Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 23 de outubro de 2010

ROMA ANTIGA: 110 questões de vestibulares com gabarito

Postagem atualizada em 24/11/2013

++++

Questões de vestibulares com gabarito sobre a Roma Antiga

(UFPE) - Universidade Federal de Pernambuco -
Questão 1:
A grandiosidade do Império Romano criava muitos problemas administrativos e conflitos de poder, dificultando a ação dos seus governantes. Na arte, os romanos seguiram soluções práticas para facilitar sua vida urbana. A arquitetura romana, por exemplo, foi:
A - marcada pela influência dos etruscos no uso do arco e da abóbada.
B - definida pelas influências grega e egípcia, o que resultou em construções grandiosas em homenagem aos deuses.
C - marcada pela utilização de pedras e tijolos, utilizados em grandes edifícios públicos.
D - suntuosa nas construções públicas, que eram de grande originalidade para a época.
E - baseada no uso exclusivo do arco, graças à influência dos mesopotâmicos.

(UFSM/RS) Universidade Federal de Santa Maria -
Questão 2:
Assinale verdadeira (V) ou falsa (F) em cada uma das afirmações sobre o desenvolvimento tecnológico das sociedades da Antiguidade.
1. ( ) A prática da agricultura, além de permitir aumentar a produção de alimentos, impulsionou inovações em diversos campos do conhecimento, como os sistemas de escrita, a matemática e a astronomia, com a utilização de calendários para organizar a vida social, religiosa e produtiva nas diversas estações.
2. ( ) As civilizações do Crescente Fértil aprimoraram conhecimentos para garantir o emprego adequado do solo, empregaram sistemas de irrigação para melhor aproveitar as águas dos rios, promoveram o conveniente armazenamento das safras, além de alcançarem notáveis avanços na arquitetura e engenharia com a construção de templos religiosos e funerários monumentais.
3. ( ) Mesmo sem terem desenvolvido grandes conhecimentos no campo da matemática e das ciências da natureza – como a biologia, a física e a cosmologia – as polis ou cidades-estados da Grécia antiga notabilizaram-se por legarem ao mundo posterior a filosofia e a democracia, concretizando os princípios de justiça social, igualdade política e cidadania para todos seus habitantes, independente de serem estrangeiros, escravos, mulheres, iletrados ou pobres.
4. ( ) O Império Romano, além de aprimorar a tecnologia da guerra para expandir suas conquistas militares, efetivou avanços significativos na arquitetura e na engenharia com a construção de estradas, portos, aquedutos, termas, circos, mercados, edifícios públicos e redes de esgoto e de água para as cidades.
A sequência correta é
A - V - F - V - F.
B - F - F - F - V.
C - V - V - V - V.
D - F - F - V - F.
E - V - V - F - V.

(UEPG/PR) - Universidade Estadual de Ponta Grossa -
Questão 3:
A antiguidade Greco-romana tornou a escravidão absoluta na forma e dominante na extensão, convertendo-se maciça e generalizada na Grécia (séculos V e IV a.C.) e em Roma (entre II a.C. e II d.C.). Nesse contexto, assinale o que for correto.
1 - A escravidão e a liberdade helênicas eram indivisíveis, pois uma era a condição estrutural da outra; uma condição polarizada da perda completa de liberdade justaposta a uma nova liberdade sem impedimentos.
2 - Embora solidamente enraizado na sociedade clássica antiga, o sistema escravista foi sendo paulatinamente abolido no período.
4 - Os escravos conseguiram melhores condições de vida após promoverem constantes revoltas, como a de Spartacus (73-71 a.C.), que liderou o último movimento rebelde contra Roma.
8 - Nesse período assistiu-se ao aparecimento de uma classe média de proprietários rurais e o desaparecimento do latifúndio.
16 - Foi na República romana que se efetivou a união entre a grande propriedade agrícola e a escravidão em grande escala, ou seja, sua sistematização por uma aristocracia urbana, cujo resultado foi a instituição rural do latifúndio escravo extensivo.

(UFPR) - Universidade Federal do Paraná -
Questão 4:
Toda a Gália está dividida em três partes, uma habitada pelos belgas, outra pelos aquitanos, a terceira por aqueles que nós chamamos de gauleses (em sua língua, celtas). Essas nações diferem entre si pela língua, pelos costumes e pelas leis.
(Júlio César, Guerra das Gálias.)
Esse trecho de Júlio César se refere às conquistas da Roma Antiga e à maneira como os romanos viam os povos que conquistavam. Sobre as conquistas romanas, é correto afirmar:
A - O exército romano era composto somente por escravos.
B - Os povos conquistados eram considerados incultos e menosprezados pelos romanos.
C - As estruturas administrativas construídas pelos romanos foram pouco duráveis, o que limitou a sua capacidade de expansão.
D - Os romanos não tinham uma política de destruição, nem de integração cultural dos povos conquistados, preservando a posição das elites que se aliassem a eles.
E - Durante as guerras de conquista, houve uma diminuição do número de escravos capturados pelos romanos.

(FUVEST/SP) - Fundação Universitária para o Vestibular -
Questão 5:
Cesarismo/cesarista são termos utilizados para caracterizar governantes atuais que, à maneira de Júlio César (de onde o nome), na antiga Roma, exercem um poder
A - teocrático.
B - democrático.
C - aristocrático.
D - burocrático.
E - autocrático.

(UFTM/MG) Universidade Federal do Triângulo Mineiro -
Questão 6:
Os romanos deram o nome de pax romana ao período de estabilização das fronteiras. Nesse período, 300 mil soldados, deslocando-se rapidamente pelas estradas do Império, defenderam as fronteiras junto aos rios Reno e Danúbio contra as incursões das tribos germânicas, contiveram invasões orientais e sufocaram rebeliões internas. A paz romana foi, antes de tudo, uma “paz armada”, o maior símbolo do apogeu do Império, que, no entanto, já carregava em seu interior os sinais de sua decadência.
(Flavio de Campos e Renan Garcia Miranda, A escrita da História)
O fim das conquistas romanas
A - fortaleceu os plebeus, em especial os mais ricos, que conquistaram a instituição do tribunato da plebe e a permissão do casamento com os patrícios.
B - provocou a guerra de Roma contra Cartago – as Guerras Púnicas –, pois os cartagineses colocaram em risco as conquistas romanas na Sicília e no norte da África.
C - gerou o término do suprimento de escravos, decorrendo disso todo um processo de desordem econômica em Roma, com a fragilização do Exército e o avanço dos germanos.
D - estabeleceu uma nova condição jurídica para os plebeus, que não podiam mais ser vítimas da escravização por dívidas e foram beneficiados com a distribuição de terras.
E - motivou o crescimento dos espaços urbanos no Império, com o consequente aumento das atividades manufatureiras e comerciais, além do crescimento da população.

(UFJF/MG) - Universidade Federal de Juiz de Fora -
Questão 7:
A partir do século III assiste-se ao longo processo de crise do Império Romano do Ocidente e ao desenvolvimento das instituições feudais, que daria início ao período medieval. Assinale o item que NÃO se enquadra nesse contexto.
A - A expansão do Império Romano do Ocidente cessou, levando ao decréscimo da obtenção de escravos e riquezas.
B - As fronteiras pouco controladas devido à fragilidade romana possibilitaram a invasão dos povos bárbaros e a fragmentação territorial do Império.
C - O poder político exercido pelas grandes cidades se manteve, levando a um crescimento da urbanização e desenvolvimento das instituições comerciais.
D - Desenvolveu-se o sistema de colonato através do qual escravos e plebeus empobrecidos passaram a trabalhar como colonos nas terras dos grandes proprietários.
E - Iniciaram-se as relações de suserania e vassalagem baseadas em fidelidade e prestação de serviços dos vassalos para com os senhores.

(UFAM) - Universidade Federal do Amazonas -
Questão 8:
Nos últimos anos, a indústria hollywoodiana investiu em filmes sobre a Antiguidade Clássica que se tornaram grandes sucessos. Heróis como Máximo em “Gladiador” ou Aquiles em “Troia” não deixam de representar um estímulo para um conhecimento aprofundado desse momento histórico. A respeito do referido período você pode afirmar que:
I. No século V a.C. os gregos consideravam a polis como o único contexto em que o homem podia realizar as suas capacidades espirituais, morais e intelectuais, ou seja, a sua cidadania.
II. O princípio de liberdade política, fundamental à política grega e estranho à experiência política do Oriente Próximo, era vital para a conformação do ideal democrático no Ocidente.
III. A grande realização de Roma foi transcender a estreita orientação política da cidade-Estado e criar um Estado universal que unificou as diferentes sociedades do mundo mediterrâneo.
IV. Entre os resultados do imperialismo romano sobressaem-se o afluxo de capitais, desenvolvimento de uma economia monetária, a concentração da propriedade fundiária e o crescimento da mão de obra servil.
Com relação a estas afirmativas, você pode concluir que:
A - Todas as proposições estão corretas;
B - Apenas as proposições II, III e IV estão corretas;
C - Apenas as proposições I, II e IV estão corretas;
D - Apenas as proposições I, II e III estão corretas;
E - Todas as proposições estão erradas.

(UFAM) - Universidade Federal do Amazonas -
Questão 9:
Tal como a história dos gregos, também a dos romanos começou pelo desenvolvimento de instituições políticas assentadas na cidade e elaboradas em benefício de uma comunidade de homens livres – os cidadãos – proprietários de terras e que reivindicavam a descendência direta dos fundadores de sua pátria. Em ambos os casos, estes cidadãos privilegiados conseguiram, no momento em que a vida urbana começou ganhar certa amplitude e consistência, eliminar a monarquia (cuja origem se confudia com a própria origem da pátria) dando início a instituições capazes de assegurar o seu domínio.
FLORENZANO, M. B. O Mundo Antigo: economia e sociedade. São Paulo: Brasiliense, 1986, p. 56.
O texto aponta que os cidadãos romanos percorreram uma trajetória política singular.
Sobre as instituições latinas ao longo deste processo podemos destacar:
I. O Senado, instituição mais importante do período republicano, que, no plano legislativo, aprovava as leis votadas nas assembleias, propunha novas leis para serem submetidas ao voto do povo, além de decidir sobre medidas excepcionais, como a de atribuir o poder supremo aos cônsules.
II. A Ditadura ou uma magistratura extraordinária, dotada de poderes excepcionais, substitutiva do Império, ao qual se recorria em momentos de particular gravidade.
III. O Tribunato da Plebe, cuja função era defender indivíduos e propriedades da plebe e administrar os jogos públicos, sendo o poder dos tribunos derivado do fato de serem invioláveis.
A - Apenas II é correta.
B - Apenas I é correta.
C - Apenas III é correta.
D - I, II e III são corretas.
E - I, II, e III são incorretas.

(UFAC) - Universidade Federal do Acre -
Questão 10:
Um legislador, em 621 a.C., na Grécia Antiga, selecionou, organizou e registrou na forma escrita leis que, até então, eram transmitidas pela oralidade e sob o domínio apenas de alguns. Mesmo produzindo um Código bastante severo, mantinha privilégios políticos e sociais para alguns grupos.
Assinale a alternativa correta que indica o nome desse legislador:
A - Sólon;
B - Péricles;
C - Helieu;
D - Drácon;
E - Demiurgo;

(UNIR/RO) - Fundação Universidade Federal de Rondônia -
Questão 11:
O texto abaixo faz referência à tentativa do tribuno da plebe Tibério Sempronio Graco de coibir um dos principais desdobramentos da expansão romana dos séculos III e II a.C.
Foi, então, quando Tibério Sempronio Graco, cidadão nobre animado por uma grande ambição [...] pronunciou [...] um discurso de extrema gravidade para os povos da Itália; falou de como povos particularmente aptos para a guerra e vizinhos dos romanos pelo sangue, mas em via de deslizar pouco a pouco para a miséria [...] Depois de pronunciar este discurso, pôs em vigor a lei que proibia a posse de mais de 500 medidas de terras.
(APIANO. Guerras civis, I, 9, 35-36.)
Qual desdobramento intencionou-se coibir?
A - Crescimento de latifúndios
B - Uso de escravos no exército romano
C - Aumento do poder pessoal dos generais romanos
D - Favorecimento econômico aos aliados em detrimento dos senadores romanos
E - Aumento de impostos para a plebe romana

(UNAMA/PA) - Universidade da Amazônia -
Questão 12:
A partir do texto que se segue e de seus conhecimentos, assinale qual das alternativas abaixo descreve corretamente como eram percebidas a escravidão e as revoltas escravas na Roma antiga.
“Tolere, contudo a desonra das revoltas dos escravos; embora o destino os faça de joguete, trata-se afinal de uma espécie de homens de segunda categoria, dos quais podemos dispor por causa de nossa liberdade”.
(Floro, século III. – retirado de Jaime Pinski. 100 textos de história antiga. São Paulo: Contexto, 1988, p. 13).
A - No texto, a revolta escrava era algo intolerável para os senhores romanos, porque estes escravos eram conhecidos como uma espécie de cidadãos de segunda categoria, com pouco prestígio ou vontade própria.
B - O autor entende que as revoltas escravas eram bem vistas no mundo romano, porque os deuses se divertiam com elas. Estes deuses sabiam que os escravos lutavam por uma causa justa: sua liberdade e que as revoltas escravas eram punições para os patrícios.
C - O texto comprova que os escravos na Roma antiga eram cidadãos de segunda categoria e que suas revoltas eram lutas em vão, porque os Deuses romanos só atuavam em favor dos cidadãos de elite, os patrícios.
D - A revolta escrava estava relacionada com a vontade do Destino. Contudo, os deuses que controlavam o destino, justificavam a escravidão, já que os patrícios não podiam viver como cidadãos livres sem o trabalho de seus escravos.

