através de mitos que narravam a atuação direta dos deuses.
D - um dos principais autores do período foi São Tomás de Aquino, que defendia a necessidade de conciliação entre a fé e a razão.
E - a perda de poder da Igreja Católica e a diminuição da autoridade papal se manifestavam na falta de controle sobre as obras produzidas.

(UFV/MG) - Universidade Federal de Viçosa - Questão 17:
O direito medieval se desenvolveu lentamente, apesar da influência do direito romano bizantino e do direito canônico, uma das razões pelas quais os historiadores designam a Idade Média Ocidental como o “império do costume”.
Um fator que contribuiu para que o período ficasse conhecido como o “império do costume” foi:
A - o fortalecimento do poder real.
B - o aniquilamento da cultura romana pelos bárbaros.
C - o poder da igreja Católica.
D - o predomínio da cultura oral.

(UFMS) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Questão 18:
A partir do século XII, em algumas regiões da Europa, nas cidades em crescimento, comerciantes, artesãos e bispos aliaram-se, para a construção de catedrais com grandes pórticos, vitrais e rosáceas, produzindo uma “poética da luz”, abóbadas e torres elevadas que dominavam os demais edifícios urbanos. Dentre as alternativas abaixo, assinale aquela que corresponde ao estilo de arte da época.
A - Renascentista
B - Gótico
C - Românico
D - Bizantino
E - Barroco

(UPE) - Universidade de Pernambuco - Questão 19:
Leia as afirmativas abaixo acerca da análise histórica sobre a Idade Média.
1. A descentralização política marcou o período medieval, impedindo a existência de monarquias e reforçando o poder da nobreza.
2. Na Idade Média, o fim das atividades comerciais trouxe o declínio das cidades que praticamente desapareceram da vida social europeia.
3. As corporações de ofício dinamizaram as atividades econômicas medievais com seu combate ao justo preço.
4. As teorias de Tomás de Aquino foram importantes para renovação religiosa e suas relações com a filosofia de Aristóteles.
5. A cultura muçulmana trouxe contribuições para o Ocidente, com suas descobertas em vários campos do saber.
Estão corretas apenas as afirmativas:
A - IV e V
B - III e IV
C - II e III.
D - I e III
E - II e V

(UNIFESP/SP) - Universidade Federal de São Paulo - Questão 20:
Terminada a Antiguidade, havia à disposição do Ocidente medieval duas concepções filosóficas fundamentais e distintas: a visão grega (resumida por Aristóteles) de que o homem foi formado para viver numa cidade, e a visão cristã (resumida por Santo Agostinho) de que o homem foi formado para viver em comunhão com Deus. Nos últimos séculos da Idade Média, com relação a essas duas filosofias, é correto afirmar que:
A - foram reconciliadas por São Tomás de Aquino ao unir razão (livre-arbítrio) com revelação (fé);
B - entraram em conflito e deram lugar a uma nova visão, elaborada por frades beneditinos e dominicanos;
C - continuou a prevalecer a visão grega, como se pode ver nos escritos de Abelardo a Heloísa;
D - sofreram um processo de adaptação para justificar a primazia do poder temporal ou secular;
E - passou a predominar a visão cristã, depois de uma longa hegemonia da visão grega.

GABARITO:
questão 1: B - questão 2: E - questão 3: B - questão 4: D - questão 5: A - questão 6: B - questão 7: A - questão 8: B - questão 9: A - questão 10: B - questão 11: C - questão 12: E - questão 13: A - questão 14: A - questão 15: B - questão 16: D - questão 17: D - questão 18: B - questão 19: A - questão 20: A


Feudalismo

(UEMS)- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - Questão 1:
A Idade Média ocorreu aproximadamente entre os séculos V e XV. Sobre esse período pode-se afirmar que
A - o seu início foi precipitado pela queda do Império Romano do Oriente com as invasões bárbaras.
B - tem como fator primordial o surgimento do Cristianismo.
C - nele, a sociedade feudal pode ser caracterizada como de classes distintas: oratores, belatores e laboratores, com a supremacia da primeira sobre as demais.
D - nele, Carlos Magno invadiu o Império Romano, causando sua queda.
E - nele, a economia era baseada no comércio e exploração das especiarias vindas do Oriente.

(UFAM) - Universidade Federal do Amazonas - Questão 2:
O triunfo do cristianismo e o estabelecimento de reinos germânicos em terras que antes eram romanas representaram uma nova fase na história ocidental: o ocaso do mundo antigo e o prelúdio dos tempos medievais, período que se estendeu por mais de dez séculos. Ao longo desse período se desenvolveu uma civilização comum que integrou elementos cristãos, greco-romanos e germânicos.
Sobre o período medieval, podemos fazer a seguinte afirmação:
A - O feudalismo, do ponto de vista político, representou uma pulverização do poder real em detrimento dos grandes mercadores, que aliados aos proprietários rurais garantiram o desenvolvimento urbano e comercial.
B - No início do medievo os reinos germânicos, além de aderirem ao cristianismo romano, continuaram com a vitalidade das instituições urbanas, elemento mais marcante da civilização clássica;
C - A servidão foi a relação de trabalho predominante no mundo medieval, que através da vassalagem, estabelecia uma série de compromissos e obrigações entre o produtor direto e o proprietário da terra;
D - Entre as obrigações devidas pelos servos destaca-se a corveia ou a prestação de serviço na reserva senhorial, além da homenagem ou o serviço militar, requisitado pelo senhor em época de guerra;
E - Hegemônico ao longo do medievo, o sistema feudal caracterizou-se no plano sociojurídico pelas relações pessoais e no plano mental pela valorização dos ideais guerreiros;

(UCSAL/BA) - Universidade Católica de Salvador - Questão 3:
Leia as afirmações sobre a Idade Média.
I. A produção se realizava, fundamentalmente, nos feudos ou domínios e a exploração das terras era realizada através do trabalho servil.
II. Os camponeses estavam submetidos à servidão e eram obrigados a pagar impostos e taxas, que variavam de região para região.
III. A Igreja forjou a mentalidade da época, reforçando o predomínio dos senhores feudais (clero e nobreza), justificando os privilégios estabelecidos e oferecendo ao povo, em troca, a promessa do paraíso.
IV. O comércio regional de matérias-primas e produtos artesanais é um reflexo da divisão do trabalho que se operou no interior da sociedade feudal.
V. A monarquia nacional garantiu durante esse período o desenvolvimento do mercantilismo e a grande concentração de trabalhadores nas oficinas.
Estão corretas apenas as afirmações
A - II, III, IV e V.
B - I, II, III e IV.
C - I, II e V.
D - III e IV.
E - IV e V.
(UEMS)- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - Questão 4: Georges Duby com sua obra As três ordens (que se tornou uma referência e hoje é corriqueiramente citada nos livros didáticos) procurou sintetizar a forma como estava dividida a sociedade feudal em: 
A - ricos e pobres.
B - os da cidade, os do campo e os estrangeiros.
C - os aristocratas, os burgueses e os operários.
D - bons e maus.
E - os que rezam, os que guerreiam e os que trabalham.

(UEM/PR) - Universidade Estadual de Maringá - Questão 5:
“Na Idade Média, o processo de produção predominante – o feudal – teve relações sociais e uma ordem política e cultural específicas.”
VICENTINO, C. História Geral. São Paulo: Scipione, 2002. p. 111.
Sobre o feudalismo na Europa Ocidental, assinale a alternativa correta: 
A - No feudalismo, a principal fonte de poder dos barões feudais se assentava nas manufaturas e nas companhias de comércio criadas e administradas por eles.
B - Politicamente, o feudalismo pode ser caracterizado como um regime amplamente democrático, no qual servos e senhores participam igualmente da direção política e econômica da sociedade.
C - O feudalismo é um sistema político e social caracterizado pela centralização do poder nas mãos do rei e pela ausência de poder nas mãos dos integrantes do clero e da nobreza.
D - O comércio e as manufaturas contribuíram para o fim do feudalismo europeu ocidental na medida em que possibilitaram a ascensão social e política do Terceiro Estado e o enfraquecimento da servidão.
E - No feudalismo, a ciência e a cultura letrada se desenvolveram fora do raio de influência da Igreja Católica e dos ensinamentos bíblicos.

(MACKENZIE/SP) - Universidade Presbiteriana Mackenzie - Questão 6:
Compreende-se feudalismo como um sitema de organização econômica, política e social, que vigorou na maior parte da Europa, entre os séculos IX e XV, e que se fundou essencialmente na propriedade da terra e nas relações de vassalagem.
Das características apresentadas abaixo, assinale aquelas que são próprias desse sistema:
I. Hierarquização da sociedade em ordens ou estados: clero, nobreza e terceiro estado.
II. Grande mobilidade social, proporcionada pelas oportunidades frequentes de enrique-cimento, sobretudo graças ao comércio.
III. Predominância do trabalho escravo sobre o servil, e recorrência ao emprego de mão-de-obra assalariada, nas épocas de crise.
IV. Relações suserano-vassálicas baseadas nos juramentos de fidelidade e obediência.
V. Atividades artesanais organizadas e regulamentadas por grêmios e corporações.
A - Apenas I, II e III.
B - Apenas I, II e IV.
C - Apenas I, IV e V.
D - Apenas III, IV e V.
E - Apenas II, III e IV.

(IFTO) - Instituto Federal do Tocantins - Questão 7: Assinale a alternativa incorreta sobre o Feudalismo: 
A - As principais características são: o retorno ao campo e o abandono do comércio como principal atividade econômica; a concentração de terras, ou o predomínio de grandes propriedades; e o predomínio do trabalho servil.
B - A estrutura política fundamentava-se na relação de suserania e vassalagem, caracterizada pela dependência e pelo compromisso de fidelidade firmado entre dois senhores.
C - A economia feudal baseava-se na atividade agrícola e a terra era o principal fator de riqueza.
D - Os servos realizavam o trabalho que sustentava a estrutura feudal e estavam presos à terra em que viviam. Pagavam diversos e pesados impostos, como a corveia, talha, tostão de Pedro, banalidades e o quinto.
E - A sociedade era composta por dois grupos: os proprietários e os trabalhadores que, em geral, eram servos da gleba.

(UNIR/RO) - Fundação Universidade Federal de Rondônia - Questão 8:
A figura abaixo mostra os principais grupos sociais existentes no Ocidente feudal.

A partir da ilustração e de seus conhecimentos, assinale a afirmativa correta.
A - A base da sociedade feudal eram os camponeses que, com seu trabalho, sustentavam os clérigos e os senhores feudais.
B - A Igreja, no seu papel de defensora dos mais pobres, combatia os abusos dos senhores feudais em relação aos camponeses.
C - A cavalaria, que tinha a função de proteger a sociedade, era a principal aliada dos camponeses que lutavam contra os poderes eclesiásticos.
D - O rei atuava no sentido de minimizar os conflitos entre a Igreja e a cavalaria.
E - Os principais grupos sociais do Feudalismo eram os burgueses, os clérigos e os cavaleiros.

(UFG/GO) - Universidade Federal de Goiás - Questão 9:
Na Baixa Idade Média (séc. XI-XV), o juramento de fidelidade e reciprocidade compunha um ritual que estabelecia uma associação central para a constituição do Feudalismo, que se caracteriza
A - pelo estabelecimento de uma autoridade equânime sobre o feudo, por parte do senhor e do servo.
B - pela defesa do cristianismo por parte do senhor feudal, ameaçado pelas guerras religiosas.
C - pelo acordo entre os membros da nobreza senhorial, que assegurava um pacto hierárquico.
D - pela manutenção dos princípios do Direito Romano, que reforçavam os laços de parentesco nos feudos.
E - pela proteção do senhor feudal aos desvalidos, que estavam expostos às epidemias recorrentes.

(UFRN/RN) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - Questão 10:
As imagens e o fragmento textual a seguir abordam elementos essenciais do feudalismo medieval.
Figura 1 – Camponês arando a terra

Figura 2 – Relações de suserania e vassalagem

“O feudalismo foi constituído pela articulação entre dois eixos de relações: as relações feudo-vassálicas e as relações servis de produção. As relações feudo-vassálicas estabeleciam-se entre membros da aristocracia militar e territorial e baseavam-se no feudo, na fidelidade e na reciprocidade. As relações servis de produção estabeleciam-se entre o senhor da terra e o trabalhador e estavam baseadas na desigualdade de condições e na exploração do trabalho.”
PEDRO, Antonio; LIMA, Lizânias de Souza; CARVALHO, Yvone de. História do mundo ocidental: ensino médio. São Paulo: FTD, 2005. p. 97.
A partir da análise das imagens e do fragmento textual, sobre a sociedade medieval na Europa Ocidental é correto afirmar:
A - A reciprocidade típica das relações entre suseranos e vassalos também estava presente nas relações servis de produção, devido às desigualdades sociais existentes entre nobres e servos.
B - As relações de produção predominantes no mundo feudal estavam assentadas na exploração do trabalho dos vilões, que viviam nas comunas, base política e econômica de suseranos e vassalos.
C - As relações servis de produção adquiriram importância e serviram de sustentáculo para a manutenção da aristocracia feudal, no interior da qual se estabeleceram relações de suserania e de vassalagem.
D - O desenvolvimento das relações servis de produção, graças a sua alta produtividade no final do período medieval, reforçou, ainda mais, os vínculos entre suseranos e vassalos em toda a Europa.

(UCS/RS) - Universidade de Caxias do Sul - Questão 11:
A servidão e a vassalagem constituem as duas instituições fundamentais do sistema feudal, tal como ele se formou e se desenvolveu na Idade Média Ocidental.
Considere as seguintes afirmativas sobre a origem e o funcionamento da servidão e da vassalagem.
I. A servidão consistia no vínculo do camponês à propriedade e na sua submissão aos senhores feudais, consubstanciada no pagamento de tributos e obrigações.
II. A origem da servidão remonta à crise do escravismo antigo, ocorrida na fase final do Império Romano (séculos III-V), quando gradualmente o trabalho escravo foi substituído pelo colonato (exploração do trabalho em troca de subsistência e proteção militar).
III. Originária das relações militares germânicas baseadas na lealdade pessoal (“comitatus”), a vassalagem era um vínculo entre nobres em que um deles (o suserano) concedia um feudo a outro (o vassalo), que, em troca, devia prestar-lhe ajuda militar (“auxilium”) e participar dos tribunais feudais (“concilium”), entre outras obrigações (que poderiam incluir, por exemplo, o pagamento do resgate do suserano, se ele fosse capturado em guerra).
Das afirmativas acima, pode-se dizer que
A - apenas I está correta.
B - apenas II está correta.
C - I e II estão corretas.
D - II e III estão corretas.
E - I, II e III estão corretas.