(UFMS) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul -
Questão 13:
Sobre a história de Roma, é correto afirmar:
1 - Paralelamente à versão lendária da fundação de Roma pelos irmãos gêmeos Rômulo e Remo, descobertas arqueológicas atestam que, antes de 753 a.C., a região do Lácio já era habitada por povos de diferentes etnias, organizados em comunidades agrícolas e pastoris, entre eles os etruscos que, entre os séculos VII e VI a.C., expandiram seu território e controlaram a monarquia em Roma.
2 - O período republicano foi marcado por lutas entre patrícios e plebeus, as quais resultaram na criação de magistrados especiais, conhecidos como Tribunos da Plebe, encarregados de defender os interesses jurídicos, políticos e sociais da plebe junto ao Senado.
4 - A expansão dos domínios romanos, na Península Itálica e em torno do Mar Mediterrâneo, acarretou uma desaceleração do processo de concentração fundiária nas mãos da aristocracia patrícia, haja vista que o Estado romano estabeleceu uma série de medidas visando distribuir terras aos pequenos e médios proprietários e à plebe urbana empobrecida.
8 - Entre as maiores heranças culturais dos romanos, para a civilização ocidental, estão o Direito, bem como a língua latina, que serviu de matriz linguística a inúmeros idiomas modernos.
16 - Deterioração do exército, crise de suprimento da mão de obra escrava, inflação, instabilidade política, instituição do colonato, como novo tipo de relação de trabalho, foram algumas das características que marcaram o período da história romana conhecido como Diarquia, instaurada entre os séculos III e V d.C.

(UFMT) - Universidade Federal de Mato Grosso -
Questão 14:
Os visigodos, ou seja, aqueles outros aliados e cultivadores do solo ocupado estavam aterrados como o haviam estado seus parentes e não sabiam que fazer, por causa do povo dos Hunos [...] enviaram embaixadores à România [...] para dizer que se lhes dessem uma parte da Trácia ou da Mésia a fim de cultivarem, eles se submeteriam às suas leis e decisões. E para que pudesse ter maior confiança neles, prometeram tornar-se cristãos [...] Quando [imperador] Valente ouviu isto, concedeu alegre e prontamente o que ele próprio havia tencionado pedir [aliança romana/visigótica].
(JORDANES apud PEDRERO-SÁNCHEZ, M. G. História da Idade Média. Textos e testemunhas. São Paulo: UNESP, 2000.)
Sobre o assunto abordado no texto, assinale a afirmativa correta.
A - O paganismo ou a heresia ariana professada pelos invasores germânicos foi um elemento que impediu qualquer possibilidade de assimilação ou negociação com os romanos.
B - O Império Romano necessitava de mão de obra, por isso iniciou uma política de incorporação das tribos germânicas que foram escravizadas para atender aos interesses dos latifundiários.
C - O avanço dos povos germânicos no Império Romano aconteceu tanto de modo violento, por meio da conquista militar, quanto de maneira pacífica, por intermédio dos pactos de federação.
D - O esgotamento do solo do Império Romano, em decorrência dos muitos séculos de cultivo intensivo, tornou a agricultura pouco rentável, o que permitiu que amplas regiões fossem entregues aos germânicos em troca de impostos.
E - Os pequenos e médios proprietários romanos não apoiaram a política do Imperador Valente de conceder terras aos germânicos, pois significava a perda de parte de suas propriedades.

(UEG) - Universidade Estadual de Goiás -
Questão 15:
O primeiro Triunvirato foi um sinal inequívoco da crise vivida pela República romana. Apenas três homens, Pompeu, César e Crasso, acumularam quase todos os títulos e cargos importantes. O fim dessa aliança, marcado pela morte de Crasso em 53 a.C., representou imediatamente
A - o aumento da rivalidade entre os dois sobreviventes, César e Pompeu, que resultou em uma violenta guerra civil.
B - o enfraquecimento da influência de César, em virtude do fracasso de sua campanha militar na Gália.
C - o assassinato de César por membros da aristocracia romana dentro do próprio senado.
D - a formação de um novo triunvirato, constituído por Otávio, Marco Antônio e Lépido.

(UEG) - Universidade Estadual de Goiás -
Questão 16:
O advento do cristianismo representou uma revolução na história ocidental, ultrapassando a dimensão religiosa. Ele influenciou de maneira decisiva as estruturas políticas, sociais, culturais e econômicas do Ocidente. Tendo sido perseguido de forma implacável durante um longo período, o cristianismo foi incorporado pelo Império Romano no governo de Constantino. Ao longo do processo histórico que propiciou a expansão do movimento cristão, observa-se que
A - a ampliação e consolidação do Império Romano resultaram essencialmente de sua aliança precoce com o movimento cristão, sendo que este representou um instrumento formidável de sustentação para o governo imperial.
B - o cristianismo proporcionou a dinamização da economia do Império Romano, acelerando o processo do colonato que havia sido iniciado na crise do século III, garantindo a hegemonia de Roma sobre todo o mundo mediterrâneo.
C - o cristianismo apresentava um caráter herético e subversivo, na medida em que rompia com os dogmas judaicos e, ao mesmo tempo, representava um fator de desestruturação social e política para o governo de Roma.
D - o Império Romano apresentou uma forte expansão de suas fronteiras a partir da conquista da Gália e da Germânia, tendo sido favorecido nesse processo pela conversão das populações dessas regiões ao cristianismo.

(UCSAL/BA) - Universidade Católica de Salvador -
Questão 17:
roma17
O Império Romano ampliou seus domínios em torno do Mediterrâneo. Esse fato tornou possível, entre outros aspectos, a comunicação, as transações comerciais e o deslocamento de tropas para as diversas regiões romanas.
Sobre a expansão em questão, é correto afirmar que
A - as conquistas propiciaram, pela primeira vez na Antiguidade, a combinação entre o trabalho escravo em larga escala e o latifúndio, associação que constituiu uma alavanca de acumulação econômica graças às campanhas militares romanas.
B - a conquista de novos territórios desacelerou o processo de concentração fundiária nas mãos da aristocracia patrícia, uma vez que o Estado romano estabeleceu um conjunto de medidas que visava distribuir terras aos pequenos e médios proprietários e à plebe urbana empobrecida.
C - apesar da conquista do Mediterrâneo, os romanos não conseguiram estabelecer a integração das diversas formações sociais ao sistema escravista nem tampouco se dispuseram a criar mecanismos de cooptação social e política dos seus respectivos grupos dominantes.
D - as conquistas militares acabaram por solucionar o problema agrário em Roma, colocando em xeque as medidas defendidas por líderes como os irmãos Graco, que postulavam a expropriação das terras particulares dos patrícios e sua repartição entre as camadas sociais empobrecidas.
E - a expansão militar levou os romanos a empreender um duro processo de latinização dos territórios situados a leste, o que se tornou um elemento de constante instabilidade político-social durante a República e também à época do Império.

(UFAL) - Universidade Federal de Alagoas -
Questão 18:
A fim de controlar as inúmeras revoltas dos escravos e o descontentamento popular entre os plebeus, o Imperador romano Otávio Augusto adotou a seguinte medida:
A - a criação do Primeiro Triunvirato e a concessão de cidadania aos plebeus.
B - Redividiu as terras e criou novas colônias para acabar com a desocupação da plebe urbana e atraí-la para o trabalho rural.
C - Determinou que os latifundiários fossem obrigados a empregar pelo menos um terço dos trabalhadores livres.
D - Usou uma política chamada pelos romanos de Pão e Circo, na qual o governo organizava os espetáculos públicos onde se distribuía porções de trigo à população.
E - A criação em 493 a.C., do Tribunato da Plebe, assembleia formada exclusivamente por plebeus.

(UEPB) - Universidade Estadual da Paraíba -
Questão 19:
Dentre os movimentos sociais que marcaram a República Romana, podemos destacar as lutas entre patrícios e plebeus. Sobre estas lutas, é correto afirmar:
A - O casamento entre patrícios e plebeus não foi permitido, apesar das conquistas do povo romano nas lutas contra os patrícios.
B - Apesar da marginalização política, não havia discriminação entre patrícios e plebeus.
C - Os plebeus conquistaram, em 367 a.C, o direito de participar do consulado com a promulgação da Lei Licínia, que também regulamentou a exploração das terras públicas.
D - Quando um patrício tornava-se insolvente, sem condições de pagar dívidas, tinha de se submeter ao nexum. Este foi um dos fatores que causou os conflitos entre plebeus e patrícios.
E - Em 450 a.C, foi publicada a Lei das Doze Tábuas, um dos fundamentos do Direito Romano, que não assegurou a igualdade jurídica entre patrícios e plebeus.

(URCA/CE) - Universidade Regional do Cariri -
Questão 20:
Considerada a área do conhecimento mais aperfeiçoada pelos romanos na Antiguidade, a área do Direito foi uma de suas maiores contribuições para a cultura da chamada “civilização ocidental”. Após longa e complexa evolução, o Direito atingiu seu apogeu na época do Principado. No entanto, no período monárquico (753 a.C. – 509 a.C.) e no início do período republicano, o Direito Romano era todo oral e baseado nos costumes. Diversos conflitos entre patrícios e plebeus surgiram por causa dessa situação. O Direito Romano passou a ser escrito com:
A - A criação das Leis das XII Tábuas em 450 a. C.
B - A criação da Lei Licínia em 367 a.C.
C - As reformas políticas de Tibério e Caio Graco, em 133 a. C. e 121 a.C.
D - A criação do Principado de Otávio Augusto, a partir de 30 a.C.
E - A criação do Corpus Júris Civilis, de Justiniano.

(UECE) - Universidade Estadual do Ceará -
Questão 21:
As fronteiras do grandioso Império Romano foram, aos poucos, ocupadas. Ao longo dos Rios Reno e Danúbio, se instalaram grandes massas de Germanos. Sobre as principais causas dessa ocupação é correto afirmar que os Germanos
A - almejavam o controle dos itinerários e das rotas comerciais do mar Mediterrâneo que conduziam à Ásia.
B - ocuparam as fronteiras do Império Romano, pois foram derrotados, pressionados e expulsos de suas terras pelos Partos.
C - eram ambiciosos e tinham aversão e desprezo pelo modo de vida dos romanos, especialmente sobre suas práticas políticas corruptas.
D - foram pressionados por povos oriundos da Ásia central e para fugir da miséria e da guerra expandiram-se para o Ocidente.

(UFPE) - Universidade Federal de Pernambuco -
Questão 22:
O poder político dos romanos não foi uma sucessão de vitória e de crescimento de riquezas sem limites. A expansão do Império trouxe problemas e dificultou os governos, trazendo um aumento constante de conflitos políticos. Na época de Rômulo Augusto houve: A - a redução do poder dos sacerdotes e da Igreja católica.
B - a adoção oficial da religião cristã em todo o Império.
C - a divisão administrativa do Império para fortalecer sua força militar.
D - a construção de uma aliança política com os muçulmanos.
E - queda de Roma, em 476, com a invasão dos chamados bárbaros, fragmentando o Império.

(UFRPE/PE) Universidade Federal Rural de Pernambuco -
Questão 23:
No governo de Otávio Augusto, ocorreu em Roma:
A - um massacre dos povos insubordinados culturalmente.
B - um aumento majestoso dos gastos militares.
C - negociação entre os povos cristãos e o imperador.
D - a decadência administrativa e a crise militar.
E - um tratamento político mais diplomático com os povos vencidos.

(UESPI) - Universidade Estadual do Piauí -
Questão 24:
A preocupação romana, com as guerras e a manutenção do império, não evitou que a religião tivesse grande importância na vida cotidiana. Nas suas crenças religiosas, os romanos:
A - evitaram o politeísmo, seguindo os ensinamentos do cristianismo.
B - fugiram de divindades e de princípios religiosos que lembravam a falta de ética.
C - imitaram os gregos em muitos princípios e na aceitação das divindades.
D - desprezavam os cultos familiares, considerados supersticiosos e vazios.
E - tinham, inicialmente, uma religião ética e politeísta, com rituais rígidos.

(UEL/PR) - Universidade Estadual de Londrina -
Questão 25:
A expansão imperial romana resultou, a partir do século I d.C., na utilização do trabalho escravo em grande escala e no aumento significativo do número de plebeus desocupados, aos quais se juntaram levas de pequenos agricultores arruinados. Isso incrementou o êxodo rural e provocou o inchamento das cidades, especialmente de Roma. Para amenizar o problema social dessas massas, o Estado passou a dar-lhes subsídios.
Essa política caracterizou-se pela distribuição de:
A - terras para os desocupados, caracterizando uma verdadeira reforma agrária, conhecida como a política agrária, de Licínio.
B - dinheiro para a aquisição de roupas e alimentos, combatendo a inflação que assolava a República, provocada pela política de Tucídides.
C - grãos a preços baixos e espetáculos públicos gratuitos, conhecida como a política do pão e circo, de Augusto.
D - sementes, instrumentos agrícolas e escravos para o cultivo de terras na Sicília e no norte da África: a política de colonização, de Suetônio.
E - escravos para estimular a agricultura da Península Ibérica, conhecida como a política agrícola, de Cláudio.

(UFPR) - Universidade Federal do Paraná -
Questão 26:
No ano 313 d.C., o Imperador Constantino reconheceu o cristianismo como religião oficial do Império Romano, por meio do Édito de Milão. Sobre o cristianismo na Antiguidade, é INCORRETO afirmar:
A - Os primeiros cristãos sofreram grandes perseguições por motivos políticos.
B - Por serem politeístas, os romanos inicialmente resistiram em aceitar o monoteísmo cristão.
C - Durante a Antiguidade, ocorreram conversões ao cristianismo de muitos povos chamados “bárbaros”.
D - No início de sua formação, a Igreja Cristã baseou sua estrutura na organização do Império Romano, reproduzindo também sua divisão de poder.
E - A partir do Édito de Milão, ficou estabelecido que somente autoridades religiosas poderiam determinar os rumos da Igreja.

(UESPI) - Universidade Estadual do Piauí -
Questão 27:
A preocupação romana, com as guerras e a manutenção do império, não evitou que a religião tivesse grande importância na vida cotidiana. Nas suas crenças religiosas, os romanos:
A - evitaram o politeísmo, seguindo os ensinamentos do cristianismo.
B - fugiram de divindades e de princípios religiosos que lembravam a falta de ética.
C - imitaram os gregos em muitos princípios e na aceitação das divindades.
D - desprezavam os cultos familiares, considerados supersticiosos e vazios.
E - tinham, inicialmente, uma religião ética e politeísta, com rituais rígidos.

(UCS/RS) - Universidade de Caxias do Sul -
Questão 28:
A mais notável contribuição romana à cultura ocidental ocorreu no campo do Direito. Até hoje, os Códigos de Leis romanos permanecem entre os fundamentos do Direito contemporâneo.
Analise a veracidade (V) ou falsidade (F) das proposições abaixo, com relação ao Direito Romano.
( ) Era um código que tratava apenas da esfera pública, pois o Direito Privado, tal como entendemos hoje, estava ausente da preocupação dos juristas romanos.
( ) As leis romanas foram criadas para dar uma solução prática aos problemas decorrentes das lutas entre os grupos sociais e pelas guerras de conquista.
( ) Estava dividido em Civil, que regulamentava a vida dos cidadãos; Estrangeiro, aplicado aos que não eram cidadãos; e Natural, que regulamentava a vida de todos os habitantes de Roma.
Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses, de cima para baixo.
A - V – V – V
B - V – F – F
C - V – V – F
D - F – F – V
E - F – V – V

(UERN) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte -
Questão 29:
Em Roma havia uma nítida distinção entre o Direito Público – que regulava as relações entre o cidadão e o Estado – e o Direito Privado – que tratava das relações dos cidadãos entre si. Deve-se acrescentar que as mulheres não eram passíveis de ser julgadas pelos tribunais públicos. Competia ao pater famílias exercer o direito de justiças, na sua própria casa, sobre os membros da família subordinados à sua autoridade. (AQUINO ET AL, 1980, p. 263).
De acordo com o texto e os conhecimentos sobre a cultura da Antiguidade Clássica, pode-se afirmar:
A - A nítida distinção entre o Direito Público e o Privado, transplantada da era romana para o Novo Mundo, tem sido aplicada no Brasil, desde a oficialização da colonização e do povoamento.
B - O Direito Público, instituído na Roma Antiga, permaneceu restrito à normatização das relações entre cidadãos de procedência patrícia e à categoria de escravos por dívidas.
C - A diferenciação evidente entre os dois tipos de direito resultou das exigências dos cristãos que compuseram os quadros do governo durante a República Romana.
D - O fato de ser o pater famílias apto a exercer o direito de justiça sobre os membros da família subordinados à sua autoridade comprova que a sociedade da Roma Antiga tinha como suporte a família patriarcal.
(UNIFESP/SP) - Universidade Federal de São Paulo -
Questão 30: [...] não era a falta de mecanização [na Grécia e em Roma] que tornava indispensável o recurso à escravidão; ocorrera exatamente o contrário: a presença maciça da escravidão determinou a “estagnação tecnológica” greco-romana.
(Aldo Schiavone. Uma história rompida: Roma antiga e ocidente moderno.
São Paulo: Edusp, 2005.)
A escravidão na Grécia e na Roma antigas
A - baseava-se em características raciais dos trabalhadores.
B - expandia-se nos períodos de conquistas e domínio de outros povos.
C - dependia da tolerância e da passividade dos escravos.
D - foi abolida nas cidades democráticas.
E - restringia-se às atividades domésticas e urbanas.

(UFAM) - Universidade Federal do Amazonas -
Questão 31: Durante sua primeira fase, os romanos assentavam sua organização política na forma monárquica de poder, mas já ali existia o Senado, uma das instituições políticas mais antigas de Roma.Neste momento inicial, o Senado:
A - Era formado pelos centuriões que, nomeados pelo rei, representavam as 100 mais importantes famílias patrícias de Roma.
B - Alcançou notável autonomia, limitando frequentemente o poder régio através do veto, o que ocorria quando dois terços de seus membros manifestavam-se contrários as decisões do monarca.
C - Funcionava como uma assembleia aristocrática de assessoramento às deliberações do Rei e era constituído pelos mais velhos (seniores), sendo vedada a presença de plebeus.
D - Composto por representações paritárias de patrícios e plebeus, restringiu suas funções à prática legislativa, elaborando o corpus jurídico do estado romano.
E - Funcionava como uma espécie de Assembleia de Notáveis que impunha obediência ao monarca e definia as ações estratégicas do Estado.

(UFTM/MG) Universidade Federal do Triângulo Mineiro -
Questão 32:
“Mesmo para um cidadão romano, seria impossível dizer, com certeza, se o sistema, em seu conjunto, era aristocrático, democrático ou monárquico. Com efeito, a quem fixar a atenção no poder dos cônsules, a constituição romana parecerá totalmente monárquica; a quem fixar no Senado parecerá aristocrática, e a quem se fixar no poder do povo, parecerá claramente democrática.
(...) cada uma das três partes [do Estado] é capaz, se desejar, de criar obstáculos ás outras, ou de colaborar com elas (...) Nenhum dos poderes predomina sobre os outros nem pode desprezá-los.”
(Políbio, História, século II a.C.)
De acordo com o historiador grego, Políbio, a Constituição de Roma, que favorecera as conquistas no Mediterrâneo, era:
A - baseada no predomínio do Senado sobre a autoridade dos cônsules e do povo.
B - certamente democrática, por entregar aos plebeus a maior parte dos poderes.
C - marcada pelo conflito entre os diferentes poderes que compunham o Estado.
D - claramente aristocrática, por concentrar o poder nas mãos dos cônsules.
E - caracterizada pelo equilíbrio de poder entre os cônsules, o Senado e o povo.

(PUC-PR) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná -
Questão 33:
As lutas por riquezas e territórios sempre estiveram presentes na História. Na Antiguidade, o Mediterrâneo foi disputado nas Guerras Púnicas por:
A - romanos e cartagineses.
B - gregos e persas.
C - macedônicos e romanos.
D - romanos e germânicos.
E - gregos e romanos.

(UFSC/SC) - Universidade Federal de Santa Catarina -
Questão 34:
“ELEFANTES – Vendo. Para circo ou zoológico. Usados mas em bom estado. Já domados e com baixa do exército. Tratar com Aníbal.” (p. 143)
“TORRO TUDO – E toco cítara. Tratar com Nero.” (p.144)
VERISSIMO, Luis Fernando. O Classificado através da História. In: Comédias para se ler na escola.
São Paulo: Objetiva, 2001.
Sobre Roma na Antigüidade, é CORRETO afirmar que:
1 - Aníbal foi um conhecido comandante de Cartago, que combateu os romanos durante as Guerras Púnicas.
2 - as Guerras Púnicas, que envolveram Cartago e Roma, aconteceram no contexto da expansão territorial romana.
4 - a expansão territorial acabou se revelando um fracasso. Isto pode ser percebido pela ausência de alterações nos hábitos da sociedade romana nos períodos que se sucederam.
8 - o domínio de Roma no Mediterrâneo favoreceu o fim da República e a ascensão do Império.
16 - Nero foi um governante de Roma conhecido pelo apoio que prestou aos cristãos, sendo responsável por elevar o Cristianismo a religião oficial do Império Romano.
32 - o período de governo de Nero é conhecido como um momento de decadência do Império Romano, cujos motivos estão, entre outros, nos graves problemas sociais causados pela existência de uma cidadania restrita e pelos abusos administrativos.
64 - a escravidão, embora presente, nunca foi economicamente relevante na sociedade romana.

(UEPA) - Universidade do Estado do Pará -
Questão 35:
“O Homem e o mundo”.
O homem e o mundo De ciência avançada / O homem e o mundo Mas também de AIDS / e fome / Que mundo? / De guerra, de terror./ Onde a paz se faz ausente / Mundo de pobres / E a violência presente Mundo de ricos / Que violência? Mundo, imundo, sujo e / Do campo? Onde morrem poluído. / os lavradores. Enfim ... Homem / Da cidade? Onde o homem / É este o mundo que tens / sofre horrores Para nele viver, procriar e /
Mundo de ontem, devagar morrer. / Mundo de hoje, apressado, De que? / Mundo de nets, sites, e De velhice, de doença, de / email. fome ou mesmo vítima da / violência.
Lenora Maria

Dado o questionamento da autora no verso “Que mundo? De guerra, de terror, onde a paz se faz ausente e a violência presente” é possível refletir sobre o quadro político que caracterizou a Roma Antiga, no período republicano. Neste cenário, a instituição da guerra:
A - representou a luta por conquistas políticas dos plebeus, a qual resultou nas leis agrárias aprovadas pelo Senado, no estabelecimento do Tribuno da Plebe, e na difusão da Pax Romana nos territórios conquistados.
B - enfraqueceu o desenvolvimento da política do pão e circo, que atendia aos anseios da plebe romana, o que provocou ondas de terror e de violência que resultaram na queda da República e a ascensão do Principado.
C - contribuiu para a expansão e conquistas territoriais, aumentando as tensões entre os povos conquistados e também entre a plebe e o patriciado romano, os quais reivindicavam maior participação política.
D - favoreceu a criação da Assembléia Centuriata, na qual se destacava a figura do centurião romano que, a partir daí, se fortaleceu politicamente, facilitando o acesso dos chefes legionários às magistraturas romanas.
E - permitiu a anexação de Reinos do Antigo Oriente, destacando-se o Egito dos Selêucidas, alcançado depois das guerras púnicas, quando os romanos venceram o exército dos cartagineses e dominaram o Mediterrâneo.