(UFRGS) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Questão 12:
Uma das características do sistema feudal foi
A - a conquista da terra pelo camponês, incluindo o direito de propriedade sobre ela.
B - a existência de uma economia monetária, ligada à aceleração do comércio entre as diversas regiões.
C - o despovoamento dos campos, em razão da fuga dos camponeses para as cidades provocada pelo agravamento do 
Nível de exigência no trabalho.
D - a pluralidade, a descentralização e a fragmentação do poder político.
E - o confisco dos bens da Igreja e a concentração da riqueza nos grandes proprietários.

(FUVEST/SP) - Fundação Universitária para o Vestibular - Questão 13:
“A instituição das corveias variava de acordo com os domínios senhoriais, e, no interior de cada um, de acordo com o estatuto jurídico dos camponeses, ou de seus mansos [parcelas de terra].”
Marc Bloch. Os caracteres originais da França rural, 1952.
Esta frase sobre o feudalismo trata
A - da vassalagem.
B - do colonato.
C - do comitatus.
D - da servidão.
E - da guilda.

(UFRR/RR) - Universidade Federal de Roraima - Questão 14:
Com a decadência do Império Romano, a Europa se ruralizou. As atividades comerciais estavam reduzidas e concentradas em algumas regiões. O poder político estava pulverizado nas mãos de nobres e de proprietários rurais, que também controlavam os exércitos locais, as fortificações e os castelos. Na Europa feudal a vida girava em torno da grande propriedade rural, o feudo, que tendia para a autossuficiência, tendo em vista que produzia quase tudo que precisava. Sobre o Feudalismo é correto afirmar:
A - Na sociedade feudal os servos, como os escravos, não tinham qualquer direito, viviam presos à terra e dela não podiam sair.
B - O Feudalismo desenvolveu-se da mesma forma e com as mesmas características em toda a Europa.
C - Na época feudal, a Igreja era uma instituição fraca, pois não tinha uma influência significativa nas relações entre senhores e servos.
D - A sociedade feudal era estamental, ou seja, era fundamentada na origem e nas funções sociais exercidas pelas pessoas.
E - Ainda que o poder local fosse controlado pela nobreza, no sistema feudal a autoridade absoluta era exercida pelo rei.

(UNAMA/PA) - Universidade da Amazônia - Questão 15:
Feudo é um termo que possivelmente veio do latim (feodum, ou do latim vulgar feudum). Ele designa a terra que o senhor feudal outorgava a seus servos ou vassalos em contrato de vassalagem. Por este contrato, comum no mundo feudal europeu da Idade Média, as obrigações eram:
A - desiguais, pois o vassalo poderia plantar e ter proteção na terra feudal, em contrapartida devia cumprir uma série de obrigações como a corveia, a talha e deveres militares e de hospitalidade para com os nobres, tornando-se seu servo.
B - parcialmente desiguais, pois os servos moravam nas terras senhoriais, pagavam impostos e deviam obrigações aos senhores, mas estavam livres para trocarem de senhores caso ocorressem abusos dos donos das terras.
C - relativamente igualitárias, porque – tanto os senhores se beneficiavam com o trabalho e impostos dos servos – como estes recebiam terra de graça, roupa, alimentos e proteção senhorial em uma relação de trabalho livre.
D - desigual e de trabalho obrigatório e gratuito do servo para com o senhor feudal, já que este vassalo não apenas pagava impostos e tinha obrigações como a corveia, mas era tido como escravo ou propriedade de seu senhorio.

(UEPA) - Universidade do Estado do Pará - Questão 16:
Ao compararmos as condições de trabalho de servos e vilões, vigentes no sistema socioeconômico feudal da Idade Média da Europa Ocidental, destaca-se, como elemento diferenciador entre ambos:
A - o fato dos vilões serem pequenos proprietários de terras, mesmo que mantendo algumas obrigações para com os senhores feudais, mas sendo esta relação diferente da condição dos servos como camponeses presos à terra concedida pelo senhor feudal.
B - o livre acesso dos vilões às terras comunais, enquanto que aos servos era estritamente proibido o seu uso, por conta das obrigações assumidas do servo para com o senhor feudal.
C - a presença dos vilões como um fator de desequilíbrio do ordenamento estamental feudal, na medida em que se impunham como exemplos de camponeses livres frente à situação de obrigação/obediência do servo em relação ao senhor feudal.
D - a condição de escravidão a que estavam submetidos os servos nos ambientes domésticos dos senhores feudais, diferenciada da situação de trabalho livre dos camponeses vilões.
E - a relação de vassalagem exclusiva dos servos em relação aos senhores proprietários de terra, enquanto os vilões permaneciam como camponeses livres.

(UEPA) - Universidade do Estado do Pará - Questão 17:
“Voltei no tempo, presenciava cenas medievais. Ao fundo dessa paisagem, campos agrícolas [...] e pasmem, agricultores lavrando a terra com arados manuais [...]”.
Adaptado de www.venturas.com.br/destinos/diadia.eviajante.uol.com.br/diamong.htm. (diário de um mochileiro).

O cenário acima se relaciona com a descrição da paisagem medieval narrada pelo mochileiro, no excerto acima, na medida em que:
A - recria o cenário descrito no diário, inserindo-o na paisagem natural do medievo, caracterizada pela utilização maciça do arado manual e presença dominante da mão de obra feminina no campo de cultivo.
B - se refere à descrição dos trabalhadores, do arado manual, que auxiliava os camponeses no plantio e cultivo em feudos medievais pertencentes aos servos da gleba.
C - ela completa as informações sobre o cenário medieval, contrastando as condições rudimentares do trabalho dos camponeses com as construções arquitetônicas da época.
D - os trabalhadores aparecem arando a terra sem o arado manual, o que indica a inexistência desse tipo de instrumento de trabalho na sociedade medieval.
E - destaca trabalhadores realizando atividades agrícolas com técnicas e instrumentos rudimentares associando-as a um cenário exclusivamente medieval.

(UFT/TO) - Universidade Federal do Tocantins - Questão 18:
Em relação ao feudalismo, assinale a alternativa errada:
A - Na economia feudal a terra era a principal fonte de riqueza. Tudo que era produzido nos feudos era destinado ao consumo imediato.
B - Sistema econômico, social e político que caracterizou boa parte da vida europeia no período medieval, alcançou grande expressão entre os séculos IX e XIII.
C - Nesse sistema, a sociedade era estratificada, isto é, composta de estratos (camadas sociais), onde a mobilidade de uma classe para outra era extremamente difícil.
D - O sistema feudal entrou em crise, de fato, no século XIV, quando observamos a chamada peste negra e a gripe espanhola, que levaram à morte praticamente 1/3 da população europeia, forçando a passagem para a idade moderna.
E - Na sociedade feudal, os laços entre o suserano e o vassalo eram celebrados por meio da homenagem.

(UFAL) - Universidade Federal de Alagoas - Questão 19:
Considere a ilustração abaixo.

In: SERIACOPI, Gislene Campos Azevedo e Reinaldo. História – Vol. único. São Paulo: Ática, 2005 p. 110.
A ilustração acima revela aspectos marcantes de um determinado contexto histórico. Com base no seu conhecimento e na ilustração, pode-se afirmar que se trata de uma
A - comunidade classista com possibilidade de ascensão social.
B - sociedade feudal baseada na existência de dois grupos (senhores e servos) caracterizada como estamental.
C - sociedade dividida em castas, permitindo a mobilidade social.
D - comunidade na qual os senhores deviam obrigações aos servos.
E - sociedade primitiva na qual o poder era exercido pelos anciãos.

(UNCISAL/AL) - Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - Questão 20:
Assinale a alternativa que caracteriza corretamente a sociedade feudal.
A - Havia uma grande mobilidade social, apesar das rígidas tradições e vínculos jurídicos determinando a posição social de cada indivíduo.
B - Os suseranos deviam várias obrigações aos seus vassalos, por exemplo, o serviço militar.
C - A honra e a palavra tinham importância fundamental, sendo os senhores feudais ligados por um complexo sistema de obrigações e tradições.
D - Os servos, como os escravos, não tinham direito à própria vida, viviam presos à terra e eram vendidos para membros do clero e senhores feudais.
E - Os vilões constituíam maior parcela da população e procuravam por outros senhores mais poderosos, jurando-lhes fidelidade e obediência.

GABARITO:
questão 1: C - questão 2: E - questão 3: B - questão 4: E - questão 5: D - questão 6: C - questão 7: B - questão 8: A - questão 9: C - questão 10: C - questão 11: E - questão 12: D - questão 13: D - questão 14: D - questão 15: A - questão 16: C - questão 17: E - questão 18: D - questão 19: B - questão 20: C


Cruzadas

(UFAL) - Universidade Federal de Alagoas - Questão 1:
As Cruzadas misturavam interesses econômicos com interesses religiosos e não alcançaram o resultado esperado pelas suas lideranças. De fato, elas serviram para:
A - aprofundar a crise do feudalismo, contribuindo para destruir suas bases sociais e econômicas.
B - dificultar o comércio entre Oriente e Ocidente, provocando guerras constantes entre bizantinos e muçulmanos.
C - enfraquecer o poder econômico das cidades italianas, renovando práticas religiosas do catolicismo menos solidárias.
D - fragmentar o poder da Igreja Católica, abrindo espaço social para o surgimento das monarquias constitucionais.
E - consolidar a grande propriedade rural, prejudicando a vida urbana e as mudanças no comércio.

(UEPA) - Universidade do Estado do Pará - Questão 2:
Texto 1
“Os astecas acreditavam no mito de que, sem o sangue humano (a “água preciosa”) oferecido ao Sol, a engrenagem do mundo deixava de funcionar. Por isso, procuravam manter um ‘estoque’ de prisioneiros destinados aos sacrifícios. Essa era uma de suas justificativas para a guerra.”
(FIGUEIRA, Divalte Garcia. História. Série Novo Ensino Médio. São Paulo: Ática, 2004, p. 131)
Texto 2
“No final do século XI, a ordem feudal sofreu outro impacto de grandes proporções: as cruzadas, expedições de caráter religioso e militar destinadas a arrancar a Terra Santa das mãos dos muçulmanos”
(FIGUEIRA, Divalte Garcia. História. Série Novo Ensino Médio. São Paulo: Ática, 2004, p. 89)
Os textos 1 e 2 evidenciam:
A - formas opostas de devoção de sua religiosidade, visto que as sociedades europeias não utilizaram a guerra como prática de conversão de outros povos como os Astecas usavam.
B - entre os povos pré-colombianos, como os Astecas, o sacrifício humano como uma prática comum, o que não ocorria nas sociedades europeias da Antiguidade e da Idade Média.
C - tanto na sociedade asteca como na sociedade europeia do medievo, o uso de práticas mágico-religiosas para converter povos de outras religiões.
D - formas de conversão das populações que viviam no entorno das sociedades citadas, pelo mecanismo da ação armada.
E - ações de violência relacionadas com crenças religiosas em mundos geográfico e culturalmente diversos, na Europa e na América.

(UFMA) - Universidade Federal do Maranhão - Questão 3:
“Perante a assembleia atenta, o rei de França, Felipe Augusto, voltou-se para um amigo barão: ‘– Ouviste o que me disseram? – O que lhe disseram, Alteza? – Por minha fé, vieram-me dizer que Guilherme Marechal está enterrado... Em nosso tempo não houve em lugar algum melhor cavaleiro. – O que dizes? – Afirmo que jamais conheci melhor cavaleiro que ele em toda a minha vida’...
Escorada nas proezas, sustentada de um lado pela lealdade, de outro pela prudência, aqui temos a cavalaria, a mais exaltada ordem que Deus criou. Nesse tribunal de valor e valentia reunido em torno do rei, primeiro lugar-tenente de Deus na terra, Guilherme Marechal, mais valoroso, mais leal e mais sábio, foi assim proclamado o melhor cavaleiro do mundo”.
(Adaptado de: DUBY, Georges. Guilherme Marechal ou o melhor cavaleiro do mundo. Rio de Janeiro, Edições Graal, 1987, p. 36-8).
Sobre a sociedade e a cultura da cavalaria, no Ocidente medieval, são corretas as afirmações:
I) A vassalagem era constituída por uma série de obrigações dos cavaleiros para com os senhores feudais, tais como a corveia, a talha e a homenagem.
II) Em uma sociedade militarizada, a moral da cavalaria exaltava valores como: a fidelidade ao suserano, a coragem em combate e a defesa do cristianismo.
III) As ordens de cavalaria foram fundamentais no movimento das Cruzadas, que combateu o domínio muçulmano em Jerusalém e estimulou o comércio no Mar Mediterrâneo.
IV) O processo de centralização do poder, justificado pela teoria de direito divino, foi favorecido pela aliança entre a monarquia e a cavalaria.
V) A poesia épica e o trovadorismo retratavam uma sociedade feudal guerreira, a exemplo do livro Dom Quixote que cavaleiros exaltavam os feitos heróicos dos cavaleiros.
A - II e III
B -  I e II
C - I, III e V
D - II, IV e V
E - III, IV e V

(UTFPR/PR) Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Questão 4:
As Cruzadas são tradicionalmente definidas como expedições de caráter “militar” organizadas pela Igreja, para combater os inimigos do cristianismo e libertarem a Terra Santa (Jerusalém) das mãos desses infiéis. O movimento estendeu-se desde os fins do século XI até meados do século XIII. Sobre esse assunto, assinale a alternativa INCORRETA.
A - O termo Cruzadas passou a designar esse movimento em virtude de seus adeptos serem identificados pelo símbolo da cruz bordado em suas vestes.
B - As peregrinações em direção a Jerusalém, assim como as lutas travadas contra os muçulmanos na Península Ibérica e contra os hereges em toda a Europa Ocidental, foram justificadas e legitimadas pela Igreja.
C - O movimento cruzadista foi motivado pelo predomínio da Igreja sobre o comportamento do homem medieval.
D - Muitos nobres passaram a encarar as expedições à Terra Santa como uma real possibilidade de ampliar seus domínios territoriais.
E - As Cruzadas Medievais foram um conjunto de fatos isolados e em nada influenciaram a superação da crise que se instalava na sociedade feudal durante a Idade Média.

(UFRN/RN) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - Questão 5:
Em 1095, atendendo ao apelo do papa Urbano II para que iniciassem uma guerra contra os muçulmanos, os nobres cristãos, motivados por ideais religiosos e econômicos, organizaram as Cruzadas.
Considerando-se o conjunto dessas expedições, que se prolongaram até 1270, pode-se destacar como uma de suas consequências:
A - o enfraquecimento do comércio italiano no Mar Mediterrâneo, em razão da insegurança e dos perigos gerados pelos conflitos militares.
B - o fortalecimento da autoridade dos senhores feudais, cujas finanças foram consolidadas com a exploração dos territórios do Oriente.
C -  a difusão e a assimilação da cultura germânica pelo Império Bizantino, alterando significativamente o modo de viver dos povos orientais.
D - a ampliação do universo cultural dos povos europeus, possibilitada pelo contato com a rica cultura dos povos orientais.