(UFPA) - Univesidade Federal do Pará -
Questão 36:
Leia o texto abaixo.
“Todos os caminhos levam a Roma!" O ditado é famoso. Mas, nos dias de hoje, a que Roma essas palavras estariam se referindo? À Roma atual, metrópole cosmopolita, capital da Itália, um dos mais importantes países da Europa? Ou à Roma antiga, capital de um dos mais poderosos impérios conhecidos pela humanidade? Ou, ainda, à Roma cristã, que tem no Vaticano a sede da Igreja Católica?”.
(Trecho retirado de um site de turismo: (http://www.ardus.com.br/inf/guia/roma.htm )
Nos dias de hoje, podemos duvidar sobre qual Roma visitar no final da Idade Antiga, no entanto, quando o ditado acima transcrito se popularizou, Roma era uma cidade única. Sobre esta especificidade de Roma antiga, é correto afirmar que esta cidade era:
A - conhecida como a sede do poder cristão, tendo o Vaticano e o Papa como ícones máximos do mundo cristão.
B - na Antiguidade uma “metrópole cosmopolita”, onde produtos de todas as partes circulavam de forma capitalista.
C - a principal cidade do Império Romano Ocidental, local central do exercício do poder político e da efetivação da cidadania romana.
D - a capital da Itália e símbolo da unificação européia centralizada desde a época Imperial.
E - conhecida por cidade luz, pois abrigava diferentes tipos de pessoas e nacionalidades que conviviam democraticamente como cidadãos.

(UNAMA/PA) - Universidade da Amazônia -
Questão 37:
“Em Roma a “voz do sangue” falava muito pouco; o que falava mais alto era a voz do nome de família”.
VEYNE, Paul. História da vida privada. São Paulo: Companhia das Letras, v. I, p. 25.
A partir da frase anterior, e de seus estudos históricos, é correto afirmar que os romanos:
A - escolhiam seus herdeiros em função do reconhecimento e legitimidade dos filhos, podendo deixar bens tanto para os filhos de sangue, quanto para os adotados.
B - distribuíam seus bens de acordo com o nascimento de seu filho, valorizando o primogênito e descartando os demais, sobretudo as mulheres;
C - selecionavam seus herdeiros de acordo com a educação recebida, cabendo aos homens e mulheres, com melhor desempenho escolar, a herança maior;
D - escolhiam seus herdeiros de acordo com o nome de família, ou seja, aqueles que eram de linhagem nobre eram os herdeiros, nada cabendo aos bastardos e aos adotados.

(UEMS)- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul -
Questão 38:
A Pax Romana, que caracterizou os dois primeiros séculos da Era Cristã, marca um período de controle das guerras civis, das revoltas coloniais e dos conflitos urbanos. A adoção dessa política ocorreu no governo de:
A - Caio Júlio César;
B - Otávio;
C - Nero;
D - Calígula;
E - Tibério.

(UFES) - Universidade Federal do Espírito Santo -
Questão 39:
O oficial romano Orestes, tendo tomado o comando do exército, partiu de Roma ao encontro dos inimigos e chegou a Ravena, onde parou para fazer imperador seu filho, Rômulo Augusto. [...] Porém, pouco depois de Rômulo Augusto ter sido estabelecido imperador de Ravena por seu pai, Odoacro, rei dos turcilingos, tendo consigo cirus, hérulos e auxiliares de diversas tribos, ocupou a Itália. Orestes foi morto e seu filho, Rômulo Augusto, expulso do reino e condenado à pena de exílio no Castelo Luculano, na Campânia. Assim, o Império do Ocidente do povo romano, que o primeiro dos augustos – Otaviano Augusto – tinha começado a dirigir no ano 709 da fundação da cidade de Roma, pereceu com Rômulo Augusto no ano de 522 do reinado dos seus antecessores imperadores. Desde aí, Roma e a Itália foram governadas pelos reis dos godos.
Jordanes, in: PEDRERO-SÁNCHEZ, M. G. História da Idade Média. São Paulo: Editora Unesp, 2000,
p. 39-40. Adaptado.
O texto acima, escrito por Jordanes, um autor do século VI d.C., nos informa sobre os acontecimentos políticos que marcaram o início e o fim do Império Romano do Ocidente: a ascensão de Otávio Augusto ao poder e a deposição de Rômulo Augusto por Odoacro, no contexto das invasões bárbaras. Tendo em vista essas considerações, explique
a) a importância da atuação política de Otávio Augusto para a criação do Império Romano.
b) dois fatores que contribuíram para a desagregação do Império Romano do Ocidente.

(UFAM) - Universidade Federal do Amazonas -
Questão 40:
A civilização romana conheceu a seguinte evolução política:
A - Império, Monarquia e República;
B - Monarquia, Império e República;
C - Monarquia, República e Império;
D - Império, República e Monarquia;
E - República, Monarquia e Império.

(UEA/AM) Universidade do Estado do Amazonas -
Questão 41:
Na Roma republicana, “o tribunal e a assembléia tribal foram simplesmente acrescentados às instituições centrais existentes no Senado, Consulado e Assembléia centuriada: não significavam uma abolição interna do complexo oligárquico de poder que guiava a República.”
(Anderson)
Assinale a alternativa correta a respeito da organização e do processo sociopolítico na Roma Antiga republicana:
A - A luta de classes em Roma foi por vezes violenta e prolongada, produziu desempenhos heróicos, como os de Caio e Tibério Graco, e alterações que beneficiavam a plebe, mas jamais aboliu ou substituiu a estrutura cívica de poder da nobreza hereditária.
B - O Senado Romano só teve poder no início da República e era constituído pelos indivíduos considerados mais capazes, independentemente de sua origem familiar.
C - Embora a democracia provenha da Grécia, a escolha dos magistrados em Roma era feita do modo mais democrático possível para os padrões da Antiguidade: eram escolhidos por todos os habitantes da cidade, em assembléia na praça pública.
D - Quem governava, na Roma republicana, era o cônsul, enquanto o Senado se constituía numa simples representação honorífica de família.
E - A plebe romana representava-se por uma assembléia tribal, que reunia os representantes das aldeias estrangeiras dominadas e ainda organizadas em comunidade primitiva.

(PUC-RS) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul -
Questão 42:
Para responder à questão 5, considere o texto abaixo:
“Depois de meio século de lutas internas, Caio Júlio César, um general aristocrata que se dizia descendente de Vênus e Enéias, conquistou em poucos anos a Gália, uma enorme área que corresponde, mais ou menos, à atual França, Suíça, Bélgica e parte da Alemanha. Quando o Senado não lhe quis permitir que continuasse a comandar as tropas, César recusou-se a obedecer (...) e tornou-se ditador em seguida”.
FUNARI, Pedro P. Grécia e Roma. São Paulo: Contexto, 2001, p. 89.
Considerando a história política da Roma Antiga, o contexto refere-se a uma culminância da crise:
A - da Realeza;
B - da República;
C - do Principado;
D - do Alto Império;
E - do Baixo Império.

(UFRGS) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul -
Questão 43:
Por cerca de cinco séculos, a Roma Antiga reinou sobre uma imensa formação imperial. Em relação aos elementos constitutivos desse Império, assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo:
( ) O sistema econômico imperial repousava sobretudo na exploração de tributos impostos ao mundo conquistado (as províncias) em proveito dos conquistadores romanos.
( ) O uso do latim na administração e no Exército fez dessa língua o instrumento oficial de comunicação na parte ocidental do Império.
( ) A crise final do Império esteve ligada ao aumento excessivo do trabalho escravo, que arruinou os pequenos proprietários rurais e os camponeses pobres.
( ) O Édito de Caracala concedeu a cidadania a todos os homens livres do Império.
( ) Em nome da Pax Romana, os estrangeiros eram rigorosamente proibidos de entrar na capital do Império.
A seqüência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:
A - F – F – V – V – V.
B - V – V – F – F – F.
C - V – V – F – V – F.
D - V – F – V – F – V.
E - F – F – V – F – V.

(UFG/GO) - Universidade Federal de Goiás -
Questão 44:
Leia o texto abaixo:
roma44
O texto oferece subsídios para a compreensão do processo de:
A - fixação de colônias romanas nas regiões conquistadas;
B - cobrança dos tributos em escravos e em espécie para Roma;
C - expansão romana em direção ao Norte, no final do período republicano;
D - estabelecimento de alianças políticas de Roma com os povos vencidos;
E - fortalecimento do poder senatorial romano em relação ao poder imperial.

(UFSCAR/SP) - Universidade Federal de São Carlos -
Questão 45:
Considere os acontecimentos da história romana.
I. Construção da Muralha de Adriano.
II. Início da República romana.
III. Revolta dos Escravos liderada por Espártaco.
IV. A cidadania romana é concedida a todos os habitantes do Império.
V. Primeira Guerra Púnica.
Esses acontecimentos, colocados na ordem cronológica correta, são:
A - I, II, III, IV e V.
B - III, IV, V, II e I.
C - II, V, III, I e IV.
D - V, IV, III, II e I.
E - II, I, IV, V e III.

(UPE) - Universidade de Pernambuco -
Questão 46:
Os impérios da Antiguidade conseguiram dominar extensas áreas territoriais com força militar e negociações políticas. A grandeza dos romanos é sempre ressaltada, quando se refere ao domínio de outros povos. Os romanos:
A - construíram um império baseado apenas na sua expressiva força militar, decorrente de um numeroso e combativo exército;
B - dominaram toda península Ibérica, não conseguindo derrotar povos de outras regiões da Europa;
C - conseguiram construir uma complexa administração para manter seu império, com feitos administrativos seguidos pela cultura ocidental;
D - fracassaram na tentativa de dominar os gregos que resistiram nas lutas realizadas no Mar Mediterrâneo;
E - não se preocuparam com a cultura dos outros povos, mantendo sua identidade cultural e religiosa, basicamente ocidental.

(UFPE) - Universidade Federal de Pernambuco -
Questão 47:
Na história política de Roma, durante os governos monárquicos, os plebeus:
A - possuíam latifúndios, exercendo influência sobre as relações políticas existentes na época;
B - não eram cidadãos romanos, mas tinham poderes políticos destacados, inclusive na escolha dos monarcas;
C - dominavam o núcleo central do poder, obtendo vitória nas eleições em face dos seus privilégios políticos;
D - gozavam de privilégios diferentes daqueles concedidos aos patrícios, pois não eram vistos como descendentes dos fundadores de Roma;
E - tornaram-se grandes proprietários de terra e exportadores da produção agrícola de Roma para a Grécia.

(ACAFE/SC) - Associação Catarinense das Fundações Educacionais -
Questão 48:
O Império Romano constituiu-se como um dos mais importantes da Antiguidade, tanto pela área de sua abrangência quanto pelas heranças culturais deixadas para a posteridade do mundo ocidental, nas áreas de conhecimento e nos diversos campos de atividades.
Acerca do exposto, todas as alternativas estão corretas, exceto:
A - Na Palestina, alvo de conflitos interétnicos que estão na ordem do dia, surgiu o cristianismo, que se tornou a religião oficial do Império Romano.
B - O Direito Romano dividia-se em dois ramos fundamentais, o Direito Público e Direito Privado, classificação ainda usada na atualidade.
C - O termo mecenato, usado até os dias atuais, referia-se à proteção do estado romano para as instituições de crédito que promoviam obras sociais.
D - Abóbadas, arcos e cúpulas, freqüentemente utilizados em obras da arquitetura moderna, eram de uso comum no estilo funcional das construções romanas.
E - As terminologias científicas utilizadas internacionalmente para a denominação de insetos, animais, doenças e medicamentos derivam, em grande parte, do latim.