(UPE) - Universidade de Pernambuco - Questão 6: As lutas decorrentes das Cruzadas mostraram não somente o fanatismo religioso, mas também afirmaram a importância de interesses econômicos. As Cruzadas economicamente: 
A - fortaleceram o poder de Constantinopla, enfraquecendo o comércio europeu durante a Idade Média. 
B - mantiveram as mesmas rotas comerciais do Império Romano, gerando prejuízos para os comerciantes.
C - acabaram com o comércio nas grandes cidades europeias, fortalecendo o feudalismo.
D - diminuíram bastante o prestígio comercial de Constantinopla, fortalecendo o comércio no Mediterrâneo.
E - consolidaram o poder da burguesia francesa, interessada em derrotar os comerciantes italianos.

(UEMS)- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - Questão 7: Poderosas causas econômicas e políticas interferiram nas expedições das Cruzadas que se destinaram ao Oriente, com a finalidade de libertar o
Santo Sepulcro. Os filhos não-primogênitos dos nobres viram, nas Cruzadas, as perspectivas de: 
A - tornarem-se senhores no Ocidente, descrito num discurso feito pelo papa Urbano III em Clemont, como “uma terra mais que todas frutíferas como um novo paraíso de prazeres”;
B - tomar dos senhores no Oriente o papa Urbano II em Clivemont uma terra frutífera que é um paraíso de prazeres;
C - tornarem-se senhores no Ocidente, conforme o descrito num discurso feito pelo papa Urbano VI em Clemont, como “uma terra mais que todas frutíferas como um novo paraíso de prazeres”;'
D - tornarem-se senhores no Oriente, descrito num discurso feito pelo papa Urbano II em Clemont, como “uma terra mais que todas frutíferas como um novo paraíso de prazeres”;
E - tomar posse das terras descritas pelo papa Willians II em Clevimont, como “uma terra mais que todas frutífera como um novo paraíso de prazeres”.

(UFES) - Universidade Federal do Espírito Santo - Questão 8:

Na Idade Média havia, para além das fronteiras da Cristandade, diversos povos pagãos, bem como “infiéis” muçulmanos, que controlavam a Terra Santa. Desse modo, não havia, para o cristão medieval, maior prova de fé do que enfrentar tais inimigos. [...] Muitos cristãos dirigiam-se à Terra Santa para conhecer e adorar a região onde Cristo teria vivido. Outros, participantes de verdadeiras peregrinações armadas, as Cruzadas, procuraram conquistar pela força das armas os lugares desejados pela fé.
(CAMPOS, F. & MIRANDA, R. G. A escrita da História. São Paulo: Escala Educacional, 2005, p. 125-126. Adaptado.)
Com relação ao movimento das Cruzadas, É CORRETO afirmar que:
A - foi instituído por iniciativa do Papa Gregório VII, preocupado com o avanço dos árabes nos Pirineus.
B - foi o mais importante movimento herético católico do final do século XIV depois da Reforma Protestante.
C - trouxe para o interior da Europa populações empobrecidas e marginalizadas que participaram de revoltas populares e heresias.
D - teve, como um dos seus desdobramentos, a Cruzada Popular, que reunia, principalmente, cavaleiros da pequena nobreza e camponeses.
E - propiciou a queda de Constantinopla diante dos Otomanos, ao permitir que os territórios de Bizâncio fossem administrados por europeus, árabes e turcos.

(UNIFOR/CE) - Universidade de Fortaleza - Questão 9:
Leia atentamente o trecho a seguir:
Deixai os que outrora estavam acostumados a se baterem, impiedosamente, contra os fiéis, em guerras particulares, lutarem contra os infiéis (...) Deixai os que aqui foram ladrões, tornarem-se soldados. Deixai aqueles que outrora se bateram contra seus irmãos e parentes, lutarem agora contra os bárbaros, como devem. Deixai os que outrora foram mercenários, a baixos salários, receberem agora a recompensa eterna. (...)
Papa Urbano II, em Clermont, França, em 1095. In Leo Huberman. História da riqueza do homem. Trad. São Paulo: Zahar, 1984. p. 28
O Papa Urbano II, no Concílio de Clermont, convocou os cristãos a retornarem à Terra Santa, ocupada pelos muçulmanos, dando origem:
A - às expedições militares motivadas exclusivamente pelo sentimento religioso de retomar as terras da cristandade aos infiéis;
B - ao movimento da cristandade em direção ao Oriente unicamente para estabelecer relações comerciais com os muçulmanos;
C - às expedições regiliosas da Igreja Bizantina para manter contato mais próximo com os muçulmanos, importantes para o controle da região;
D - às expedições cristãs empreendidas contra os muçulmanos, motivadas pelo fervor religioso, conquistas territoriais e interesses comerciais;
E - às expedições cristãs organizadas pela Igreja com o intuito de conquistar terras e fortuna para a nobreza do Império Bizantino.

(UFPE) - Universidade Federal de Pernambuco - Questão 10:
Analise as afirmativas abaixo relacionadas com a existência das Cruzadas:
1) As Cruzadas eram expedições organizadas pelos senhores feudais, com a finalidade de reativar a vida nos feudos.
2) As Cruzadas, expedições marcadas por interesses religiosos e econômicos, contavam com a participação da Igreja Católica.
3) As Cruzadas não trouxeram contribuições para a economia no Ocidente, pois criaram conflitos inexpressivos e exarcebaram o fanatismo religioso.
4) A participação da população pobre nas Cruzadas foi significativa e aponta para um dos momentos de crise do sistema feudal.
5) Os lucros dos nobres nas Cruzadas contribuíram para revitalizar a economia feudal, com a adoção do trabalho assalariado.
Está(ão) correta(s):
A - 1, 2, 3, 4 e 5;
B - 2 e 4 apenas;
C - 5 apenas;
D - 2 e 3 apenas;
E - 1 apenas.

(UFC) - Universidade Federal do Ceará - Questão 11: “(...) Por volta do ano de 1010, começaram a circular rumores no Ocidente de que, sob a instigação dos judeus, os sarracenos tinham causado a destruição do Santo Sepulcro e decapitado o patriarca de Jerusalém (...) Então, na esteira da cruzada proclamada pelo Papa Urbano II no Concílio de Clermont em 1095, foi engendrada uma atmosfera de histeria religiosa...”
RICHARDS, Jeffrey. Sexo, desvio e danação: as minorias na Idade Média. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1993. p. 97)
A partir do texto e considerando os objetivos das Cruzadas, assinale a alternativa que corresponde à relação entre a Igreja Católica e os judeus na Idade Média: 
A - Uma colaboração recíproca, pois os judeus eram considerados fiéis observadores da fé e dos ritos cristãos.
B - Uma ação conjunta em defesa da Terra Santa, uma vez que os judeus participaram como bravos combatentes nas Primeiras Cruzadas.
C - Uma aproximação entre judeus e cristãos em virtude da prática da usura, defendida arduamente pela Igreja medieval.
D - Uma grande hostilidade, pois a Igreja, no século XI, buscou cristianizar o mundo e muitas comunidades judaicas, sob a acusação de adoradores do Diabo, foram perseguidas e exterminadas.
E - Uma relação econômica, pois a Guerra Santa foi sistematicamente financiada por grupos judeus dispostos a contribuir com a expansão do cristianismo.

(ULBRA/RS) - Universidade Luterana do Brasil - Questão 12:
No filme "O Incrível Exército de Brancaleone", é produzida uma imagem interessante e hilária da Idade Média europeia, apresentando cenas das cruzadas, da peste negra e sobre a formação dos nobres. Partindo dos conhecimentos específicos de Idade Média, podemos destacar que:
I. as cruzadas tinham como argumento a libertação da terra santa, que estava em poder dos mouros, porém despertava interesses econômicos quanto à possibilidade de um desenvolvimento do comércio;
II. a peste negra dizimou quase 1/3 da população européia e teve origem, principalmente nos burgos, nos hábitos de higiene do homem medieval;
III. os nobres representavam um segmento dominante e construíram com os servos um conjunto de obrigações recíprocas.
Assinale a alternativa correta:
A - Apenas a proposição I está correta.
B - Apenas as proposições I e II estão corretas.
C - Apenas as proposições I e III estão corretas.
D - Apenas as proposições II e III estão corretas.
E - As proposições I, II e III estão corretas.

(UnB/DF) - Universidade de Brasília - Questão 13: As Cruzadas tiveram conseqüências importantes, entre elas: 
A - a centralização da administração e da justiça em mãos dos senhores feudais;
B - o êxito das expedições em defesa da Terra Santa;
C - o fortalecimento do domínio feudal na esfera econômica;
D - o restabelecimento das rotas comerciais territoriais e marítimas entre o Ocidente e Oriente;
E - decadência da burguesia que não retomou seus investimentos no movimento cruzadista.
Não definida - Questão 14: Expedições militares que existiram no final da Idade Média e que pretendiam barrar o avanço muçulmano em direção ao Ocidente: 
A - Renascimento Comercial e Urbano;
B - Cruzadas;
C - Revolução Agrícola;
D - Feiras medievais;
E - Confrarias.

(UFRGS) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Questão 15:
Considere os trechos a seguir, extraídos de documentos históricos redigidos, respectivamente, por um cristão e um muçulmano a respeito da Conquista de Jerusalém em 1099, no contexto da Primeira Cruzada.
Texto 1
"Na sexta-feira (15/07) de madrugada, organizamos um assalto geral à cidade sem poder tomá-la (...). Nesse momento, um dos nossos cavaleiros, chamado Lietaud, escalou as muralhas. Então, desde que ele subiu, todos os defensores fugiram dos muros para o meio da cidade, e os nossos os perseguiram, matando-os e golpeando-os, até o Templo de Salomão, onde houve uma tal carnificina que os nossos marcharam em seu sangue até os calcanhares."
Gesta Francorum et Alforum Hierosolimitanorun. Paris: Librairie Ancienne Honoré Champion, 1924. p. 202.
Texto 2
"A população foi passada ao fio da espada e os francos massacraram os sarracenos da cidade durante uma semana. Na mesquita al-Aqsa (...), os francos massacraram mais de setenta mil pessoas, entre as quais uma grande multidão de imãs e de doutores sarracenos, devotos e ascetas que tinham deixado suas terras para viver vida piedosa retirados nesses lugares santos."
IBN AL-ATHIR. In: GABRIELI, F. Chroniques arabes des croisades. Paris: Sindbad. a 1972, p. 62.
A partir da leitura dos textos e do contexto histórico, é possível concluir que:
I. O ataque a Jerusalém foi contra os muçulmanos, uma vez que a cidade estava sob seu domínio;
II. A população que se encontrava na cidade, por ocasião do assalto, era composta de guerreiros;
III. A população que buscou abrigo em templos religiosos foi poupada da fúria dos invasores.
Quais estão corretas?
A - apenas I
B - Apenas II
C - Apenas III
D - Apenas II e III
E - I, II e III

GABARITO:
questão 1: A - questão 2: E - questão 3: A - questão 4: E - questão 5: D - questão 6: D - questão 7: D - questão 8: D - questão 9: D - questão 10: B - questão 11: D - questão 12: E - questão 13: D - questão 14: B - questão 15: A


Igreja

(UFRGS) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Questão 1:
Sobre a Igreja medieval, considere as seguintes afirmativas:
I. Seus membros eram os principais detentores do saber escrito e, por isso, controlavam o ensino formal;
II. Com o intuito de manter-se soberana nos assuntos espirituais, a Igreja passou a perseguir os hereges usando de expedientes como a excomunhão e o Tribunal do Santo Ofício ou Inquisição;
III. O corpo da Igreja estava dividido em duas partes: o clero secular, que vivia em reclusão e era formado por monges e abades; e o clero regular, composto pelo Papa, arcebispos, bispos, abades e sacerdotes, os quais desenvolviam atividades voltadas para o público;
IV. Além do poder espiritual, a Igreja detinha grande poder material, acumulado graças às doações feitas por fervorosos fiéis interessados em escapar da condenação divina.
Assinale a alternativa correta:
A - Apenas I e III são verdadeiras.
B - Apenas III e IV são verdadeiras.
C - Apenas I e IV são verdadeiras.
D - Apenas II e III são verdadeiras.
E - Apenas I, II e IV são verdadeiras.

(UFRR/RR) - Universidade Federal de Roraima - Questão 2:
O DIABO E A PEDAGOGIA DO TERROR.
“Para melhor ensinar o caminho da virtude, os padres e pregadores instituíram junto aos fiéis sobre os perigos que rondavam o mundo, associando-o com o diabo. A figura do diabo, aliás, tornou-se bastante importante como instrumento pedagógico. Era o ensinamento pelo medo. Os pregadores incentivavam as pessoas a pensar que estivessem continuamente entre uma guerra inacabável entre as forças do bem e do mal e, para melhor ensinar a lição, reforçavam as cores na figura do criador das tentações, no príncipe de mil disfarces, naquele que a todo instante poderia fazer a alma cair em tentação”.
(Carlos Roberto F. Nogueira. O diabo no imaginário cristão. (Série princípios.). São Paulo: Ática, 1986, PP. 53-54. In: MACEDO, José Rivair; OLIVEIRA, Mariley W. Uma história em construção. São Paulo: Ática, 2001.(volume 3, p.155).
Características básicas da sociedade medieval:
A - Apenas os servos eram guiados pelo mundo maravilhoso dos símbolos, das crenças e ritos religiosos.
B - Maniqueístas, estava sempre entre dois mundos: o do bem, das virtudes - o de Deus e o do mal, das tentações e disfarces do Diabo.
C - A Igreja detinha o poder: suas orientações estavam presentes em todos os atos da vida medieval, instituindo rituais, liturgias, bênçãos e exorcismo, mas sempre respeitou os excluídos da Idade Média.
D - Permitia ascensão social, todos(as) tinham direito de conquistar uma posição social melhor.
E - Maniqueísta, hierárquica e materialista.

(UNAMA/PA) - Universidade da Amazônia - Questão 3:
As heresias nasceram com o cristianismo, todavia, no contexto do final da Idade Média, com a Reforma e a Contrarreforma religiosa, os papas cristãos estabeleceram regras rigorosas de conceituar e punir os diversos casos de heresia, criando inclusive um tribunal específico para isto: o tribunal da inquisição. Juridicamente, a inquisição e a Igreja Católica julgavam heréticos os:
A - cristãos recém-convertidos, os pobres e camponeses que não sabiam rezar de acordo com os preceitos da alta hierarquia católica, os maçons e os adeptos de seitas como os anabatistas e os arianos.
B - que acreditavam em crenças não católicas como os mulçumanos, os judeus e os protestantes de todos os tipos. Internamente, contudo, a Igreja Católica era bastante tolerante com suas várias tendências.
C - que corrompiam os sacramentos, os excomungados, aqueles que comentavam a bíblia de forma diferente dos que estabeleciam os cânones católicos e os que fundavam ou seguiam outras seitas e/ou religiões.
D - que compreendiam a fé de forma diferente do Papa, os que acreditavam apenas em Deus, mas não nos santos e santas católicos e aqueles que não sabiam ler nem escrever e assim, não poderiam ler a bíblia, condição primordial para se tornar um bom católico.

(UFAM) - Universidade Federal do Amazonas - Questão 4:
“Afirmar que a Igreja é a instituição dominante da sociedade feudal não quer dizer que ela não se defronte com nenhuma contestação, nem que seu poder seja ilimitado. Ao contrário, além das tensões internas que a animam, a instituição eclesial afronta, em sua obra de dominação, hostilidades silenciosas e rebeliões abertas... Percebe-se que toda ordem tem necessidade de contestações e de desordens para melhor impor sua legitimidade (a ponto de forjá-las se não as encontra à sua altura)”.
BACHET, Jerôme. A Civilização Feudal. Do Ano Mil à Colonização da América.
O historiador Jerôme Bachet está se referindo aos movimentos heréticos que eclodiram no Ocidente Europeu, no período da Baixa Idade Média. Dentre as heresias citadas abaixo, apenas uma está relacionada a este período. Assinale-a:
A - Arianismo (heresia que negava a divindade de Jesus Cristo).
B - Monofisismo (heresia que negava a natureza humana de Jesus Cristo).
C - Catarismo (heresia dualista que pregava o ascetismo, bem como o afastamento das riquezas e prazeres mundanos).
D - Nestorianismo (heresia que condenava a ideia de que Maria fosse a Mãe de Deus).
E - Pelagianismo (heresia que enfatizava o livre-arbítrio em relação ao pecado original).

(UFT/TO) - Universidade Federal do Tocantins - Questão 5:
A captura de feiticeiras era muito fácil e raramente se aplicavam torturas para obter confissões. A maioria era composta de mulheres alienadas mentais. Diziam que se metamorfoseavam em animais. As italianas frequentemente se transformavam em gatos a deslizar pelas portas no âmbito de sugar o sangue das crianças [...] Todas foram queimadas. Algumas afirmaram ter se entregado ao Diabo, mas descobria-se que eram virgens. Também foram queimadas. Tudo era loucura, furor. Uma inglesa, lançada à fogueira, gritou ao povo: “Não acusem meu juiz. Eu mesma desejei minha perdição. Meus pais partiram para longe horrorizados. Meu marido me repudiou, jamais serei readmitida na vida porque sou uma desonrada. Eu queria morrer! Eu menti.”
MICHELET, Jules. A Feiticeira. São Paulo: Círculo do Livro, 1989, p.124-125.
Com base no texto, considere as afirmações abaixo: 
I. A multiplicação das heresias na Baixa Idade Média foi um sintoma do apogeu da ordem feudal, demonstrando que a igreja atendia às necessidades espirituais e materiais de amplos setores da população.
II. Muitas mulheres suspeitas de heresias foram perseguidas pela igreja como bruxas ou feiticeiras. Entretanto, o imaginário sexual perverso, implícito na ideia de feitiçaria não teve influências no julgamento e nem tão pouco colaborou para dar aos heréticos uma imagem de depravação.
III. Pessoas acusadas de heresia ou bruxaria eram julgadas pelo Tribunal de Inquisição, instituído no século XIII com a finalidade de investigar e punir os crimes contra a Coroa.
IV. A insatisfação com relação ao comportamento do clero favoreceu o aparecimento de doutrinas contrárias aos ensinamentos da igreja, as chamadas heresias. Nos séculos XII e XIII proliferaram movimentos heréticos especialmente na França, que atraíram as populações humildes.
V. As pessoas acusadas de heresias eram presas, submetidas a interrogatórios e submetidas a torturas cruéis. Quem fosse considerado herético ou adepto à bruxaria poderia ter seus bens confiscados e ser condenado à fogueira.
Assinale as alternativas contendo apenas as afirmações INCORRETAS em relação ao texto de Jules Michelet: 
A - I, II, IV, e V
B - I, III e IV
C - I, II e III. 
D - II, III e IV
E - I, III, IV e V

(UEPB) - Universidade Estadual da Paraíba - Questão 6:
A reforma gregoriana, implementada pelo papa Gregório VII (1073-1085), teve como principais pontos a serem combatidos
A - o nicolaísmo e a simonia.
B - as indulgências e as mendicâncias.
C - os valdenses e o nicolaísmo.
D -  as indulgências e a simonia.
E - os albigenses e os valdenses.

(UFCG/PB) - Universidade Federal de Campina Grande - Questão 7:
“Desde a época romântica, continuada pela literatura e pelo cinema fantástico até a história em quadrinhos contemporânea, os fantasmas fazem parte do cenário obrigatório da Idade Média tal como gostamos de imaginá-la. Uma Idade Média de castelos mal-assombrados, de dragões, de fantasmas ou mesmo de vampiros. Nem tudo é falso nessa imagem não obstante fácil demais: em uma cultura eminentemente religiosa (no sentido em que cada um admitia a existência e o poder de seres sobrenaturais, geralmente invisíveis, mas muito próximos) e familiar à morte e aos mortos, a ‘crença nos fantasmas’ era admitida por todos.”
(SCHMITT, Jean-Claude. Os vivos e os mortos na sociedade medieval. São Paulo: Companhia das Letras, 1999, p. 16.)
Sobre as atribuições dos vivos em relação aos mortos na Europa Medieval, é correto afirmar que:
I) A força da mística cristã conseguiu apagar as marcas de tradições pagãs greco-romanas e “bárbaras” referentes a modos singulares de culto aos mortos, apaziguando a crença nos castelos mal-assombrados e nos vampiros.
II) A crença no mundo sobrenatural era experimentada pelos medievais, favorecendo o crescimento de relatos sobre fantasmas que, após o ano 1000, passaram a ser difundidos pelo clero católico, interessado em preservar a memória dos mortos.
III) A lembrança acerca dos mortos era uma forma de administrar a dor da perda, na medida em que aplacava as consciências e reforçava a separação entre o mundo dos vivos e o dos mortos.
IV) A criação do purgatório pela Igreja Católica, no século XII, implicou no enfraquecimento das práticas de culto aos mortos, o que só seria retomado a partir das Reformas religiosas.
Estão corretas:
A -  II e III.
B - II, III e IV.
C - III e IV.
D - I e II.
E - I, II e IV.

(UNCISAL/AL) - Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - Questão 8:
Por esses motivos, [...] declaramos que você é uma herege reincidente e [...] deve ser abandonada por nós e separada da Igreja, para que não contamine os outros membros.
(Relatório final do tribunal eclesiástico que julgou Joana D’Arc em maio de 1431)
O documento histórico remete ao papel desempenhado pela Inquisição, por meio da qual a Igreja Católica procurou
A - ampliar seu número de fiéis, minimizando a conversão de camponeses europeus para a religião muçulmana.
B - difundir entre seus seguidores o princípio da “lei de talião”, evitando que a moral cristã se perdesse em meio às guerras e revoltas do período.
C - demonstrar sua força e autoridade sobre a cristandade ocidental, visando à unificação com a Igreja Cristã Ortodoxa.
D - combater atitudes, doutrinas e ideias que questionassem seus dogmas, pretendendo reforçar seu poder espiritual e temporal.
E - colaborar com os nascentes Estados modernos europeus, exercendo o poder Judiciário com base no Direito Romano.

(URCA/CE) - Universidade Regional do Cariri - Questão 9:
“Tripla é pois a casa de Deus, que se crê una: embaixo (quer dizer, na Terra), uns rezam, outros combatem, outros ainda trabalham. As três ordens vivem juntas e não podem ser separadas...”
Essa citação de um texto do século XI faz referência a (o):
A - Civilização muçulmana
B - Civilização Bizantina
C - Império Romano do Ocidente
D - Sociedade feudal europeia
E - Império Carolíngio

(UECE) - Universidade Estadual do Ceará - Questão 10:
Francisco Bernardone nasceu (1181 ou 1182) em Assis na Itália e ficou conhecido como Francisco de Assis. Filho de comerciantes mudou o conceito de santidade e devoção e, do mesmo modo, a atitude da Igreja e dos leigos em relação ao sagrado, na virada do século XII para o século XIII. Sobre o período em que Francisco de Assis viveu, e correto afirmar que se trata
A - da Idade Moderna, fase de ascensão do Capitalismo e reorganização da vida urbana na Europa.
B - da Idade Media que, sob o sistema feudal, foi uma fase de renovação da sociedade e suas tradições.
C - da virada do século XII para o século XIII que indica o fim do mundo antigo com a vitória do Cristianismo sobre o paganismo.
D - do Renascimento com o retorno aos valores e costumes clássicos, porém com a perspectiva cristã.

(UEA/AM) Universidade do Estado do Amazonas - Questão 11:
Leia o trecho a seguir.
Estavam [os que viveram na Idade Média] persuadidos de que a Terra era o centro do universo [...]. O que viam no céu, o movimento regular dos astros, era a imagem do que havia de mais próximo do plano divino organizado. O que os aterrorizava era a ocorrência, no interior dessa ordem perfeita, de acidentes. Um cometa, por exemplo, ou um eclipse um pouco mais prolongado [...] eram para eles a prova de que [...] algo se anunciava, ou então um convite a um maior respeito às ordens divinas.
(Georges Duby. Ano 1000 ano 2000.)
A partir do texto, pode-se afirmar que
A - a observação dos fenômenos celestes interessou pouco ao homem medieval, que não relacionava acontecimentos celestes a fatos do cotidiano.
B - o estudo da Astronomia conheceu grandes avanços na Idade Média e separou-se de motivações e crenças de ordem religiosa.
C - a ideia de que Deus havia criado o universo e colocado a Terra no seu centro constituía-se num dos dogmas da Igreja Católica.
D - a invenção do telescópio por Galileu reforçou a interpretação que tomava os astros como expressão do plano divino.
E - a ocorrência de cometas ou eclipses era interpretada como fenômeno da natureza, sem relação com a ordem sobrenatural.

(UEPB) - Universidade Estadual da Paraíba - Questão 12:
“A multiplicação das heresias na Baixa Idade Média foi um sintoma da crise da ordem feudal, incapaz de atender às necessidades espirituais e materiais de largos setores da população.” (Myriam Mota e Patrícia Braick, História das Cavernas ao Terceiro Milênio, 2002, p. 155)
Assinale a alternativa correta:
A - Os heréticos não criticavam os privilégios e o estilo da vida da nobreza. Suas preocupações eram exclusivamente doutrinais.
B - Os cátaros não acreditavam na existência do bem, porque para eles as almas eram dominadas pelo Diabo.
C - O clima sexual perverso, implícito na ideia de feitiçaria, colaborou para dar aos heréticos uma imagem de depravação, ainda que estes, como faziam os cátaros, pregassem a castidade absoluta.
D - A heresia mais significativa do século XII foi o arianismo. Os arianos não admitiam sacramentos e juramentos.
E - O Tribunal de Inquisição criado no século XVI foi instituído com a exclusiva finalidade de combater o protestantismo.

(UNCISAL/AL) - Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - Questão 13:
Leia as afirmações sobre a cultura no feudalismo:
I. O ensino estava sob o domínio da Igreja e era voltado para o ingresso na vida religiosa.
II. Iconoclastas era o nome dado aos indivíduos que interpretavam os ensinamentos cristãos de maneira diferente daquela que a Igreja pregava.
III. A arte medieval era dominada pelos preceitos religiosos.
Está correto o que se afirma apenas em
A - I.
B - II.
C - I e II.
D - II e III.
E - I e III.

(UECE) - Universidade Estadual do Ceará - Questão 14:
“[...] numa sociedade em que toda consciência é uma consciência religiosa, os obstáculos são antes de tudo – ou finalmente – religiosos. A esperança de escapar ao Inferno, graças ao Purgatório, permite ao usurário fazer avançar a economia e a sociedade do século XIII em direção ao capitalismo.” (LE GOFF, J. A bolsa e a vida – a usura na Idade Média. Trad. Rogério Silveira Muoio. São Paulo: Brasiliense, 2004. p. 90). Sobre a usura, assinale o correto.
A - Foi uma prática utilizada e incentivada pela Igreja Católica no decorrer da Idade Média.
B - Foi considerada um pecado grave para a doutrina e a mentalidade eclesiástica da Idade Média.
C - Foi utilizada como inspiração para o modelo econômico predominante na Idade Média.
D - Foi um impulso econômico para o incentivo das grandes navegações pós-medievais.

(UFRPE/PE) Universidade Federal Rural de Pernambuco - Questão 15:
Os senhores feudais costumavam envolver-se em guerras, buscando aumentar seus domínios territoriais. A existência de muitas guerras fez a Igreja Católica:
A - proibir e excomungar os senhores feudais considerados desobedientes.
B - instituir “as tréguas de Deus”, restringindo os conflitos a certos períodos do ano.
C - promover, anualmente, uma redistribuição sistemática dos feudos.
D - envolver-se com alguns aliados e promover a formação de grandes exércitos.
E - limitar, especificamente, os conflitos aos territórios da França e da Inglaterra.

(UFJF/MG) - Universidade Federal de Juiz de Fora - Questão 16:
Sobre o contexto de consolidação do poder da Igreja na Idade Média, leia as afirmativas abaixo e, em seguida, marque a opção CORRETA.
I - O cristianismo e todas as suas instituições podem ser considerados elementos unificadores do mundo europeu após a crise do Império Romano e as invasões bárbaras. Nessa longa trajetória, a Igreja de Roma assume o seu papel de liderança religiosa, através do combate às heresias.
II - Desde os primeiros tempos do período medieval, a união entre as Igrejas Ocidental e Bizantina representava o símbolo da unidade da cristandade. Os papas procuravam favorecer o Império Bizantino e consolidar a Igreja Ortodoxa, visando a aumentar a influência da Igreja romana no universo cristão ocidental.
III - Havia grupos considerados heréticos, como os valdenses e os cátaros, que criticavam a hierarquia católica e não reconheciam a autoridade papal. Havia também outros movimentos que foram incorporados pela Igreja Católica e que levaram à formação de ordens religiosas, como franciscanos e dominicanos.
A - Todas estão corretas.
B - Todas estão incorretas.
C - Apenas a I e a II estão corretas.
D - Apenas a I e a III estão corretas.
E - Apenas a II e a III estão corretas.