(ACAFE/SC) - Associação Catarinense das Fundações Educacionais -
Questão 49:
Analise as afirmações a seguir:
I. A Igreja Cristã, perseguida pelos romanos, transformou-se na instituição religiosa oficial do Império Romano, a partir do século IV d.C.
II. Inspiradas na cultura grega, a mitologia, a religião e as artes romanas consagraram uma unidade que caracterizou o mundo ocidental grecoromano.
III. Controlando um império de proporções gigantescas, os romanos criaram e mantiveram um exército forte e bem treinado, além de uma estrutura jurídica ampla e eficiente.
IV. A República Romana se caracterizou por um governo centralizado e monárquico em que os imperadores controlavam toda a política, fechando instituições como o Senado.
V. A economia romana era totalmente voltada ao comércio com o Oriente. A agricultura era desenvolvida nas províncias do Império Romano, sendo que elas produziam somente o que ele desejasse e determinasse.
A alternativa que contém todas as afirmações corretas é:
A - I – II – IV – V
B - I – II – V
C - II – III – IV
D - III – IV – V
E - I – II – III

(UFMS) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul -
Questão 50: Sobre reconhecimento do Cristianismo no contexto da história do Império Romano, é correto afirmar que:
A - após ter sido batizado por Paulo III, em 275, o imperador Constantino I declarou o Cristianismo como religião oficial do Império Romano;
B - temendo que os cristãos pudessem estimular ainda mais as rebeliões de escravos e, com isso, aprofundar a crise do sistema econômico escravista, o Império reconheceu o Cristianismo como religião em 330, mas cuidou de transferir seus seguidores para Constantinopla, recém-fundada capital do Império Romano do Oriente;
C - como nova religião, o Cristianismo gradualmente ganhou um caráter universal; a defesa da igualdade e a promessa de salvação após a morte deram, de início, um novo sentido à vida de setores populares urbanos e logo se estenderam aos campos e às classes de proprietários. Aos poucos, o Cristianismo adotou uma organização hierárquica, nos moldes do sistema administrativo imperial, até que, em 313, pelo Edito de Milão, o Estado romano reconheceu oficialmente a religião cristã;
D - o caráter público das reuniões mantidas pelos cristãos, seu apego às categorias sociais e honras terrenas, sua participação no culto imperial, a propaganda exaltada em defesa da vida militar e o apoio à escravidão, tudo isso levou o Cristianismo a ser reconhecido como a religião oficial do Império Romano;
E - após a morte de Jesus, rapidamente o Cristianismo se propagou em Roma, até ser, em 46, declarado como religião oficial do Império, tendo à frente Pedro, o pescador da Galiléia, como o primeiro papa da Igreja Católica Apostólica Romana.

(UFMT) - Universidade Federal de Mato Grosso -
Questão 51: Intensos conflitos fronteiriços com povos bárbaros, desvalorização da moeda, vazio de poder, desintegração do sistema de impostos, revoltas no campo, falta de mão-de-obra escrava, tendência à ruralização,
auto-suficiência dos domínios e insegurança principalmente nas cidades. O quadro descrito refere-se ao:
A - declínio do Império Romano e à passagem da Antigüidade ao feudalismo;
B - processo de transição do feudalismo ao capitalismo;
C - período que marcou o surgimento das cidades e o ressurgimento do comércio;
D - aparecimento de uma sociedade caracterizada pela propriedade coletiva da terra e centrada nas cidades;
E - declínio da sociedade urbana na Idade Média e ao surgimento de comunidades aldeãs.

(UNEMAT/MT) - Universidade do Estado de Mato Grosso -
Questão 52: Leia atentamente um fragmento de Suetônio (1990, p. 51) sobre a história de Júlio César e julgue as alternativas:
“(...) Não existem distinções que não recebessem segundo seu capricho e que não concedesse da mesma maneira. Cônsul pela terceira e quarta vez, se limitou a ostentar o título, e se contentou em exercer a ditadura que haviam concedido com os consulados; (...) durante os quais só reuniu comícios para eleição de tribunos e éditos do povo. Estabeleceu prefeitos em lugar de pretores, para administrarem abaixo das suas ordens”.
A - César limita-se aos poderes de ditador e cônsul da República Romana.
B - César nunca chegou a ser imperador, foi assassinado antes de receber de Roma essa honra.
C - César, como bem mostra o fragmento, já goza dos poderes de imperador.
D - O Consulado e a Ditadura são cargos típicos da República Romana, unificados por César no final da sua vida.

(PUC-PR) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná -
Questão 53: A importância de Otávio Augusto em Roma Antiga concentra-se principalmente no seu esforço para:
A - solucionar a crise agrícola decorrente da falta de pequenas propriedades;
B - vencer as guerras púnicas, trazendo paz para a sociedade romana;
C - estruturar um império com governo centralizado, apoiado em instituições republicanas;
D - impedir que as reformas introduzidas pelos Gracos alterassem a estrutura agrária de Roma;
E - favorecer a expansão do cristianismo, conciliando seus princípios com a filosofia romana.

(UEG) - Universidade Estadual de Goiás -
Questão 54:
Desenvolveu-se nos homens primeiro a sede do dinheiro, em seguida o amor ao poder; tais desejos foram, por assim dizer, as fontes de todos os males... mais tarde quando o contágio se propagou como uma epidemia, a cidade mudou de aspecto; e o seu governo, até esse momento tão justo e virtuoso, tornou-se cruel e insuportável.
SALÚSTIO. The Conspiracy of Catiline. Baltimore: Penguin Books, 1963. p. 181.
Salústio (86-34 a.C.) escreveu essas palavras condenando o colapso dos valores e do regime republicano. As observações do historiador romano devem ser inseridas no quadro de desorganização geral da vida social romana. Sobre a decadência do regime republicano, identifique a alternativa incorreta:
A - Nas longas guerras empreendidas pelos romanos contra os cartagineses, as pequenas propriedades rurais foram arruinadas, obrigando seus proprietários a vendê-las a baixos preços, provocando a formação de grandes latifúndios.
B - A introdução do trabalho escravo nas plantações chamadas latifundia provocou um grande êxodo rural dos pequenos camponeses para Roma, favorecendo a formação de uma camada urbana marginalizada e miserável.
C - Em 133 a.C., Tibério Graco, representante da plebe, foi eleito tribuno. A reforma agrária empreendida em seu governo, apoiada pela classe senatorial, conseguiu amenizar durante algum tempo as tensões no campo.
D - As revoltas dos escravos aumentaram as tensões em Roma. A mais famosa delas foi liderada pelo gladiador Espártaco, sendo duramente reprimida.
E - O exército deixou de ser um instrumento da República para se tornar patrimônio particular dos generais, cujo poder acabou ameaçando a autoridade do Senado.

(FTC/BA) - Faculdade de Tecnologia e Ciências -
Questão 55: (...) no final do Período Imperial, a administração romana já não tinha condições de impor sua autoridade em todas as regiões do império. Com o enfraquecimento do poder central, os grandes proprietários de terra foram adquirindo crescentes poderes locais. (Cotrim, p. 147.)
A situação descrita no texto favoreceu a instalação:
A - do trabalho assalariado nas atividades comerciais;
B - da mão-de-obra escrava no campo;
C - de práticas clientelistas e do colonato;
D - de manufaturas e das corporações de ofício;
E - de uma administração fortemente centralizada e do controle político da burguesia.

(UNIFOR/CE) - Universidade de Fortaleza -
Questão 56: Na Antiguidade, o expansionismo romano engendrou grandes transformações sociais e econômicas e proporcionou condições para a “grandeza” de Roma, mas possibilitou, ao mesmo tempo, a eclosão de lutas sociais que abalaram a República Romana. As origens dessas lutas sociais estavam relacionadas, entre outras:
A - à ampliação dos mecanismos democráticos de poder, com a extensão do direito de voto aos estrangeiros, medida que contrariou os interesses da plebe romana;
B - à ruína de grande parte dos camponeses, em razão do processo de concentração da terra nas mãos da aristocracia e de setores que se enriqueceram com as guerras;
C - às leis criadas pelos irmãos Tibério e Caio Graco, que reduziam as possibilidades de acesso das camadas populares à terra, já que eram representantes da nobreza latifundiária;
D - às ocupações das terras dos camponeses pelas famílias dos militares, que almejavam a ascensão social por meio dos títulos de propriedade;
E - às insurreições estimuladas por Espártaco, que era um gladiador que defendia os interesses do exército e das camadas dominantes do território romano.

(UECE) - Universidade Estadual do Ceará -
Questão 57: Em relação à História Romana, assinale a opção verdadeira:
A - A República Romana possuía um caráter democrático, em virtude da adoção do voto livre.
B - A vitória de Roma sobre Cartago, nas Guerras Púnicas, garantiu aos romanos o controle das rotas do Mediterrâneo.
C - O poder do Senado se sobrepunha ao do Imperador durante o apogeu do regime imperial.
D - Os plebeus participavam das decisões políticas, na época da realeza, em virtude do acordo celebrado com os patrícios.

(UFG/GO) - Universidade Federal de Goiás -
Questão 58:
O governo da República romana estava dividido em três corpos tão bem equilibrados em termos de direitos que ninguém, mesmo sendo romano, poderia dizer, com certeza, se o governo era aristocrático, democrático ou monárquico. Com efeito, a quem fixar a atenção no poder dos cônsules a constituição romana parecerá monárquica; a quem fixá-la no Senado ela mais parecerá aristocrática e a quem fixar no poder do povo ela parecerá claramente democrática. (POLÍBIOS. História. Brasília: Ed. da UnB, 1985. Livro VI, 11. p. 333.)
Políbios descreve a estrutura política da República romana (509-27 a.C.), idealizando o equilíbrio entre os poderes. Não obstante, a prática política republicana caracterizou-se pela:
A - organização de uma burocracia nomeada a partir de critérios censitários, isto é, de acordo com os rendimentos;
B - manutenção do caráter oligárquico com a ordem eqüestre dos homens novos assumindo cargos na administração e no exército;
C - adoção da medida democrática de concessão da cidadania romana a todos os homens livres das províncias conquistadas;
D - administração de caráter monárquico com o poder das assembléias baseado no controle do exército e da plebe;
E - preservação do caráter aristocrático dos patrícios que controlaram o Senado, a Assembléia centuriata e as magistraturas.

(UEG) - Universidade Estadual de Goiás -
Questão 59:
A inscrição gravada em honra de Otávio Augusto em um escudo na Cúria Juliana afirmava a importância do Princeps: "em consideração pela sua justiça e pela sua piedade". Em relação ao principado de Augusto, no início do Império Romano, marque a alternativa incorreta:
A - Durante o principado, o imperador passou a acumular todos os poderes, embora continuassem a existir vários órgãos da República. Otávio conseguiu reconciliar a monarquia militar com as instituições republicanas.
B - Foi graças ao poder e à estabilidade iniciada no principado que Roma pôde desfrutar de um período de grande prosperidade, constituindo a Pax Romana.
C - Na literatura, o período de governo de Otávio Augusto ficou conhecido como a época de ouro, graças a seu ministro Mecenas que, por seu interesse pelas artes, apoiou escritores como Horácio e Virgílio, entre outros.
D - Augusto promoveu reformas e melhorias em todo o império, ampliando a burocratização do Estado e a organização de um poderoso exército de mais de 300 mil homens.
E - O caráter piedoso de Augusto estava associado ao fim da perseguição aos cristões e ao estabelecimento de uma era de tolerância religiosa em Roma.

(UFMS) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul -
Questão 60: Nos séculos III e IV, uma série de crises atingiu o Império Romano, culminando, no século seguinte, na queda de seu último imperador. Durante esse período de crises, desenvolveram-se alguns elementos
fundamentais para a estruturação de uma nova forma de
organização da sociedade européia, a qual se manteve em vigor durante vários séculos.
Entre as alternativas abaixo, qual(is) delas caracteriza(m) corretamente as estruturas dessa nova sociedade européia?
1 - A exploração do trabalho plebeu, o retorno da população para o meio rural e o fortalecimento dos poderes regionais.
2 - A centralização política e administrativa nos Estados Nacionais Europeus e o fortalecimento acelerado do poder da Igreja Católica.
4 - A intensificação da produção e o crescimento das exportações de manufaturas produzidas nos feudos.
8 - O relacionamento amistoso entre todos os senhores feudais e o estabelecimento do regime de trabalho assalariado em vários países da Europa.
16 - A ruralização da sociedade ocidental, ao mesmo tempo que foi registrado o declínio das atividades mercantis e artesanais urbanas.

(FUVEST/SP) - Fundação Universitária para o Vestibular -
Questão 61:
A história da Antiguidade Clássica é a história das cidades, porém, de cidades baseadas na propriedade da terra e na agricultura.
(K. Marx. Formações econômicas pré-capitalistas.)
Em decorrência da frase de Marx, é correto afirmar que:
A - os comerciantes eram o setor urbano com maior poder na Antiguidade, mas dependiam da produção agrícola;
B - o comércio e as manufaturas eram atividades desconhecidas nas cidades em torno do Mediterrâneo;
C - as populações das cidades greco-romanas dependiam da agricultura para a acumulação de riqueza monetária;
D - a sociedade urbana greco-romana se caracteriza pela ausência de diferenças sociais;
E - os privilégios dos cidadãos das cidades gregas e romanas se originavam da condição de proprietários rurais.