(UFRGS) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Questão 17:
A Alta Idade Média foi um período de consolidação da Igreja Cristã, que atuava como elemento de integração no mundo ocidental.
Sobre a situação da Igreja nesse período, considere as seguintes afirmações.
I – O Cristianismo foi duramente rejeitado pelos francos, que nele viam um poder paralelo a ser ativamente combatido.
II – Clóvis foi o primeiro rei bárbaro a converter-se ao Cristianismo do Concílio de Niceia, convencido de que isso facilitaria a consolidação de seu poder sobre uma sociedade crescentemente influenciada pelos preceitos cristãos.
III – A principal intenção da Igreja era agregar o poder real ao poder divino, com o objetivo de estabelecer um reino à semelhança do Império Romano Oriental.
Quais estão corretas?
A - Apenas I.
B - Apenas II.
C - Apenas III.
D - Apenas II e III.
E - I, II e III.

(UERN) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - Questão 18:
A notável influência da Igreja sobre o pensamento e a cultura medievais apoiou-se em sólidas bases materiais: ao longo dos séculos, a Igreja se organizou politicamente, adquiriu inúmeros feudos e ganhou prestígio junto aos reis e à nobreza, além de comandar a mentalidade religiosa popular. (VICENTINO, 1997, p.156).
A análise do texto e os conhecimentos sobre a Idade Média permitem afirmar: 
A - A busca de prestígio junto aos reis e à nobreza associava-se aos interesses da Igreja de conseguir ajuda financeira para os cientistas desenvolverem pesquisas científicas quanto à forma da Terra.
B - A mentalidade do homem medieval, fundamentada na razão, em que a relação homem x natureza se colocava em primeiro plano, impediu de vigorar a proposta de “justo preço” formulada pela Igreja.
C - A Igreja como proprietária de inúmeros feudos procura justificar, em seu discurso, a natureza das condições sociais características da sociedade feudal.
D - O comportamento passivo dos servos, junto aos seus senhores, permanecendo nos feudos até a morte, expressa a fé e a confiança nos ensinamentos divinos.

(FGV/SP) - Fundação Getúlio Vargas - São Paulo - Questão 19: [...] constituíram-se na Idade Média dois poderes que se colocavam acima da autoridade dos reis e dos senhores e, por isso, eram denominados poderes universais: o papado (poder espiritual ou religioso) e o império (poder temporal ou político). A relação entre esses dois poderes foi sempre problemática [...].
(Luiz Koshiba, História – origens, estruturas e processos)
Pode ser apontado(a) como um exemplo dessa relação problemática 
A - a promulgação do Edito de Milão, em 313, que reconheceu o poder espiritual do papa e estabeleceu o cristianismo como a religião oficial do Império Romano, condição revogada pelo imperador Décio, no fim do século IV.
B - o conflito conhecido como a Querela das Investiduras, de 1076, que opôs o papa Gregório VII ao imperador Henrique IV, do Sacro Império, e só foi superado em 1122, com a Concordata de Worms.
C - a determinação do imperador Teodósio I, a partir de 391, em proibir todas as práticas não pagãs, que gerou uma forte perseguição aos cristãos e o poder religioso voltou para a mão do imperador romano.
D - o incentivo dos reinos cristãos, principalmente do Império Carolíngio, em construir mosteiros longes das cidades, o que efetivou a separação entre o poder temporal dos reis e o poder espiritual dos monges e do clero em geral.
E - o apoio decisivo do imperador Constantino à heresia ariana, construída pelos bispos do Oriente, no Concílio de Niceia (325), que defendia a concepção de que o poder temporal caberia apenas ao soberano romano, mas com o beneplácito do papa.

(UNESP/SP) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Questão 20:
Galileu, talvez mais que qualquer outra pessoa, foi o responsável pelo surgimento da ciência moderna. O famoso conflito com a Igreja católica se demonstrou fundamental para sua filosofia; é dele a argumentação pioneira de que o homem pode ter expectativas de compreensão do funcionamento do universo e que pode atingi-la através da observação do mundo real.
(Stephen Hawking. Uma breve história do tempo.)
O “famoso conflito com a Igreja católica” a que se refere o autor corresponde:
A - à decisão de Galileu de seguir as ideias da Reforma Protestante, favoráveis ao desenvolvimento das ciências modernas.
B - ao julgamento de Galileu pela Inquisição, obrigando-o a renunciar publicamente às ideias de Copérnico.
C - à opção de Galileu de combater a autoridade política do Papa e a venda de indulgências pela Igreja.
D - à crítica de Galileu à livre interpretação da Bíblia, ao racionalismo moderno e à observação da natureza.
E - à defesa da superioridade da cultura grega da Antiguidade, feita por Galileu, sobre os princípios das ciências naturais.

GABARITO:
questão 1: E - questão 2: B - questão 3: C - questão 4: C - questão 5: C - questão 6: A - questão 7: A - questão 8: D - questão 9: D - questão 10: B - questão 11: C - questão 12: C - questão 13: E - questão 14: B - questão 15: B - questão 16: D - questão 17: B - questão 18: C - questão 19: B - questão 20: B


Império Bizantino

(UFAL) - Universidade Federal de Alagoas - Questão 1:
O Império Bizantino teve importância histórica na Idade Média, mostrando que não apenas a Europa produz cultura e tampouco existe um centro de poder que domina toda a vida social. A economia possuía intensa movimentação financeira, para a época, com fábricas e um dinâmico comércio. A sociedade desse Império:
A - era marcada pelo igualitarismo, devido aos princípios religiosos dos governantes mais tradicionais.
B - conseguiu atingir grandes níveis de luxo e ostentação por parte da sua aristocracia, formada pela minoria da população.
C - tinha a presença dos latifundiários como dominantes e controladores da maior parte das riquezas e da administração pública.
D - assemelhava-se à sociedade romana, pela divulgação de ideias republicanas e exaltação de deuses com poder nos lares mais ricos.
E - garantia a presença de uma hierarquia de poder rígida, embora não houvesse escravos, nem pessoas muito pobres.

(UFAC) - Universidade Federal do Acre - Questão 2:
O chamado “Cisma do Oriente” se deu em 1054, quando:
A - O Papa da igreja católica da Europa Ocidental fez aliança com o cristianismo de Constantinopla;
B - O Papa do ocidente se rende aos dogmas do mundo americano;
C - O Patriarca de Constantinopla, Miguel Cerulário, proclamou a autonomia total da Igreja Oriental em relação à Igreja Católica Ocidental;
D - Os religiosos do ocidente ficaram desconfiados dos hereges;
E - Os senhores feudais romperam com os dogmas da igreja católica na Europa ocidental;

(UEMS)- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - Questão 3: O que foi a Revolta Nika que ocorreu no Império Bizantino em 532 d.C. 
A - Um movimento contra o imperador Justiniano, provocado pelos seus inimigos políticos, os aristocratas legitimistas.
B - Um movimento cultural que ocorreu na Europa para difundir o velho testamento.
C - Uma tentativa de invasão dos bárbaros sobre o que restava do império romano ocidental.
D - Uma tentativa de tomar o poder do imperador Augusto, por uma parte do exército romano.
E - Um conjunto de prescrições da Igreja Católica Romana contra os bárbaros que invadiram Roma.

(UNESP/SP) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Questão 4:
O culto de imagens de pessoas divinas, mártires e santos foi motivo de seguidas controvérsias na história do cristianismo. Nos séculos VIII e IX, o Império bizantino foi sacudido por violento movimento de destruição de imagens, denominado “querela dos iconoclastas”. A questão iconoclasta:
A - derivou da oposição do cristianismo primitivo ao culto que as religiões pagãs greco-romanas devotavam às representações plásticas de seus deuses.
B - foi pouco importante para a história do cristianismo na Europa ocidental, considerando a crença dos fiéis nos poderes das estátuas.
C - produziu um movimento de renovação do cristianismo empreendido pelas ordens mendicantes dominicanas e franciscanas.
D - deixou as igrejas católicas renascentistas e barrocas desprovidas de decoração e de ostentação de riquezas.
E - inviabilizou a conversão para o cristianismo das multidões supersticiosas e incultas da Idade Média europeia.

(UFPE) - Universidade Federal de Pernambuco - Questão 5:
Um estudo da economia bizantina no período medieval:
A - atesta um grande des
Nível social, com a presença da servidão, de latifundiários aristocratas e de uma Igreja de grande poder político;
B - registra a falta de prestígio dos comerciantes, que levavam uma vida urbana simples e sem ostentação;
C - mostra uma atividade comercial pouco desenvolvida e muito semelhante à do feudalismo europeu;
D - revela a força dessa economia, em razão das pequenas propriedades administradas com o apoio do poder estatal;
E - evidencia a falta de apoio do Estado na gestão dos negócios, devido à presença soberana da Igreja.

(UEL/PR) - Universidade Estadual de Londrina - Questão 6: Justiniano (527-565), no Império Romano do Oriente, enfrentou diferentes dificuldades internas, inclusive nas relações entre a Igreja e o Estado, em virtude das heresias, como a dos monofisistas, que, entre outros princípios: 
A - pretendiam a destruição de todas as imagens;
B - pregavam a natureza divina de Cristo;
C - defendiam o conhecimento de Deus inspirado no misticismo;
D - admitiam o dualismo de inspiração budista;
E - afirmavam a reencarnação das almas em corpos de animais.

(UNESP/SP) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Questão 7: A civilização bizantina floresceu na Idade Média, deixando, em muitas regiões da Ásia e da Europa, testemunhos de sua irradiação cultural. Assinale a importante e preponderante contribuição artística bizantina que se difundiu, expressando forte destinação religiosa: 
A - adornos de bronze e cobre;
B - aquedutos e esgotos;
C - telhados e beirais recurvados;
D - mosaicos coloridos e cúpulas arredondadas;
E - vias calçadas com artefatos de couro.

(PUC-PR) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná - Questão 8: O Corpus Juris Civilis, organizado por ordem de Justiniano, no século VI, era composto de quatro partes: 
A - “Mos Majorum”, “Digesto”, “Éditos Pretórios” e “Pandectas”;
B - “Código”, “Digesto”, “Institutas” e “Novelas”;
C - “Jus Naturales”, “Novelas”, “Jus Gentium” e “Lei das Doze Tábuas”;
D - “Institutas”, “Mos Majorum”, “Responsa” e “Digesto”;
E - nda.

GABARITO:
questão 1: B - questão 2: C - questão 3: A - questão 4: A - questão 5: A - questão 6: B - questão 7: D - questão 8: B




Islã e expansão árabe

(UPE) - Universidade de Pernambuco - Questão 1:
A religião foi decisiva para expansão da cultura muçulmana. Apesar das guerras, os muçulmanos realizaram vários feitos culturais que repercutiram na sociedade ocidental.
A influência muçulmana se fez presente na(no)
A - Península Ibérica, onde se conseguiu implantar uma filosofia que combatia o catolicismo.
B - uso de técnicas agrícolas que ajudavam no cultivo de produtos importantes para a época.
C - divulgação da filosofia de Sócrates, através de seus sábios que visitavam as universidades do Ocidente.
D - arte francesa, sobretudo na definição dos estilos gótico e românico, no final da Idade Média.
E - forma de governo espanhola, estruturada em pequenos feudos, apresentando agricultura irrigada.

(FMABC/SP) - Faculdade de Medicina do ABC - Questão 2:
Maomé nasceu em Meca, provavelmente em 570. Segundo a tradição, foi no ano de 610 que ele começou a receber mensagens do anjo Gabriel, o mesmo que, pelos Evangelhos, anunciou a Maria o nascimento de Jesus. As revelações teriam sido enviadas a Maomé em um período de cerca de 23 anos.
(Patrícia Ramos Braick e Myrian Becho Mota, História: das cavernas ao Terceiro Milênio)
Em 632, quando Maomé morreu,
A - deixou escrita a Suna – texto de conselhos políticos – livro que serviu para os seguidores de Maomé fundarem a religião do Islã.
B - o islamismo começou a se estruturar como religião, baseado na concepção de que o enriquecimento material do fiel revelava a graça de Deus.
C - legou um texto sagrado – o Alcorão – livro que trouxe a novidade de uma religião monoteísta e que prega a separação do poder político da religião.
D - o islamismo já tinha se tornado uma religião com um grande número de seguidores e quase toda a Arábia tinha sido convertida à nova religião.
E - a expansão islâmica já tinha atingido todo o norte da África, parte considerável do Império Bizantino e da península Ibérica.

(IFPI) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí - Questão 3:
Os árabes, entre o século VII e XI, ampliaram suas conquistas territoriais e produziram importante civilização, que assimilaram muitos legados culturais de outros povos com os quais conviveram, como as tradições da cultura clássica e oriental, que souberam redefinir com grande sabedoria. Além disso, argumenta-se que os valores culturais da Antiguidade Clássica chegaram ao conhecimento do mundo porque os árabes:
A - Profetizaram o destino do homem através dos signos do zodíaco.
B - Propagaram na literatura, a obra mais conhecida dos chineses que é “Mil e uma Noites”, reunião de histórias registradas entre o século VIII e IX, e lida até hoje, mesmo no mundo ocidental.
C - Introduziram no continente europeu, através da península Ibérica, novas técnicas de cultivo, habilidades de arte na representação humana e a perspectiva linear na pintura.
D - Traduziram textos diversos e os difundiram, concretizando importantes realizações, a partir do pensamento grego.
E - Inventaram o papel, a pólvora, a bússola, o astrolábio, os algarismos árabes e a álgebra.

(UEG) - Universidade Estadual de Goiás - Questão 4:
O mundo islâmico, cotidianamente presente nos noticiários internacionais, possui um rico passado que remonta à Idade Média. Acerca da trajetória dessa civilização naquele período, julgue a validade das sentenças a seguir.
I. Em virtude das divergências religiosas e culturais entre muçulmanos e cristãos, poucas foram as influências da civilização islâmica sobre o mundo Ocidental até o final do século XV.
II. Originalmente nômades, os povos árabes possuíam uma forte tendência para a atividade comercial, altamente lucrativa em virtude de, até o século XV, o Oriente Médio ser a única rota comercial ligando a Europa às Índias.
III. A região islâmica, tendo como figura o profeta Maomé, fundiu elementos judaicos e cristãos em uma mesma fé, espalhando-se rapidamente por todo o Oriente Médio e pelo Norte da África, a partir do século VII.
A - As sentenças I e II são verdadeiras.
B - As sentenças I e III são verdadeiras.
C - As sentenças II e III são verdadeiras.
D - Todas as sentenças são verdadeiras.

(UNESP/SP) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Questão 5: As caravanas do Sudão ou do Niger trazem regularmente a Marrocos, a Tunes, sobretudo aos Montes da Barca ou ao Cairo, milhares de escravos negros arrancados aos países da África tropical [...] os mercadores mouros organizam terríveis razias, que despovoaram regiões inteiras do interior. Este tráfico muçulmano dos negros de África, prosseguindo durante séculos e em certos casos até os mais recentes, desempenhou sem dúvida um papel primordial no despovoamento antigo da África.
(Jacques Heers, O trabalho na Idade Média)
O texto descreve um episódio da história dos muçulmanos na Idade Média, quando 
A - Maomé começou a pregar a Guerra Santa no Cairo como condição para a expansão da religião de Alá, que garantia aos guerreiros uma vida celestial de pura espiritualidade. 
B - atuaram no tráfico de escravos negros, dominaram a África do Norte, atravessaram o estreito de Gibraltar e invadiram a Península Ibérica.
C - a expansão árabe foi propiciada pelos lucros do comércio de escravos, que visava abastecer com mão de obra negra as regiões da Península Ibérica.
D - os reinos árabes floresceram no sul do continente africano, nas regiões de florestas tropicais, berço do monoteísmo islâmico.
E - os árabes ultrapassaram os Pirineus e mantiveram o domínio sobre o reino Franco, até o final da Idade Média ocidental.

(UEFS/BA) - Universidade Estadual de Feira de Santana - Questão 6:
Em relação ao islamismo, pode-se afirmar:
A - O renascimento cultural do mundo islâmico baseou-se no abandono dos dogmas maometanos e na assimilação completa da cultura e das técnicas ocidentais.
B - A riqueza trazida pelo petróleo tem permitido a unidade entre os países árabes e a melhoria da qualidade de vida de sua população, consequência da política redis-tributiva de renda.
C - A coesão religiosa dos muçulmanos possibilitou que o Império Romano do Oriente rechaçasse as invasões bárbaras, tornando o Império Bizantino o centro irradiador do islamismo.
D - O fanatismo religioso e as práticas rituais bárbaras e primitivas, inerentes ao islamismo, contribuíram para impedir uma maior expansão da religião islâmica.
E - Os atentados de 11/09/2001 contribuíram para o ocidente associar genericamente o terrorismo aos árabes islâmicos, demonstrando uma postura egocêntrica e preconceituosa em relação aos muçulmanos.

(UEFS/BA) - Universidade Estadual de Feira de Santana - Questão 7:
Depois de passar a tocha que ajudou a iluminar a Era das Trevas na Europa, os árabes entraram num longo e agitado sono, do qual só agora começam a despertar. Desde a Segunda Guerra Mundial, libertos por fim de séculos de domínio estrangeiro, abençoados com os recursos trazidos pelo petróleo e agora aproveitando a tecnologia ocidental, os povos árabes, há tanto tempo divididos, mais uma vez buscam a unidade. Nahda, assim os árabes chamam essa renascença. Até agora não passa de um sentimento, um começo, um espírito que se nota no mundo árabe.
“A época dos impérios passou”, comentou certa noite um amigo de Meca. “Mas com certeza iremos, com a permissão de Alá, reflorescer de novo, unificados por nossa religião, cultura e língua.”
E contou a história do cético que provocou Maomé sobre a promessa islâmica de ressurreição: “Que poder seria capaz de trazer o homem de volta à vida, depois de transformado em ossos e pó?”
“O mesmo que criou o homem a partir da argila”, respondeu imperturbável o Profeta.
BELT, 2001, p. 143.
A partir da análise do texto e dos conhecimentos sobre a civilização muçulmana, pode-se afirmar:
A - Os países muçulmanos defendem, na atualidade, o restabelecimento do império islâmico e o domínio dos povos cristãos ocidentais.
B - A dominação europeia sobre o mundo muçulmano, no contexto da Segunda Guerra Mundial, deveu-se ao apoio desses povos à Alemanha hitlerista.
C - A expansão muçulmana, a partir do século Vlll, estabeleceu grandes avanços técnicos, filosóficos, culturais e científicos na sociedade europeia.
D - A Europa só conseguiu superar o obscurantismo medieval, a ignorância e a ausência de produção filosófica e cultural a partir da dominação muçulmana.
E - A unidade religiosa dos muçulmanos possibilitou que, durante a dominação imperialista, suas fronteiras políticas e divisões étnicas e culturais fossem respeitadas pelos europeus.

(UPE) - Universidade de Pernambuco - Questão 8:
Muitas vezes, dá-se um destaque exagerado às guerras comandadas pelos árabes nos tempos medievais, enquanto as suas contribuições culturais permanecem como exemplos da riqueza de seus feitos. Além disso, as suas atividades comerciais dão mostras do dinamismo dos árabes, pois:
A - conseguiram dominar o comércio medieval, trazendo mercadorias do Oriente para a Europa Central, em grande quantidade;
B - utilizaram muitos instrumentos comerciais como cartas de crédito e companhias de ações para facilitar os negócios;
C - centralizaram suas atividades em corporações estatais bastante produtivas, com manufaturas articuladas com a exportação comercial;
D - desenvolveram rotas comerciais no Oceano Pacífico, por onde exportavam seda e pólvora para as cidades da Ásia;
E - tiveram boas relações com as cidades francesas e italianas durante os séculos finais da Idade Média, vendendo-lhes especiarias do Oriente.

(UFG/GO) - Universidade Federal de Goiás - Questão 9:

Foto de Augusto Cabrita. In: Os mais belos castelos e fortalezas de Portugal. Lisboa: Verbo, 1986. p. 190.
A imagem do castelo Almourol, situado em uma ilha no rio Tejo, em Portugal (século XII), relaciona-se com:
A - os ideais cavalheirescos da nobreza guerreira de origem germânica na Europa ocidental cristã; 
B - a insegurança diante das invasões germânicas na Hispania, no Império Romano do Ocidente;
C - a defesa e proteção do reino na guerra de Reconquista do território ibérico dominado pelos mouros;
D - o auxílio para a libertação da cidade santa de Jerusalém do domínio muçulmano; 
E - os mecanismos de proteção nos con.itos frequentes entre os reinos cristãos da Península Ibérica.

(UNIFOR/CE) - Universidade de Fortaleza - Questão 10: Observe atentamente a foto da Mesquita de Córdoba, construída, na Espanha, entre os séculos VIII e X.

COSTA Luis C.A. MELLO; Leonel I.A. História antiga e medieval. São Paulo: Scipione, 1993. p. 249.)
A Mesquita foi idealizada e construída pelos muçulmanos. Sobre eles pode-se afirmar que: 
A - desconheciam técnicas de navegação até a sua chegada à Europa, quando tomaram contato e aperfeiçoaram a bússola e a pólvora;
B - proporcionaram grande contribuição aos povos da Península Itálica e Balcânica na Europa, mas não conseguiram o mesmo sucesso na Península Ibérica;
C - impediram que os europeus praticassem quaisquer atividades comerciais, em razão do domínio que exerceram sobre o Mar Mediterrâneo por quase oito séculos;
D - se destacaram pela intolerância com que tratavam os povos dominados, desrespeitando as culturas locais e a religião, em prejuízo das atividades produtivas;
E - difundiram valores culturais da Antiguidade Clás-sica no mundo ocidental, no contexto marcado pelo expansionismo territorial.

(UFMS) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Questão 11: Analise as alternativa abaixo e, em seguida, aponte qual(is) está(ão) correta(s):
I. O budismo, religião que não considera a ideia de um deus ou de um ser supremo que controla o universo, baseia-se na vida e nos ensinamentos de Sidartha Gautama, que ensinou a forma de superar a miséria da existência.
II. O islamismo tem cinco princípios básicos: a profissão da fé; a oração, que se faz cinco vezes ao dia; o zakat, imposto obrigatório e destinado a atender aos necessitados; o jejum de Ramadã; e o hadj ou a peregrinação a Meca.
III. O cristianismo, especialmente o catolicismo romano, é a única das grandes religiões que está submetida ao controle do clero organizado e considera a ideia de um deus ou ser supremo que controla o Universo.
IV. O budismo, religião que considera a ideia de um deus ou de um ser supremo que controla o Universo, baseia-se na vida e nos ensinamentos de Buda, que ensinou a forma de superar a miséria da existência. 
A - As afirmativas I e II estão corretas e as III e IV estão erradas.
B - As afirmativas I, II e III estão corretas e a IV está errada.
C - As afirmativas II e III estão corretas e as I e IV estão erradas.
D - As afirmativas II e IV estão corretas e as I e III estão erradas.
E - As afirmativas I e III estão corretas e as II e IV estão erradas.

(UPE) - Universidade de Pernambuco - Questão 12:
Sobre a cultura islâmica, analise atentamente as afirmativas abaixo.
I. A cultura islâmica afirmou-se pela sua religiosidade e pela falta de descoberta em outras áreas da produção cultural. 
II. A interação da cultura islâmica com a ocidental trouxe contribuições importantes e renovadoras. 
III. As conquistas territoriais dos árabes atingiram territórios do continente europeu.
IV. As divisões internas do islamismo causaram disputas políticas que ainda permanecem na sociedade contemporânea.
V. Não há semelhanças entre o islamismo e o cristianismo.
Após a análise, conclui-se que: 
A - todas as afirmativas acima estão corretas;
B - apenas as afirmativas I e V estão incorretas;
C - apenas as afirmativas III, IV e V estão corretas;
D - apenas a alternativa V está incorreta;
E - apenas a afirmativa III está incorreta.

(FGV/RJ) - Fundação Getúlio Vargas Rio - Questão 13: O fator histórico responsável pela existência de uma maioria muçulmana no território da Bósnia-Herzegovina, encravado no coração da ex-Iugoslávia, foi: 
A - a conquista e dominação da Península Balcânica pelos turcos-otomanos durante a Época Moderna;
B - a fuga em massa, para aquele território, de eslavos muçulmanos, para escapar da dominação russa depois da Primeira Guerra Mundial;
C - a expansão árabe, durante a Idade Média, que resultou na ocupação parcial das três penínsulas da Europa Meridional: a Ibérica, a Itálica e a Balcânica;
D - a criação da atual República da Turquia, depois da Primeira Guerra Mundial, que obrigou os muçulmanos não-turcos a abandonarem o país;
E - a própria natureza da religião islâmica que, estimulando seus seguidores a intenso proselitismo, levou-os a ocupar quase todos os lugares onde o catolicismo não se estabelecera anteriormente.

(FGV/SP) - Fundação Getúlio Vargas - São Paulo - Questão 14:
A região de Kosovo tornou-se conhecida nos últimos anos pelos violentos conflitos envolvendo cristãos e muçulmanos. As raízes do conflito são bem antigas. Em 1389, na chamada Batalha de Kosovo, tropas cristãs, lideradas pelo Duque Lazar, foram derrotadas pelos muçulmanos comandados por Murad I. A respeito desse conflito é correto afirmar:
A - Trata-se de mais uma das Cruzadas, ou seja, uma das muitas expedições cristãs em direção a Jerusalém, dominada a essa altura pelos muçulmanos.
B - Trata-se do marco inicial do Reino da Sérvia, quando os eslavos penetraram pela primeira vez a região dos Bálcãs.
C - Trata-se de um dos momentos da expansão otomana e da montagem do Império Turco na Ásia Menor e nos Bálcãs.
D - Trata-se do processo de expansão do Império Bizantino, que estabeleceu uma política de alianças com os muçulmanos para expulsar os invasores sérvios de seu território.
E - Trata-se de uma das muitas etapas da expansão islâmica levada adiante pela dinastia Omíada, época em que a sede do califado foi deslocada da Península Arábica para Damasco.

GABARITO:
questão 1: B - questão 2: D - questão 3: D - questão 4: C - questão 5: B - questão 6: E - questão 7: C - questão 8: B - questão 9: C - questão 10: E - questão 11: B - questão 12: B - questão 13: A - questão 14: C


Renascimento comercial e urbano

(UNIFESP/SP) - Universidade Federal de São Paulo - Questão 1: Por trás do ressurgimento da indústria e do comércio, que se verificou entre os séculos XI e XIII, achava-se um fato de importância econômica mais fundamental: a imensa ampliação das terras aráveis por toda a Europa e a aplicação à terra e métodos mais adequados de cultivo, inclusive a aplicação sistemática de esterco urbano às plantações vizinhas. 
(Lewis Mumford. A cidade na história. São Paulo: Martins Fontes, 1982.)
O texto trata da expansão agrícola na Europa ocidental e central entre os séculos XI e XIII. Dentre as razões desse aumento de produtividade, podemos citar 
A - o crescimento populacional, com decorrente aumento do mercado consumidor de alimentos.
B - a oportunidade de fornecer alimentos para os participantes das cruzadas e para as áreas por eles conquistadas.
C - o fim das guerras e o estabelecimento de novos padrões de relacionamento entre servos e senhores de terras.
D - a formação de associações de profissionais, com decorrente aperfeiçoamento da mão de obra rural.
E - o aprimoramento das técnicas de cultivo e uma relação mais intensa entre cidade e campo.

(UFAM) - Universidade Federal do Amazonas - Questão 2: Desempenhando um importante papel durante a Idade Média, as Guildas: 
A - Foram práticas comerciais mercantilistas caracterizadas pelo entesouramento e obtenção de balança comercial favorável. 
B - Consistiam em assembleias populares utilizadas pela realeza para legitimar suas pretensões de centralização política diante dos senhores feudais.
C - Tal como as Jacqueries francesas, expressavam grupos armados que espalhavam o terror nos campos na Inglaterra e em Flandes.
D - Era o nome dado as feiras que se estabeleciam no cruzamento das principais rotas comerciais europeias, dando origem as principais cidades. 
E - Designavam as associações profissionais de comerciantes que se generalizaram na Europa durante a Baixa Idade Média.

(UFC) - Universidade Federal do Ceará - Questão 3:
Típicas criações da Idade Média propiciaram a formação de novas cidades:
A - o comerciante e a moeda.
B - a moeda e o “portus”.
C - os mercadores e as muralhas.
D - as feiras e o artesanato.
E - os burgos e as abadias.

(UESPI) - Universidade Estadual do Piauí - Questão 4:
Muitas análises historiográficas focalizam diferentes aspectos históricos e culturais da Idade Média. Não podemos esquecer as desigualdades e o forte poder da Igreja nesse período. No contexto da vida urbana medieval, as cidades:
A - dependiam exclusivamente das atividades agrícolas, todas administradas por senhores feudais.
B - tinham relações com a intensificação do comércio, fazendo, em muitas delas, trocas de produtos com cidades do Oriente.
C - possuíam autonomia política, pouco se preocupando com os feitos dos senhores feudais e suas guerras constantes. 
D - firmavam uma hierarquia social rígida, onde a liberdade ficava restrita ao direito de assistir aos atos religiosos católicos.
E - conseguiram manter na Europa e durante o feudalismo, uma vida comercial agitada, devido ao crescimento de burguesia.