(FUVEST/SP) - Fundação Universitária para o Vestibular -
Questão 62:
Ao longo de toda a Idade Média e da Moderna, a Sicília foi invadida e ocupada por bizantinos, muçulmanos, normandos e espanhóis. Na Antigüidade, por sua:
A - fertilidade e posição estratégica no Mediterrâneo Ocidental, a ilha foi disputada e dominada por gregos, cartagineses e romanos;
B - fertilidade e posição estratégica, a ilha tornou-se o centro da dominação etrusca no Mediterrâneo Ocidental;
C - aridez e pobreza, a ilha, apesar de visitada por gregos, cartagineses e romanos, não foi por estes dominada;
D - extensão e fertilidade, a ilha foi disputada pelas cidades gregas até cair sob domínio ateniense depois da Guerra do Peloponeso;
E - proximidade do continente, aridez e ausência de riquezas minerais, a ilha foi dominada somente pelos romanos.

(UNIFESP/SP) - Universidade Federal de São Paulo -
Questão 63:
Durante séculos, o Mar Mediterrâneo foi o centro comercial do mundo conhecido. Dominá-lo significava também exercer plena hegemonia política e militar. São exemplos da busca pelo controle do Mediterrâneo e de sua importância:
A - as Guerras Púnicas, nos séculos III e II a.C., entre Roma e Cartago, que determinaram a plena expansão dos romanos e asseguraram-lhes o domínio do norte da África;
B - as atividades mercantis, na Alta Idade Média, de cidades italianas, como Veneza ou Gênova, que se empenharam no estabelecimento de novas rotas oceânicas para o Oriente;
C - as colonizações desenvolvidas em território americano, a partir do século XV, por Portugal e Espanha, cujo objetivo era ligar a Atlântico ao Pacífico;
D - as guerras napoleônicas na Península Ibérica no princípio do século XIX, que ampliaram o comando francês sobre o norte e o centro do território africano;
E - as Guerras do Peloponeso, nos séculos V e IV a.C., que envolveram as cidades gregas de Atenas e Esparta, na busca pelo controle total da Península Balcânica.

(PUC/CAMP) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas -
Questão 64: Teodósio estabeleceu que, após a sua morte, ocorrida em 395, o Império, para ser melhor administrado, deveria ser:
A - fracionado em quatro partes, com dois Imperadores e dois Césares;
B - dividido em duas partes: Império do Ocidente e o Império do Oriente;
C - atrelado ao paganismo e direcionar uma operação para destruir as catacumbas;
D - aliado dos árabes para defendê-los contra os hunos que se avizinhavam de Roma e de Meca;
E - dividido em áreas denominadas condados e doadas, em caráter hereditário, a seus sucessores.

(PUC-PR) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná -
Questão 65:
A grande realização de Roma foi transcender a estreita orientação política da Cidade-Estado e criar um Estado Universal que unificou diferentes nações do mundo mediterrâneo. (Marvin Perry)
Com relação à antiga civilização romana:
I. Os cônsules romanos eram encarregados da administração da justiça e da cobrança de impostos.
II. A principal herança da civilização romana para o mundo foi o seu sistema de leis.
III. A civilização helenística surgiu da fusão das civilizações grega e romana.
IV. Após Otávio ter posto ordem na anarquia, Roma atingiu a idade de ouro com os imperadores. Por quase duzentos anos o mundo mediterrâneo desfrutou a "pax romana", com ordem, eficiência e prosperidade.
São corretas as afirmações:
A - Apenas I e III.
B - Apenas I e IV.
C - I, II e III.
D - I, II e IV.
E - Apenas II e IV.

(PUC/CAMP) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas -
Questão 66:
Na Roma Antiga, a expressão "até tu Brutus?" foi atribuída a Julio César que, de acordo com fontes históricas, a teria proferido no momento de seu assassinato, em 44 a.C. Nesse contexto da história de Roma, Julio César tornou-se conhecido porque:
A - iniciou o processo de expansão romana, desencadeando as chamadas guerras púnicas, por meio das quais Roma se converteu em potência marítima;
B - criou o primeiro código escrito, denominado "Leis das Doze Tábuas", que tratava de assuntos referentes ao Direito Civil e ao Direito Penal;
C - adquiriu grandes poderes e privilégios especiais, como os títulos de ditador perpétuo e de censor vitalício, suscitando lutas políticas pelo poder, sobretudo no Senado Romano;
D - contribuiu, com as suas leis abolicionistas, para crise geral do escravismo romano, que abalou as atividades agrícolas de todo o Império Romano;
E - propôs à Assembléia Romana o seu projeto de reforma agrária, limitando a ocupação de terras públicas aos cidadãos romanos.

(FUVEST/SP) - Fundação Universitária para o Vestibular -
Questão 67:
Em verdade é maravilhoso refletir sobre a grandeza que Atenas alcançou no espaço de cem anos depois de se livrar da tirania... Mas acima de tudo é ainda mais maravilhoso observar a grandeza a que Roma chegou depois de se livrar de seus reis.
(Maquiavel, Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio)
Nessa afirmação, o autor:
A - critica a liberdade política e a participação dos cidadãos no governo;
B - celebra a democracia ateniense e a República romana;
C - condena as aristocracias ateniense e romana;
D - expressa uma concepção populista sobre a Antiguidade Clássica;
E - defende a pólis grega e o Império Romano.

(UFES) - Universidade Federal do Espírito Santo -
Questão 68: A importância do Edito de Milão reside no fato de:
A - ter cristianizado o Império Romano, por decisão do imperador Constantino;
B - ter restaurado o antigo culto no Império Romano;
C - possibilitar uma reação mais consistente ao movimento iconoclasta;
D - consolidar o cesaropapismo;
E - ter se constituído no ponto alto da reação católica ao movimento reformista.

Questão 69: Diocleciano (284-305) e Constantino (312- 337) destacaram-se na história do Império Romano por terem:
A - conquistado e promovido a romanização da Lusitânia, incorporando-a ao Império;
B - introduzido costumes religiosos e políticos dos etruscos na cultura de Roma;
C - concedido à plebe defensores especiais – os tribunos da plebe, que protegiam seus direitos;
D - consolidado o direito romano na chamada Lex Duodecim Tabularum;
E - estabelecido medidas, visando a deter a crise que enfraquecia o Império.

Questão 70: Teodósio, militar de origem espanhola, elevou o cristianismo à categoria de religião do Estado. Ao morrer, seu Império foi dividido entre seus dois filhos, que se responsabilizaram pelas seguintes áreas respectivamente:
A - Arcádio com o Oriente e Honório com o Ocidente;
B - Arcádio com o Ocidente e Honório com o Oriente;
C - Arcádio com o Sul e Honório com o Norte;
D - Arcádio com o Norte e Honório com o Sul.

(UP/PR) - Universidade Positivo -
Questão 71: Sobre o imperador Diocleciano (284-305), é correto afirmar que:
A - deu liberdade de culto aos cristãos;
B - transformou o Império Romano numa Diarquia;
C - procurou frear a onda especulativa através do Edito Máximo (tabelamento de preços);
D - procurou governar de forma democrática;
E - permitiu que os bárbaros ocupassem a maior parte do Império.

(UFPR) - Universidade Federal do Paraná -
Questão 72: Na Antiguidade, Roma estendeu amplamente seu território e dominou povos diversos, criando um império em redor do Mar Mediterrâneo. São marcas dessa expansão e contatos:
1 - a elaboração do “Jus Gentium” (“direito das gentes”);
2 - a organização de províncias como unidades administrativas de governo;
4 - a implantação de extensa rede de estradas e difusão do latim como língua oficial;
8 - a democratização da propriedade da terra;
16 - a concessão de cidadania romana apenas aos que tivessem pai e mãe romanos.

(FGV/RJ) - Fundação Getúlio Vargas Rio -
Questão 73: Sobre as invasões dos “bárbaros” na Europa Ocidental, ocorridas entre os séculos III e IV, é correto afirmar que:
A - foi uma ocupação militar violenta que, causando destruição e barbárie,
acarretou a ruína de todas as instituições romanas.
B - se, por um lado, causaram destruição e morte; por outro, contribuíram, decisivamente,
para o nascimento de uma nova civilização, a da Europa Cristã.
C - apesar dos estragos causados, a Europa conseguiu, afinal, conter os bárbaros, derrotando-os militarmente e, sem solução de continuidade, absorveu e integrou os seus remanescentes.
D - se não fossem elas, o Império Romano não teria dasaparecido, pois, superada a crise do século III, passou a dispor de uma estrutura socioeconômica dinâmica e de uma constituição política centralizada.
E - os godos foram os povos menos importantes, pois quase não deixaram marcas de sua presença.

(UnB/DF) - Universidade de Brasília -
Questão 74: A penetração dos bárbaros no Império Romano:
A - foi realizada sempre através de invasões armadas;
B - realizou-se a partir do século VI, quando o Império entrou em decadência;
C - verificou-se inicialmente através de invasões pacíficas e posteriormente através de violência;
D - foi realizada sempre de maneira pacífica;
E - verificou-se principalmente entre os séculos II e III.

(PUC-SP) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo -
Questão 75: Sobre as invasões dos povos bárbaros, que destruíram a organização imperial romana no século V, sabemos que:
A - tornaram-se possíveis devido à capacidade de liderança de Átila, que organizou os governos em um grande exército conquistador;
B - foram precipitadas pela pressão dos hunos sobre os bárbaros germanos, obrigando-os a deslocarem-se em direção ao Império;
C - puderam alcançar seus objetivos de conquista graças ao fato de os romanos desconhecerem os costumes e a organização político-militar desses povos;
D - tornaram-se possíveis graças à solidariedade existente entre as tribos bárbaras, organizadas em uma federação estável;
E - alcançaram seus objetivos graças à superioridade cultural e organizacional dos bárbaros frente aos romanos.

(UNESP/SP) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho -
Questão 76: As “invasões” dos povos germânicos destruíram o Império Romano do Ocidente no século V. d.C.
Entre as causas desses deslocamentos, não podemos citar:
A - a busca de novas terras para o cultivo e a criação de gado;
B - as riquezas e atrativos da civilização do Império Romano;
C - a chegada dos hunos às planícies da Europa Central;
D - a incapacidade de os romanos, nessa época, guarnecerem todas as fronteiras do Império;
E - a unificação das tribos árabes pelo islamismo e sua expansão pelo território europeu, influenciadas pelo princípio da Guerra Santa.

(USP) - Universidade de São Paulo -
Questão 77: “Contemplei a plebe com 300 sestércios por cabeça, em execução do testamento de meu pai; dei em meu quinto consulado 400 sestércios; no meu décimo-primeiro consulado, distribuí doze vezes trigo comprado à minha custa; no meu décimo-segundo Poder Tribunício dei, por três vezes, 400 sestércios por cabeça.
Nunca houve menos de 250 000 indivíduos para eu beneficiar com essas liberalidades.
No ano de meu décimo-oitavo Poder Tribunício e de meu segundo consulado, dei a cada homem da plebe 60 dinheiros por cabeça. Durante o meu décimo-terceiro consulado, dei 60 dinheiros aos cidadãos inscritos no circo para divertir a plebe”.
(Suetônio, Vida dos Doze Césares)
A - O texto demonstra a continuidade da política de pão e circo na República e no Império Romano.
B - Percebemos, nas somas e quantias distribuídas, o empenho do príncipe em demonstrar sua caridade cristã.
C - O Poder Tribunício e o Poder Consular eram exercidos pela mesma pessoa e esse fato explica o poder absoluto dos governantes romanos.
D - O importante era somente a distribuição de moedas ao povo e não o trigo e os espetáculos circenses, como se diz tradicionalmente.
E - O Imperador faz questão de acentuar o caráter legal de seu poder, que advém de uma herança deixada por César.

Questão 78: “Até quando, Catilina, abusarás de nossa paciência? Quanto tempo ainda o teu furor ousará insultar-nos? Qual o termo onde parará essa audácia desavergonhada”?
O texto refere-se à história de Roma e pode ser identificado como sendo de:
A - César, atacando seus opositores no Senado Romano;
B - Cícero, denunciando uma conjuração de natureza social;
C - Demóstenes, advertindo sobre o imperialismo macedônico;
D - Catão, combatendo a indiferença do povo em relação às guerras púnicas;
E - Augusto, criticando a arrogância dos membros da nobreza romana.