(UEPA) - Universidade do Estado do Pará - Questão 5:
História Viva, Ano I, nº 5, Março 2004. p.37.
A análise da imagem acima e os conhecimentos historiográficos sobre o mundo do trabalho na Idade Média indicam:
A - o uso da tração animal no campo, como técnica agrícola, no contexto em questão, representou uma revolução na agricultura medieval.
B - a superação do uso intensivo da mão de obra servil nos trabalhos agrícolas, o que impedia, nos séculos anteriores, a introdução de inovações técnicas na agricultura.
C - a relação do camponês com as técnicas e recursos agrícolas introduzidos na Baixa Idade Média pelos árabes na Península Ibérica.
D - o desenvolvimento das técnicas de produção inventadas e utilizadas pelos camponeses para arar as terras pertencentes aos senhores feudais.
E - a operação da charrua pelos senhores para garantir a produção de alimentos no período em que os servos se revoltavam contra a super exploração servil.

(UFAM) - Universidade Federal do Amazonas - Questão 6:
Desde o fim do Mundo Antigo, a agricultura sempre tinha sido o setor mais significativo da economia. Contudo, de acordo com o medievalista Robert Lopez, entre os séculos X e XIV, o comércio passou progressivamente da periferia para o próprio centro da vida ordinária; tornou-se o principal motor do progresso econômico e acabou por exercer sobre a Europa medieval influência quase tão decisiva como a Revolução Industrial sobre o mundo contemporâneo. Embora o comércio tenha envolvido apenas uma pequena parte da população, seu impactante desenvolvimento durante o Baixo Medievo proporcionou consequências mais revolucionárias ainda do que as conquistas da agricultura. Esta ativação do comércio decorreu de vários fatores, como:
I. Um conjunto de necessidades, entre as quais a obtenção de trigo e de metais preciosos.
II. A Revolução Agrícola, que permitiu o recuo da floresta e a extensão de culturas, ou seja, de novos arroteamentos.
III. A Revolução Demográfica, que proporcionou uma maior produção de alimentos.
IV. A pressão externa, representada pelos mercados consumidores bizantino e muçulmano.
Das proposições acima, assinale a alternativa correta:
A - Somente a proposição III está errada.
B - Somente a proposição II está errada.
C - Somente a proposição I está errada.
D - Todas as proposições estão erradas.
E - Todas as proposições estão corretas.

(UESPI) - Universidade Estadual do Piauí - Questão 7:

As corporações de ofício movimentaram a vida econômica das cidades medievais na Europa, onde a ideia do lucro era:
A - aceita, devido às influências de uma burguesia que se expandia no comércio da época, sobretudo no mundo urbano.
B - condenada pela prevalência de uma mentalidade religiosa que defendia a existência do justo preço no comércio.
C - malvista, apenas, por aqueles que estavam ligados ao clero católico, dono das maiores corporações da época.
D - praticada por todas as corporações, pois não havia influências da Igreja nas atividades econômicas das cidades.
E - restrita às corporações existentes nas cidades italianas, não sendo aceita pelas cidades da Europa Central.

(UEPB) - Universidade Estadual da Paraíba - Questão 8:
“O renascimento das atividades comerciais e a prosperidade dos centros urbanos estimularam também o desenvolvimento intelectual.”
(Cláudio Vicentino, História Geral, 2002, p. 160)
Quanto ao desenvolvimento referido acima, é correto afirmar:
A - A Igreja, por meio de ordens monásticas, direcionava a produção cultural, e as cidades medievais vinculadas ao dogmatismo religioso não se tornaram centros irradiadores dos novos valores culturais.
B - O dinamismo cultural da Baixa Idade Média foi tão marcante, que, no século XIII, a universidade de Paris contava com mais de vinte mil alunos e, no final do período, a Europa possuía cerca de 80 universidades.
C - As universidades não puderam se desenvolver na Baixa Idade Média porque eram obrigadas a pagar altos impostos aos nobres.
D - O trovadorismo, que surgiu no século XII, exaltava exclusivamente as virtudes do guerreiro.
E - A Igreja, durante todo o período medieval, deu ênfase ao pensamento racionalista e ao desenvolvimento científico, exaltando os valores do renascimento cultural.

(UFPB) - Universidade Federal da Paraíba - Questão 9:
As grandes navegações marítimas dos séculos XV e XVI, bem como as conquistas delas decorrentes, causaram fortes impactos sobre países da Europa ocidental, em todos os âmbitos: econômico, social, político e cultural.
Nesse sentido, identifique a alternativa que contempla corretamente dois desses impactos das navegações marítimas e das conquistas dos inícios da modernidade sobre a cultura europeia:
A - O enfraquecimento de uma visão eurocêntrica de mundo e a construção de uma postura de tolerância ao multiculturalismo.
B - A difusão generalizada das práticas religiosas africanas e a adoção do cardápio alimentar das culturas indígenas americanas.
C - O desencadeamento da Revolução Científica e a criação das bases da cultura renascentista.
D - A incorporação das novas terras conquistadas aos domínios dos Estados colonizadores e o consequente enfraquecimento dos Estados nacionais inglês e francês.
E - O encontro cultural com uma nova etnia – a indígena – e a descoberta de uma nova natureza (fauna e flora) – a americana.

(IFPI) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí - Questão 10:
Apesar do sistema feudal ter no meio rural seu núcleo básico de convivência social, é um erro pensar que a vida urbana desapareceu da Europa durante a Alta Idade Média.
Sobre esse período, pode-se afirmar que:
A - a origem das cidades eram as mais diversas, como as surgidas na Europa Centro-Ocidental, em que os chefes guerreiros germânicos, após a sua morte, eram sepultados em mausoléus, que atraiam diversos guerreiros e, logo após, surgiam os aglomerados urbanos.
B - Cidades e vilas romanas continuaram a existir, e muitas delas desempenharam importante papel no processo da retomada da vida urbana, que aconteceu principalmente no tocante às atividades comerciais e artesanais, mesmo em meio a uma economia de base rural. 
C - O crescimento das cidades se dava com planejamento meticuloso das autoridades feudais, que por sua vez exerciam rígido controle sobre as mesmas, controlando o fluxo de pessoas e mercadorias, exigindo o pagamento de uma quantidade em dinheiro quando da doação das Cartas de Foral, o que sem dúvida, contribuía para garantir aos senhores feudais uma riqueza móvel.
D - A cidade desta fase medieval é um “microcosmo do capitalismo”.
E - As cidades medievais que haviam conseguido fortificar-se contra as invasões bárbaras, passaram a ocupar uma área muito maior do que à época do Império Romano.

(UESPI) - Universidade Estadual do Piauí - Questão 11:
As corporações de ofício movimentaram a vida econômica das cidades medievais na Europa, onde a ideia do lucro era:
A - aceita, devido às influências de uma burguesia que se expandia no comércio da época, sobretudo no mundo urbano.
B - condenada pela prevalência de uma mentalidade religiosa que defendia a existência do justo preço no comércio.
C - malvista, apenas, por aqueles que estavam ligados ao clero católico, dono das maiores corporações da época.
D - praticada por todas as corporações, pois não havia influências da Igreja nas atividades econômicas das cidades.
E - restrita às corporações existentes nas cidades italianas, não sendo aceita pelas cidades da Europa Central.

(FURG/RS) - Fundação Universidade Federal do Rio Grande - Questão 12:
Leia as afirmativas abaixo relacionadas à Baixa Idade Média:
I – A Banalidade era o tributo cobrado na transferência do lote de terra de um servo falecido a seus herdeiros que continuavam pagando aos senhores uma porcentagem sobre a produção.
II – O período marca o início das invasões na Europa Ocidental, a desarticulação da economia agrícola e o isolamento da população em porções de terras chamadas de Feudos.
III – O movimento cruzadista é definido como sendo uma série de expedições armadas, realizadas pelos cristãos, com o propósito de romper o cerco imposto à Europa desde o século VIII.
IV – As vilas e as cidades cresceram tão rapidamente que, por volta do século XIV, em algumas regiões, metade da população havia sido deslocada para atividades comerciais e artesanais.
V – As Corporações de Ofício ou Guildas estimulavam o lucro, combatiam o poder da Igreja, limitavam o comércio feito por estrangeiros e controlavam os preços dos produtos.
Assinale a alternativa que apresenta todas as afirmativas corretas:
A - I e IV
B - III e IV
C - II e V
D - III e V
E - I e II

(UFCSPA/RS) - Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre - Questão 13:
O filme O Nome da Rosa (1986) de Jean-Jacques Annaud, aborda as mortes misteriosas que ocorrem num mosteiro beneditino durante a Baixa Idade Média, onde as vítimas apresentam os dedos e as línguas roxos. O mosteiro guarda uma imensa biblioteca, na qual poucos monges têm acesso às publicações. A chegada de um monge franciscano, interpretado por Sean Conery, acaba por elucidar o verdadeiro motivo dos crimes.
Sobre a Baixa Idade Média, período histórico em que se passa o filme citado, analisar os itens abaixo:
I – Tratou-se de um período em que, paulatinamente, as cidades medievais foram assumindo o papel de entroncamento das rotas comerciais.
II – Na esfera social, foi marcada pela projeção da burguesia e sua aliança com o rei.
III – Politicamente, foi marcada pela formação das monarquias centralizadas representadas pelos reis absolutistas.
IV – Neste período, as grandes transformações provocadas pela expansão comercial afetaram o monopólio cultural da Igreja. De fato, o crescimento do comércio e o contato cada vez mais intenso e frequente com os outros povos, fizeram com que os homens europeus adquirissem outros valores, deixando de subordinar sua vida a uma “vontade divina”.
Está(ão) CORRETOS(S):
A - Somente o item IV.
B - Somente o item III e IV.
C - Somente os item I, II e III.
D - Somente os itens I,II e IV.
E - Todos os itens.

(PUC-SP) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Questão 14:
A presença de rios ou a proximidade do mar foram decisivas para o desenvolvimento de cidades e sociedades antigas. Um exemplo disso é:
A - a importância do rio Nilo, na Antiguidade, na integração das várias sociedades do Oriente Próximo e na união dos reinos do Alto Egito e do Baixo Egito, evitando a invasão da região por outros povos.
B - o papel exercido pelo Bósforo, que corta a atual Istambul, antes chamada de Constantinopla e de Bizâncio, e sempre assegurou a hegemonia internacional do povo que vivesse à sua volta.
C - a divisão de terras provocada pelos rios Tigre e Eufrates, que isolavam geograficamente os vários grupos que viviam na antiga Mesopotâmia e instigaram conflitos prolongados entre eles.
D - o controle do Mar Mediterrâneo por árabes e fenícios no decorrer de toda a Idade Média, permitindo-lhes invadir território europeu e impedir a circulação de embarcações militares inglesas e francesas.
E - a posição geográfica de Veneza, no norte do Mar Adriático, que lhe permitiu ser ponto de partida de Cruzadas e ter participação ativa no comércio medieval de especiarias e sedas do Oriente.

(UNIFESP/SP) - Universidade Federal de São Paulo - Questão 15:
Houve, nos últimos séculos da Idade Média ocidental, um grande florescimento no campo da literatura e da arquitetura. Contudo, se no âmbito da primeira predominou a diversidade (literária), no da segunda predominou a unidade (arquitetônica).
O estilo que marcou essa unidade arquitetônica corresponde ao:
A - renascentista.
B - românico.
C - clássico.
D - barroco.
E - gótico.

(UFES) - Universidade Federal do Espírito Santo - Questão 16:
Urbanização é o processo de crescimento da população urbana em ritmo mais acelerado que o do crescimento da população rural, ou seja, é o resultado da transferência da população rural para o meio urbano. Esse processo sinaliza a transição de um padrão de vida econômica apoiado na produção agrícola fechada e autossuficiente para outro, baseado na indústria, no comércio e nos serviços.”
(MAGNOLI, D.; ARAÚJO, R. Projeto de ensino de Geografia. São Paulo: Moderna, 2004. p. 166.)
No caso da Europa, a passagem de uma economia agrícola para uma economia baseada no comércio e nos serviços tem suas raízes históricas no Renascimento Comercial e Urbano do século XI, muito embora a urbanização que hoje afeta o globo tenha se afirmado somente a partir da Revolução Industrial do século XVIII. Nesse sentido, considere as seguintes afirmativas:
I - Desde fins do século X e, sobretudo, no decorrer do século XI, verifica-se o crescimento populacional na Europa Ocidental em virtude da redução do índice de mortalidade e do aumento da produção agrícola, o que irá favorecer a expansão urbana.
II - Os critérios usados para definir o urbano e o rural são universais e servem para definir o 
Nível de urbanização de um país (desenvolvido ou não), facilitando os estudos comparativos.
III - A partir do século X, muitas cidades, na Europa, são repovoadas ou fundadas, surgindo algumas delas junto a castelos fortificados, outras em locais que congregavam peregrinos outras em locais de feira ou encruzilhadas terrestres e fluviais.
IV - Atualmente, os níveis de urbanização podem ser considerados baixos nos países asiáticos embora sejam países que apresentem grande contingente de população urbana.
V - Desde a sua fundação, as cidades medievais estavam isentas do controle exercido pelos reis e pela nobreza feudal sobre os citadinos, que logo se tornaram os principais articuladores dos movimentos de resistência camponesa contra a exploração feudal. 
É CORRETO apenas o que se afirma em:
A - I, II e III.
B - I, II e IV.
C - I e III.
D - III, IV e V.
E - IV e V.

(UPE) - Universidade de Pernambuco - Questão 17:
No início da modernidade, as mudanças no pensamento econômico contribuíram para reforçar o crescimento da burguesia e seus projetos de dominar politicamente a sociedade. As ideias dos economistas clássicos, dentre eles Adam Smith, defendiam a (o):
A - centralização econômica, com incentivo ao comércio e à importação de mercadorias das colônias europeias.
B - fim das práticas econômicas mercantilistas, considerando a divisão do trabalho como importante prática para a expansão econômica.
C - expansão das fronteiras agrícolas, com a produção voltada para o fortalecimento do mercado interno.
D - presença do Estado no controle das atividades agrícolas, incentivando o aumento da mão-de-obra assalariada.
E - regulamentação da economia, fazendo da presença do Estado a base de sustentação da produção de riquezas.

(UDESC) - Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina - Questão 18:
Por muito tempo a Idade Média europeia foi sinônimo de Idade das Trevas, marcada pela paralisação das atividades culturais. Essa imagem distorcida foi modificada atualmente pelos historiadores que a destacam como um período de grande atividade cultural. 
Acerca desse tema, todas as alternativas estão corretas, exceto:
A - A Idade Média revelou o homem como o centro do universo, princípio filosófico do antropocentrismo. 
B - O surgimento de várias universidades medievais, a partir do século XIII, está relacionado, de modo geral, ao desenvolvimento do comércio e das cidades. 
C - As Cruzadas ocorridas durante a Idade Média promoveram um maior contato entre o Ocidente e o Oriente, estimulando o comércio e promovendo trocas culturais. 
D - Embora a maior parte da população europeia fosse analfabeta, os mosteiros medievais concentravam o saber em suas imensas bibliotecas repletas de manuscritos sobre todas as ciências. 
E - Um dos legados medievais mais importantes foram as catedrais em estilo gótico com novas técnicas de construção, muitas delas até hoje aproveitadas na arquitetura moderna. 

(UPF/RS) - Universidade de Passo Fundo - Questão 19: Sobre as cidades europeias da Idade Média, leia as afirmativas abaixo.
I. Praticamente não havia cidades, pois o comércio feudal era frágil, sustentado por feiras esparsas.
II. Desapareceram depois das invasões bárbaras, restando pequenas cidades no sul da França.
III. Muitas cidades medievais tiveram seu crescimento relacionado com as grandes feiras.
IV. Algumas cidades italianas, como Veneza, eram importantes comercialmente.
V. As cidades cresceram com o planejamento do poder público e o grande incentivo da Igreja Católica.
Estão corretas apenas: 
A - II e V;
B - III e IV;
C - I e V;
D - I e IV;
E - II, III e IV.

(UEFS/BA) - Universidade Estadual de Feira de Santana - Questão 20:
Sistema familiar: os membros de uma família produzem artigos para o seu consumo, e não para a venda. O trabalho não se fazia com o objetivo de atender ao mercado (...)
Sistema de corporações: produção realizada por mestres artesãos independentes, com dois ou três empregados, para o mercado, pequeno e estável. Os trabalhadores eram donos tanto da matéria-prima que utilizavam como das ferramentas que trabalhavam (...)
Sistema doméstico: produção realizada em casa (...) pelo mestre artesão com ajudantes, tal como no sistema de corporações. Com uma diferença importante: os mestres já não eram independentes; tinham ainda a propriedade dos instrumentos de trabalho, mas dependiam, para a matéria-prima, de empreendedor que se interpusera entre eles e o consumidor (...)
Sistema fabril: produção para um mercado casa vez maior e oscilante, realizada fora de casa, nos edifícios do empregador e sob rigorosa supervisão. Os trabalhadores perderam sua completa independência (...)
(Huberman, p. 115)
Em relação à evolução do sistema de produção, pode-se afirmar:
A - O sistema de produção familiar atendia aos interesses mercantilistas das metrópoles, na medida em que o Estado Absolutista tinha o controle absoluto sobre a produção artesanal.
B - O sistema de corporações de ofício atendia às necessidades da sociedade medieval, cuja produção era restrita aos mercados feudais.
C - O racionalismo renascentista, ao desenvolver a divisão técnica do trabalho, foi fundamental para o desenvolvimento das corporações de ofício.
D - O surgimento do sistema doméstico, provocando o aparecimento do comerciante intermediário, atrasou o desenvolvimento da maquinofatura, ao deslocar o capital da produção para a circulação.
E - O desenvolvimento do sistema fabril foi dificultado pela concorrência estabelecida pelos artesãos, presos às formas tradicionais de produção.

GABARITO:
questão 1: E - questão 2: E - questão 3: E - questão 4: B - questão 5: A - questão 6: C - questão 7: B - questão 8: B - questão 9: E - questão 10: B - questão 11: B - questão 12: B - questão 13: E - questão 14: E - questão 15: E - questão 16: C - questão 17: B - questão 18: E - questão 19: B - questão 20: B


Crise do século XIV

(UDESC) - Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina - Questão 1:
Leia o excerto para responder à questão a seguir.
“Há fome. Cada grão de trigo semeado não dá mais de três, ou de quatro, quando o ano é realmente bom. Uma miséria. O obsidiante fantasma: atravessar o Inverno, aguentar até a Primavera para ir então à natureza, por brejos e matas, arrancar o sustento, armar ciladas, lançar as redes, procurar as bagas, as ervas, as raízes. Enganar a fome. De fato, este mundo parece vazio; na verdade, está sobrepovoado. Há três séculos que a população desatou a crescer, desde que abrandaram as grandes vagas de peste que durante os primórdios da Alta Idade Média, haviam assolado o mundo Ocidental.”
(DUBY, Georges, 1989, p. 10.)
Assinale a alternativa que contém o grupo social que mais se adapta à descrição referente ao cenário medieval acima.
A - A dura realidade da fome que se abatia sobre todos os grupos sociais da ordem feudal indistintamente.
B - A realidade vivida pelos membros do clero, que, por serem da Igreja Católica, praticavam o voto de pobreza.
C - A realidade da massa camponesa, base da sociedade feudal, que enfrentava períodos de escassez devido à baixa produtividade do cultivo de alimentos, entre outros fatores.
D - A realidade dos cavaleiros, que não sabiam cultivar a terra.
E - A realidade dos senhores feudais, que ficavam à mercê da produção dos servos do feudo.

(UFAM) - Universidade Federal do Amazonas - Questão 2:
“Embora no princípio do século XIV a maioria dos Estados cristãos flutuasse ainda no interior de fronteiras incertas, o conjunto da Cristandade encontrava-se estabilizado. Como disse A. Lewis, era o ‘fim da fronteira’. A expansão medieval terminara. Quando a Europa voltasse a se expandir no fim do século XV, seria outro fenômeno.”
LE GOFF, J. A Civilização do Ocidente Medieval. Bauru: EDUSC, 2005, p. 99.
Após ler texto com atenção, você pode depreender que:
A - Durante este período existiu um vasto território no Ocidente europeu, antes marginal, que passou a ser cultivado pela pressão do crescimento demográfico e pelo intenso comércio muçulmano;
B - A queda demográfica iniciada por uma série de intempéries no início do século XIV e agravada pela peste favoreceu o recrudescimento feudal no Ocidente, prejudicando o desenvolvimento de uma economia monetária;
C - Somente a partir do século XV que as frágeis monarquias europeias iniciaram um processo de centralização, ao derrotar os senhores feudais com o apoio das camadas médias urbanas;
D - O fenômeno apontado no texto refere-se à instalação de um novo sistema de produção estruturado na acumulação do capital urbano;
E - A primeira metade do século XIV findou-se com uma epidemia, denominada de Peste Negra, que dizimou um terço da Cristandade, provocando transformações profundas no mundo feudal.

(PUC-PR) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná - Questão 3:
A peste negra matou mais da metade da população europeia em meados do século XIV. Causada pela bactéria Yersinia pestis, a doença representou uma ameaça às áreas mais pobres e infestadas de ratos. A partir do contexto das adversidades vividas na Europa desse período, marque a alternativa CORRETA:
A - Esse período também é marcado pelo fortalecimento do poder e do prestígio do papado. O ideal medieval de uma comunidade cristã unificada e guiada pelo papa foi reforçado.
B - Marca esse período a assinatura do Tratado de Verdun, que acabou com o reino construído por Carlos Magno.
C - A peste negra influenciou, positivamente, o fortalecimento do poder dos senhores feudais e marcou o declínio das atividades comerciais.
D - O pensamento escolástico de Santo Agostinho (1225-1274) predomina nesse contexto em detrimento da perspectiva cristã de São Tomás de Aquino (354-430).
E - Pertence a esse período a série de conflitos conhecida como Guerra dos Cem Anos (1337-1453). Entre franceses e ingleses, essa guerra se iniciou no século XIV, perdurando até o século XV, e contribuiu para a formação dos Estados Nacionais inglês e francês. 

(EMESCAM/ES) - Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória - Questão 4:
A “Peste Negra”, catástrofe social e demográfica, que atingiu a Europa em meados do Século XIV, produziu profundos efeitos na Sociedade da época.
Com base nos conhecimentos sobre esse fato, pode-se destacar entre as principais consequências, EXCETO:
A - Queda na quantidade de mão de obra dispo
Nível ocasionada pelo declínio demográfico.
B - Melhoria na infraestrutura de saneamento das cidades medievais, com a construção de esgotos que fizeram diminuir a disseminação de doenças.
C - Expansão da fome fazendo aumentar a dependência dos servos em relação aos senhores de terra.
D - Revoltas camponesas em consequência dos tributos cobrados, ocasionando a fuga dos camponeses para as cidades.
E - Desarticulação da estrutura feudal, provocando, junto a outros fatores, a desintegração do feudalismo, fazendo com que os senhores feudais fossem perdendo poder político. Ao mesmo tempo, fortaleciam-se a burguesia e o poder real.

(IFG/GO) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás - Questão 5:
Sobre a grande crise feudal e o início da transição do feudalismo para o capitalismo, a partir do início do século XIV, assinale a alternativa incorreta.
A - A recuperação dos solos por meio da rotação de áreas, o motor básico que impulsionara a economia feudal por três séculos, acabou se tornando insuficiente para atender as demandas da nova estrutura social, no contexto do esgotamento de terras adequadas e disponíveis para o cultivo.
B - A formação dos Estados nacionais foi outra das consequências imediatas da grande crise.
C - A população continuou a crescer e a produção caiu nas terras inadequadas e disponíveis para o cultivo, nos níveis da técnica agropecuária existente. Como consequência, o solo se deteriorava por causa da pressa e do mau uso e a produção em geral declinava. 
D - As estruturas profundas da crise emergiram na forma de conflitos aristocráticos, de fome, de epidemias, de revoltas populares e de exacerbação de fanatismos religiosos.
E - Novas formas de produção, circulação e consumo, a exemplo do arrendamento em ‘espécie’ de terras de propriedade aristocrática, o desenvolvimento de novas técnicas de cultivo e a procura do lucro por meio da agricultura comercial emergem lentamente no quadro de crise.

(EMESCAM/ES) - Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória - Questão 6: SAÚDE HUMANA E AS PANDEMIAS
Pandemia é uma epidemia que se espalha por uma grande região (por exemplo, um continente), ou até mesmo pelo mundo. Um caso notório de pandemia foi a “Peste Negra”, que devastou o continente europeu a partir de 1347. Nos anos seguintes, essa pandemia assolou a Europa e dizimou cerca de 20 milhões de pessoas, ou seja, um terço da população da época.
Essa doença era causada pela bactéria Yersinia pestis, transmitida ao ser humano através das pulgas dos ratos-pretos (Rattus rattus) ou outros roedores. Esses ratos chegavam à Europa nos porões dos navios vindos do Oriente. Na época, verificava-se que a noz-moscada fresca, acondicionada num saquinho pendurado no pescoço, servia para espantar a peste negra, atuando como repelente para as pulgas. Além da “Peste Negra”, um outro caso de pandemia famoso foi a “Gripe Espanhola”, que ocorreu no período de 1918-1919, contabilizando, em apenas seis meses, 25 milhões de mortos.
Atualmente, vivemos um período de vigília, tendo em vista que a Organização Mundial de Saúde (OMS) alerta para o possível aparecimento de uma nova pandemia mundial oriunda da mutação do vírus H5N1 da “Gripe Aviária”.
(BURRESON, Jay; COUTEUR, Penny. Os botões de Napoleão: as 17 moléculas que mudaram a história. São Paulo: Jorge Zahar, 2006. Modificado.)
A Peste Negra dizimou um elevado percentual da população europeia no século XIV. Os efeitos da Peste no mesmo século foram a
A - crise da cavalaria e a decadência das cidades italianas.
B - crise do capitalismo e o enfraquecimento do poder papal.
C - escassez de mão-de-obra e as revoltas camponesas.
D - escassez de alimentos e a expansão marítima e comercial dos países ibéricos.
E - aproximação entre a burguesia e o clero e a ascensão das monarquias nacionais.

(CEFET/PR) - Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná - Questão 7: Em meados do século XIV, irrompeu, na Europa Ocidental, uma violenta epidemia de peste bubônica, que ficou conhecida como Peste Negra. Calcula-se que esta epidemia tenha eliminado um terço da população européia. Sua principal conseqüência foi:  
A - incentivar os europeus a se lançarem nas Grandes Navegações, buscando novas terras livres da doença.
B - a Igreja considerar a doença como um castigo divino por estar Jerusalém sob domínio árabe, convocando os nobres feudais para as Cruzadas.
C - a morte de milhões de pessoas, principalmente servos e camponeses, alterar as relações de produção econômica, acelerando a decadência do feudalismo.
D - haver enfraquecimento militar das monarquias européias, facilitando as invasões árabes, principalmente na Espanha e Portugal.
E - para recompor sua força de trabalho, os europeus procurarem utilizar mão-de-obra escrava, fornecida pelos árabes, que dominavam o tráfico há vários séculos.

(FUVEST/SP) - Fundação Universitária para o Vestibular - Questão 8: “No ano de Nosso Senhor de 1348, ocorreu em Florença, a mais bela cidade de toda a Itália, uma peste terrível que, seja devido à influência dos planetas, ou seja como castigo de Deus aos nossos pecados, surgira alguns anos antes no Levante e, depois de passar de um lugar para outro, provocando grandes danos em toda parte, atingiu também o Ocidente.”
(Boccaccio, in “Decameron”)
Obviamente, o Autor refere-se à Peste Negra, que devastou a Europa no século XIV e que trouxe, como conseqüência imediata: 
A - a conclusão da Guerra dos Trinta Anos.
B - novas técnicas de combate ao Rattus norvegicus e à Xenopsylla cheopis.
C - a interrupção da Primeira Cruzada.
D - o enfraquecimento do sistema feudal.
E - o fortalecimento do sistema feudal.

(UFPE) - Universidade Federal de Pernambuco - Questão 9:
A disseminação da Peste Negra na Europa, durante a Idade Média, provocando uma grande mortalidade, contribuiu para:
A - o aumento crescente das atividades manufatureiras, devido à concentração da população nas cidades;
B - o êxodo de parte da população para o oriente, esvaziando as cidades mais importantes;
C - o aumento das superstições e da religiosidade, devido ao desespero e ao medo da morte;
D - o aumento relativo da população do campo, uma vez que ocorreu a morte de boa parte dos habitantes das cidades;
E - o enfraquecimento do poderio militar europeu, que sofreu, na época, frequentes invasões dos povos bárbaros.

GABARITO:
questão 1: C - questão 2: E - questão 3: E - questão 4: B - questão 5: B - questão 6: C - questão 7: C - questão 8: D - questão 9: C

5 comentários:

  1. O SR vai colocar o restante do gabarito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você encontra o gabarito das questões no final de cada grupo.

      Excluir
  2. Ótimas essas questões , da pra praticar bastante!! Obrigada :D

    ResponderExcluir
  3. Excelente trabalho professor! O senhor está de parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns professor, obrigada pelo belíssimo trabalho.

    ResponderExcluir