(PUC/CAMP) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas -
Questão 79: A civilização romana exerceu uma definida influência sobre as sociedades ulteriores.
Assinale a afirmação correta:
A - A ciência do Direito foi utilizada na Idade Média e na Época Contemporânea; países europeus incorporaram parte dela em seus códigos.
B - A arquitetura foi conservada nas igrejas luteranas.
C - A literatura romana influenciou o surgimento do Iluminismo.
D - A escultura romana do tempo de Péricles foi lembrada nas estátuas e colunas da Europa Medieval.
E - Nda.

(USP) - Universidade de São Paulo -
Questão 80: Sobre o Direito Romano, NÃO podemos afirmar que:
A - foi o mais importante legado cultural de Roma;
B - estabeleceu o conceito de jurisprudência;
C - a lei de Roma e de seus cidadãos estava incluída no “Jus Civile”;
D - o “Jus Civile” somente foi estabelecido durante o Império;
E - dividia o Direito em três grandes ramos.

(UFPR) - Universidade Federal do Paraná -
Questão 81: Nos séculos III d.C. e IV d.C., o Império Romano viveu uma fase de crise e de profundas transformações.
A respeito disso, é correto afirmar que:
1 - pela dificuldade de se encontrar mão-de-obra escrava, pois não havia mais guerras de conquistas que trouxessem escravos;
2 - pela abolição total da escravatura;
4 - pelo fato de a expansão do cristianismo ter gerado a diminuição do número de escravos – libertados por ato de piedade cristã – divulgando-se atitudes antiescravistas;
8 - pela evolução urbana – que fez da cidade o centro da vida no Império Romano – e o abandono dos campos;
16 - pela subdivisão de muitos latifúndios em pequenas propriedades, pela dificuldade de manter escravos numerosos de pouco valor, além das invasões de bárbaros seguidas de fuga de escravos.

(UFPR) - Universidade Federal do Paraná -
Questão 82: Nos séculos III d.C. e IV d.C., o Império Romano viveu uma fase de crise e de profundas transformações. A respeito disso, é correto afirmar que:
1 - as cidades do Ocidente Romano tornaram-se centros econômicos do Império em florescente processo de urbanização;
2 - antes religião perseguida, o cristianismo passou a ser aceito e veio a tornar-se a religião oficial do Império Romano, em substituição ao paganismo;
4 - os povos bárbaros invadiram o Império e se estabeleceram em seus territórios, contribuindo para a crise do mundo romano;
8 - a divisão político-administrativa do Império fez surgir o Império Romano do Ocidente e o Império Romano do Oriente.

(FGV/RJ) - Fundação Getúlio Vargas Rio -
Questão 83: Várias razões explicam as perseguições sofridas pelos cristãos no Império Romano, entre elas:
A - a oposição à religião do Estado Romano e a negação da origem divina do Imperador, pelos cristãos;
B - a publicação do Edito de Milão, que impediu a legalização do cristianismo e alimentou a repressão;
C - a formação de heresias, como a do Arianismo, de autoria do bispo Ário, que negava a natureza divina de Cristo;
D - a organização dos Concílios Ecumênicos, que visavam promover a definição da doutrina cristã;
E - o fortalecimento do paganismo sob o imperador Teodósio, que mandou martirizar milhares de cristãos.

(PUC-PR) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná -
Questão 84: Em 63 a.C., as tropas de Pompeu tomaram Jerusalém, ficando os judeus sob dominação romana. Na época do Império, rebeliões dos judeus contra os romanos acabaram levando à eliminação de Israel e Judá.
Neste quadro tivemos:
A - Rebeliões contra Júlio César, que deixa o Egito e esmaga os revoltosos em 59 a.C.; e contra Otávio, em 24 d.C.
B - Rebeliões em 70 d.C. e 136 d.C., nos governos de Vespasiano e Adriano, a última delas levando à dispersão total dos hebreus.
C - Rebeliões em 167 a.C., e 69 d.C., envolvendo os três grupos político-religiosos dos fariseus, saduceus e essênios.
D - Morte de meio milhão de judeus e a venda dos que escaparam ao massacre, provocando a total dispersão do que restara de Israel e Judá, em meio a rebeliões no governo de Teodósio.
E - Revolta contra Ptolomeu, Filopator, representante romano na Província da Síria, que esmagará totalmente os hebreus.

Questão 85: Quanto à História de Roma, pode-se considerar que:
A - Roma conheceu apenas duas formas de governo: República e Império.
B - na passagem da República para o Império, Roma deixou de ser uma democracia e tornou-se uma oligarquia.
C - os Irmãos Graco foram dois tribunos da plebe que lutaram pela redistribuição das terras do Estado entre os plebeus.
D - no Império Romano, todos os homens livres eram proprietários de terras.
E - no Império, os romanos viviam com base numa economia industrial.

(UP/PR) - Universidade Positivo -
Questão 86: – “As casas vacilavam depois de freqüentes e graves tremores de terra; abaladas em seus alicerces, pareciam balançar de um lado para outro. Ao ar livre, por outro lado, temia-se a queda de pedras-pomes, embora fossem leves e porosas. Foi a isto que todos preferiram depois de compararem os perigos. Quanto a meu tio, a proposta mais razoável venceu: quanto aos outros, venceu o medo maior. Colocando travesseiros sobre a cabeça, amarraram-nos com fronhas e lençóis: isto servia de proteção contra tudo que caía do alto.” (Plínio, o Jovem)
O texto se refere à erupção de um vulcão ocorrida em 79 d.C., no Império Romano. Relacionar corretamente: o nome do vulcão, uma cidade destruída e o Imperador romano da época:
A - Vesúvio, Herculano e Nero.
B - Etna, Pompéia e Vespasiano.
C - Vesúvio, Pompéia e Tito.
D - Miseno, Somma e Vespasiano.
E - Vesúvio, Pisa e Tito.

Questão 87:
Associe corretamente as colunas e assinale a alternativa correta:
I. Autoridade máxima da República romana
II. Administravam a justiça em Roma
III. Organizavam jogos e festividades públicas em Roma
IV. Autoridade máxima da Monarquia romana
V. Título de Júlio César
( ) Ditador perpétuo
( ) Senado
( ) Pretores
( ) Edis
( ) Rei
A - V - I - II - III - IV
B - V - II - III - I - IV
C - V - IV - III - II - I
D - I - IV - III - V - II
E - IV - V - I - II - III

(CEFET/PR) - Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná -
Questão 88: Eram funções básicas dos CÔNSULES, os mais importantes magistrados durante a República Romana:
A - administrar as finanças públicas;
B - administrar a justiça;
C - comandar o exército, dirigir o Estado e convocar o Senado;
D - cuidar do recenseamento dos cidadãos e da vigilância dos costumes;
E - administrar aspectos da vida da cidade de Roma como: abastecimento, festas públicas, edifícios públicos, policiamento e outros.

(UFES) - Universidade Federal do Espírito Santo -
Questão 89: Na administração da Roma Antiga, o pretor era encarregado de:
A - chefiar os exércitos nas campanhas militares;
B - promover o censo qüinqüenal;
C - fiscalizar a execução orçamentária;
D - ministrar justiças;
E - zelar pelo abastecimento.

(FGV/RJ) - Fundação Getúlio Vargas Rio -
Questão 90: A expansão de Roma durante a república, com o conseqüente domínio da bacia do Mediterrâneo, provocou sensíveis transformações sociais e econômicas, dentre as quais:
A - marcado processo de industrialização, êxodo urbano, endividamento do Estado.
B - fortalecimento da classe plebéia, expansão da pequena propriedade, propagação do cristianismo.
C - crescimento da economia agro-pastoril, intensificação das exportações e aumento do trabalho livre.
D - enriquecimento do Estado romano, aparecimento de uma poderosa classe de comerciantes, aumento do número de escravos.
E - diminuição da produção nos latifúndios, acentuado processo inflacionário, escassez de mão-de-obra escrava.

Questão 91:
Uma das mais importantes contribuições dos romanos para a posteridade foi o Direito. Sobre a famosa “Lei das Doze Tábuas”, analise as afirmativas abaixo e, a seguir, assinale a alternativa correta:
I. Trata-se de lei editada no período de Júlio César.
II. Considera-se a primeira lei escrita e sistematizada do Direito Romano.
III. Permitia o casamento entre patrícios e plebeus.
IV. Foi elaborada pelos decênviros.
V. Admitia, ainda, a pena de Talião.
Estão corretas as afirmativas:
A - I, III, IV;
B - II, IV, V;
C - I, IV, V;
D - II, III, V;
E - II e III.

(PUC-SP) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo -
Questão 92: A monarquia romana terminou quando:
A - os bárbaros invadiram Roma, em 476;
B - o Senado atribuiu a Otávio o título de imperador;
C - Teodósio dividiu o império entre seus dois filhos, em 395 d.C.;
D - Tarquínio o Soberbo foi deposto pelos patrícios;
E - Ocorreu a oficialização do cristianismo, pelo Edito de Tessalônica.

(ULBRA/RS) - Universidade Luterana do Brasil -
Questão 93:
Em ano de eleição discute-se a importância das instituições que alicerçam a organização política brasileira. A república é sempre lembrada como fundamento de explicação para as características políticas do nosso país. Na história, a República é estudada como fazendo parte do desenvolvimento das relações políticas do mundo romano. Sobre a organização da República romana, podemos dizer que:
I. o cargo de senador era vitalício, implicando ações consultivas, legislativas e administrativas, no aspecto tocante as províncias;
II. inicialmente os plebeus eram discriminados quanto a participação nas questões do Estado romano, porém com a ação de revoltas conseguiram o tribunato da plebe, que lhes garantia o reconhecimento de sua importância social;
III. o presidente da República era empossado após um plebiscito, articulado em todas as províncias e organizado pela Sátrapa que possuísse a maior graduação da península.
Assinale a alternativa correta:
A - Apenas a proposição I está correta.
B - Apenas as proposições I e II estão corretas.
C - Apenas as proposições I e III estão corretas.
D - Apenas as proposições II e III estão corretas.
E - As proposições I, II e III estão corretas.

(UFRGS) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul -
Questão 94:
O assunto tratado na revista em quadrinhos Asterix diz respeito à relação entre romanos e:
A - germanos, no século IV d.C.
B - gauleses, no século I a.C.
C - anglo-saxões, no século II d.C.
D - etruscos, no século IV a.C.
E - gregos, no século I d.C.

(UFBA) - Universidade Federal da Bahia -
Questão 95:
Os Romanos mostraram-se extraordinariamente inventivos no domínio do urbanismo. As "cidades novas", construídas durante a época imperial, muitas vezes a partir de acampamentos militares, espalharam a ordem romana até aos confins do Império. Esta concepção de cidade planejada, edificada com uma finalidade muito concreta e, por vezes, quase simultaneamente em cada uma das suas partes, só a voltaremos a encontrar no século XX.
(UPJOHN et al., p. 48)
Com base na análise do texto e nos conhecimentos sobre a arquitetura na Antigüidade Oriental e na Clássica, pode-se afirmar:
1 - A arquitetura romana concentrou-se na construção de edifícios com finalidade religiosa, descuidando-se das obras de infra-estrutura e de atendimento às necessidades das populações urbanas.
2 - As cidades romanas do Período Imperial obedeciam a modelos urbanísticos voltados para "finalidade muito concreta", enquanto as cidades-estado da Grécia e da Fenícia funcionavam para atender ao conjunto de ações necessárias ao exercício da vida social.
4 - A sobrevivência, até os dias atuais, de templos e palácios construídos pelos gregos e pelos egípcios decorre do uso de materiais resistentes e da aplicação de princípios arquitetônicos científicos conhecidos na época, fazendo-os resistir à ação do tempo e dos homens.
8 - A sobrevivência, até os dias atuais, de templos e palácios construídos pelos gregos e pelos egípcios decorre do uso de materiais resistentes e da aplicação de princípios arquitetônicos científicos conhecidos na época, fazendo-os resistir à ação do tempo e dos homens.
16 - A arquitetura romana expressava o caráter burocrático e pragmático da cultura dominante, enquanto a arquitetura grega se voltava para a representação dos elementos que fundamentavam sua mitologia e sua concepção de mundo.
32 - As catedrais de Colônia, na Alemanha, e de Notre Dame, em Paris, representam a arte gótica que predominou na Europa Medieval e reproduzem os princípios arquitetônicos construídos pelos gregos e pelos romanos.

(UFJF/MG) - Universidade Federal de Juiz de Fora -
Questão 96:
Sobre o sistema político de Roma no período republicano, assinale a alternativa incorreta:
A - A estrutura administrativa inicialmente criada garantiu aos patrícios o controle sobre os principais cargos públicos da cidade.
B - A organização de movimentos sociais e de uma série de leis escritas, a partir do século V a.C., limitaram fortemente os direitos dos plebeus que constituíam a maior parte da população.
C - O Senado era a instituição política mais importante do período, estando entre as suas atribuições principais: a elaboração de leis, a condução da política externa e das finanças públicas.
D - O sistema previa a divisão de poderes, como por exemplo, as magistraturas, que tinham seus integrantes renovados periodicamente.
E - O século I a.C. foi marcado por uma ampla crise política, representada pelo esgotamento do sistema republicano e pelo fortalecimento do poder pessoal, manifesto nos sucessivos confrontos entre importantes generais.

(UFPE) - Universidade Federal de Pernambuco -
Questão 97:
Em uma casa romana aristocrática, habitada pelo pai da família, sua mulher, esposa em justas bodas, filhos, filhas, escravos e ex-escravos libertos, cada um tinha seu papel definido. Sobre os costumes das filhas de uma família aristocrática romana, é correto afirmar que:
A - a jovem herdava o orgulho do pai, acrescido da fortuna que lhe cabia, a qual geralmente não era transmitida ao marido;
B - em geral, as filhas de um nobre romano não tinham direitos iguais aos filhos homens que herdavam mais bens patrimoniais;
C - cabia ás filhas da nobreza romana apenas a clientela pertencente à sua estirpe;
D - em caso de morte dos pais, as jovens aristocráticas solteiras não poderiam comandar uma casa romana; elas só mantinham suas posições de poder através de casamentos;
E - ligações amorosas ou casamentos com viúvas da aristocracia romana eram proibidos pela legislação romana, fundamentada no pátrio poder.

(UERGS) - Universidade Estadual do Rio Grande do Sul -
Questão 98:
No contexto das Guerras Púnicas, Roma sofreu em Canas a mais sombria das derrotas. A desforra viria tempos depois, quando Cipião o Africano emprestou seu gênio às legiões, levando-as à vitória. Aliás, os conflitos púnicos entre romanos e cartagineses tiveram como causa principal:
A - a invasão de Roma por Aníbal Barca, depois de cruzar os Alpes;
B - a disputa pela posse estratégica do Mediterrâneo;
C - o secular ódio que nutriam os romanos pelos povos semitas;
D - a ameaça que representava para Roma a concentração de povos guerreiros ao norte;
E - o estímulo cartaginês a rebeliões de escravos romanos contra os seus senhores.

(UCS/RS) - Universidade de Caxias do Sul -
Questão 99:
Após as Guerras Púnicas (264 - 146 a.C.) - Conflito entre Roma e Cartago pela disputa comercial do Mediterrâneo -, os romanos abriram caminho para a dominação de regiões do Mediterrâneo Ocidental (Gália, Península Ibélica) e Oriental (Macedônia, Grécia, Ásia Menor). O Mar Mediterrâneo foi inteiramente controlado pelos romanos, que o chamavam de mare nostrum ("nosso mar"). A expansão romana foi acompanhada de importantes transformações econômicas, sociais, políticas e culturais. Entre elas destacam-se:
A - o fortalecimento do sistema assalariado, o enfraquecimento dos cavaleiros, a consolidação das instituições republicanas e a adoção dos deuses gregos com nomes latinos;
B - o fim do trabalho escravo, a concentração populacional no campo, o desaparecimento dos latifúndios e a mudança no estilo de vida romano, que se tornou mais simples e sóbrio;
C - o crescimento do escravismo, o empobrecimento da plebe, o desenvolvimento do comércio, o fortalecimento dos chefes militares e o enfraquecimento das instituições republicanas;
D - o abandono dos centros urbanos, a adoção do trabalho servil, a ruralização da produção e o fortalecimento dos chefes militares e das instituições republicanas;
E - o aumento do trabalho escravo, a implantação de minifúndios, a instabilidade política interna, o fortalecimento da família e o enfraquecimento dos chefes militares.

(UESC/BA) - Universidade Estadual de Santa Cruz -
Questão 100:
Seja qual for a cidade, o fato fundamental da sociedade do Império Romano é a convicção de que existe uma distância social intransponível entre os notáveis "bem-nascidos" e seus inferiores (...) As classes superiores procuram diferenciar-se das inferiores através de um estilo de cultura e vida moral cuja mensagem mais vibrante é que não pode ser partilhado pelos outros.
(Veyne (org.), p. 230)
A distância social referida no texto relaciona-se à distinção entre:
A - romanos e bárbaros;
B - bárbaros e guerreiros;
C - sacerdotes e guerreiros;
D - cidadãos patrícios e plebeus;
E - tribunos da plebe e sacerdotes.

Questão 101. As “Guerras Civis” na Roma republicana foram provocadas pela (o) :
a) Assassinato dos irmãos Graco, dividindo os romanos em dois partidos
b) Ascensão dos homens novos e militares e marginalização da plebe
c) Insistência dos cristãos contra a escravidão e o culto ao imperador
d) Tentativa de Julio César de tornar-se imperador
e) Disputa política envolvendo os membros dos dois Triunviratos

Questão 102. Durante o Baixo Império, o império romano viveu grande decadência, determinada principalmente pela (o) :
a) Retração das guerras, responsável pela diminuição do afluxo de riquezas, crise do escravismo e da própria produção
b) Crise do comércio romano pelo Mediterrâneo, dado a ocupação realizada pelos povos bárbaros
c) Adesão imperador Constantino ao cristianismo, diminuindo a força do paganismo
d) Guerra civil envolvendo patrícios e plebeus, determinando a decadência da produção agrícola
e) Édito do máximo, responsável pela ilimitação da produção agrícola e importação de escravos

Questão 103. (PUC) A religião romana assemelhava-se à grega porque ambas:
a) tinham como centro a crença na vida futura
b) condenavam as injustiças sociais
c) tinham objetivos nitidamente políticos
d) eram apoiadas por uma forte classe sacerdotal
e) eram terrenas e práticas, sem conteúdo espiritual e ético

Questão 104. Roma, de simples cidade-estado, transformou-se na capital do país e mais duradouro dos impérios conhecidos. Assinale a alternativa diretamente relacionada com o declínio e queda do império Romano:
a) Redução considerável dos tributos e abolição do poder despótico do tipo oriental.
b) Triunfo do cristianismo e urbanização do campo.
c) Barbarização do exército e crise no modo de produção escravista.
d) Estabilização das fronteiras e crescente oferta de mão-de-obra.
e) Ensino democrático dos estóicos e aumento dos privilégios das classes superiores.

Questão 105. (OSEC) Sobre a ruralização da economia ocorrida durante a crise do Império Romano, podemos afirmar que:
a) foi a causa principal da falta de escravos
b) incentivou o crescimento do comércio
c) proporcionou às cidades o aumento de suas riquezas
d) proporcionou ao Estado a oportunidade de cobrar mais eficientemente os impostos
e) foi conseqüência da crise econômica e da insegurança provocada pelas invasões dos bárbaros

Questão 106. O modo de produção asiático foi marcado pela formação de comunidades primitivas caracterizadas pela posse coletiva de terra e organizadas sobre relações de parentesco. Sobre essa estrutura é correto:
a) As relações comunitárias de produção impediram o desenvolvimento do comércio e da mineração na Antiguidade Oriental
b) Os povos que não vivam próximos aos grandes rios não se desenvolveram e tenderam a desaparecer
c) Neste sistema verifica-se a passagem da economia de predação para uma economia de produção, quando o homem começa a plantar
d) O Estado controlava o uso dos recursos econômicos essenciais, extraindo uma parcela de trabalho e da produção das comunidades que controlava
e) O fator condicionante dessa situação foi o meio geográfico, responsável pela pequena produtividade

Questão 107. (FUVEST) A civilização ocidental contemporânea apresenta traços marcantes que revelam o legado cultural da civilização romana. Indique e comente dois traços.
a) O idioma usado pelos romanos - o latim - que deu origem às chamadas línguas polilatinas, e o Direito Romano, que constituiu a base da legislação ocidental
b) O idioma usado pelos romanos - o latim - que deu origem às chamadas línguas neolatinas, e o Direito Romano, que constituiu a base da legislação ocidental
c) O idioma usado pelos romanos - o italiano - que deu origem às chamadas línguas neolatinas, e o Direito Romano, que constituiu a base da legislação ocidental
d) n.d.a.

Questão 108. No decorrer do último século de República em Roma, as conquistas se ampliaram, o exército passou a ser permanente e tornou-se profissional, o que foi fundamental para:
a) Preservar as culturas políticas, limitando as conquistas realizadas pela plebe
b) A ascensão dos militares ao poder, e conseqüentemente para decadência do Senado
c) Consolidar as instituições republicanas, impossibilitando o retorno à monarquia
d) A realização das guerras civis, contra os plebeus, impedindo a reforma agrária.

Questão 109. Entre os séculos IV e V os pequenos proprietários arruinaram0se e buscaram a proteção dos grandes latifundiários. Surgiu assim o Patrocínio, instituição pela qual, em troca de proteção, um homem livre obrigava-se a cultivar um grande lote de terra para um grande proprietário. Grande parte da mão-de-obra foi recrutada entre os “bárbaros”, que invadiam as fronteiras do Império. O texto retrata
a) A abertura das fronteiras romanas aos povos germânicos
b) O surgimento do colonato e das Villae, com economia natural
c) A consolidação do sistema escravista de produção
d) A principal forma de salvação do Império
e) A barbarização do exército e anarquia militar

Questão 110. (OSEC) Quanto à história de Roma, pode-se considerar que:
a) no Império Romano, todos os homens livres - os cidadãos - eram proprietários de terras
b) no Império Romano, a base da economia era o comércio e a indústria
c) na passagem da República para o Império, Roma deixou de ser uma democracia e transformou-se numa oligarquia
d) os irmãos Tibério e Caio Graco foram dois tribunos da plebe que lutaram pela redistribuição das terras do Estado (ager publicus) entre todos os cidadãos romanos
e) Roma conheceu apenas dois regimes políticos: a República e o Império


GABARITO:
questão 1: A, C
questão 2: E
questão 3: 17
questão 4: D
questão 5: E
questão 6: C
questão 7: C
questão 8: D
questão 9: B
questão 10: D
questão 11: A
questão 12: D
questão 13: 11
questão 14: C
questão 15: A
questão 16: C
questão 17: A
questão 18: D
questão 19: C
questão 20: A
questão 21: D
questão 22: E
questão 23: E
questão 24: C
questão 25: C
questão 26: E
questão 27: C
questão 28: E
questão 29: D
questão 30: B
questão 31: C
questão 32: E
questão 33: A
questão 34: 43
questão 35: C
questão 36: C
questão 37: A
questão 38: B
questão 39:
questão 40: C
questão 41: A
questão 42: B
questão 43: C
questão 44: C
questão 45: C
questão 46: C
questão 47: D
questão 48: C
questão 49: E
questão 50: C
questão 51: A
questão 52: A, B
questão 53: C
questão 54: C
questão 55: C
questão 56: B
questão 57: B
questão 58: E
questão 59: E
questão 60: 17
questão 61: E
questão 62: A
questão 63: A
questão 64: B
questão 65: E
questão 66: C
questão 67: B
questão 68: A
questão 69: E
questão 70: A
questão 71: C
questão 72: 7
questão 73: B
questão 74: C
questão 75: B
questão 76: E
questão 77: E
questão 78: B
questão 79: A
questão 80: D
questão 81: 5
questão 82: 14
questão 83: A
questão 84: B
questão 85: C
questão 86: C
questão 87: A
questão 88: C
questão 89: D
questão 90: D
questão 91: B
questão 92: d
questão 93: b
questão 94: b
questão 95: 30
questão 96: b
questão 97: a
questão 98: b
questão 99: c
questão 100: d
questão 101: b
questão 102: a
questão 103: e
questão 104: c
questão 105: e
questão 106: d
questão 107: b
questão 108: b
questão 109: a
questão 110: d



7 comentários:

  1. múltiplas difíceis , mas as mesmas me ajudaram muito

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela iniciativa!
    Deve ter dado trabalho.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelos comentários. Que bom que gostaram. Bons estudos.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Professor, demais. Vou estudar RUMO A UFPE 2014 <3 Amém.

    ResponderExcluir